domingo, 30 de maio de 2010

O que nosso nome diz sobre a gente?

Aqui na França os sobrenomes têm muito mais importância do que no Brasil. Por exemplo, a lista de presença, ou chamada, na escola das crianças é sempre feita pelo sobrenome, não pelo nome. Eu acho super estranho, acho um tratamento formal demais para as crianças, alias, acho formal demais mesmo pros adultos. Sempre quando acabamos de conhecer uma pessoa, e ela não faz parte do seu circulo de amigos e nem tem a sua idade, convém chama-la de de monsieur ou madame sobrenome. Mandar um email para um desconhecido, seja para pedir informações sobre um curso, seja para fazer uma reclamação, obrigatoriamente devemos começar por "Bonjour M. ou Mme. sobrenome". De preferência tenham certeza do sexo da pessoa e não façam como eu e chamem o monsieur que decide quem vai ser admitido na universidade de madame: pode atrapalhar um pouco sua vida.

Mas apesar de mais escondidos e reservados aos intimos, os nomes também têm um grande peso na vida dos franceses. E como em todo lugar do mundo, ter um nome esquisito, ou fora da sua época, pode causar traumas consideraveis. Por causa disso, escolher um nome pode virar um grande problema pra um casal gravido que more ha pouco tempo fora do seu pais de origem. Se eles moram na França e pretendem ficar por aqui um bom tempo, devem pensar bastante no nome da criaturinha, pois mesmo que o nome escolhido esteja super na moda no Brasil, pode ser que aqui ele seja o oh-do-borogodo. Não é questão dos nomes serem feios, mas de serem dificeis de portar na sua época. Quem imagina, por exemplo, um bebê chamado Gertrudes?

O problema é que entre paises, nem sempre a moda é a mesma. Inês, por exemplo, é o nome mais descolado para meninas na França, e no Brasil dificilmente os pais escolheriam esse nome para seu bebê. Para meninos, Augustin é super moderno e, bom, no Brasil... Ao mesmo tempo, alguns nomes que achamos  très chiques, são meio fora de época por aqui. Fernando, por exemplo, é nome de avô na França e seria bem estranho cruzar com uma criança com esse nome. Suzanne também.


Mas sera que as impressões que temos dos nomes são tão diferentes assim da dos franceses? Quando ouvimos um nome, logo associamos a um rosto, uma personalidade, e é normal dizermos "nossa, ele tem uma cara de Bruno!". Mas sera que essas impressões são corretas e podemos adivinhar o nome de uma pessoa so de olhar pra ela? Então estou fazendo um teste. Do lado direito do blog, tem uma foto de uma mulher francesa e do lado esquerdo um homem francês, cada um com 5 opções de nomes. Votem no nome que vocês achem que corresponde mais a pessoa e depois eu dou o resultado.

9 comentários:

Aline Mariane disse...

hihi, eu ando neurotica com nomes que funcionam nos dois idiomas! Pelo visto nao sou a unica!!
Aline é nome de senhora mais velha, depois dos 40. A versao "meninas da minha idade" é Adeline. Uma das avos do Loic se chama Suzanne e a outra Gisele - essa achou o maximo que eu tenha uma amiga da minha idade que se chama assim. Tenho três sobrinhos, dois com nomes que tudo bem (Eva e Paul) mas um que eu acho horrivel, Clément, mas que é super comum entre crianças francesas, nao?! Os priminhos deles sao ainda piores: Camille (é um menino!!) e Baptiste (gente, isso é sobrenome!!). Minha sogra comentava que a sobrinha deu nome de velhos para os gêmeos que acabaram de nascer: Louise e Charles. E eu achei fofo! Tomei conta do pequeno Léopold (aaff) e o primeiro comentario de uma amiga francesa foi "ah, era uma familia rica? Léopold é nome de burguês". Pra mim é nome do mordomo de filme de terror, heheh!
Bjss!

caso me esqueçam - luci disse...

votei em camile pra mulher ao lado porque ela tem A MESMA CARA de uma camile que eu conheco. eh igual. ela soh pode ser camile, po! sem condicoes :D

o foda dos sobrenomes na franca eh que eles nao se repetem. ja vi dois besson, duas forget tambem. mas o resto eh tudo sempre original. quando comecei a trabalhar como faxineira, minha patroa me falava o sobrenome das pessoas e eu nunca entendia. dai perguntava a camilo "se escreve assim tal nome?" e ele dizia "pode ser qualquer coisa, luci". e realmente! quando chegava na caixa do correio, o nome era completamente diferente daquele que eu pensei. saco :)

Glória Maria Vieira disse...

Eu votei em Alexandre e Marta. Agora não me pergunte porquê, Manda! AUHSUAHSHAUHSAHSUH Só acrescento uma coisa: Olivier, na minha cabeça, é um nome que se associa mais a um homem másculo, viril. Sei lá! Acho que é porque os 'Oliviers' que eu vi (uns dois de um programa chamado teste de fidelidade) tinham esse porte. Eu pensei em votar em nomes mais 'afrancesados', mas eu pensei: Pode ser que seja totalmente o contrário da minha linha de pensamento, então arrisquei no oposto. Vamos ver, né?!
O meu nome é o nome da minha bisavó, só que invertido. Ela se chamava Maria da Glória e,como mainha era muito apegada a ela, colocou o meu de Glória Maria. /hihi

Mariana disse...

Primeira confusão com a qual me deparei quando comecei a ter contato com o francês: nom é sobrenome e prénom é nome... No inicio respondia direto Mariana quando perguntavam meu nom! Outro detalhe: se no seu passaporte o segundo nome esta separado do nome, ele vai ser entendido como sobrenome aqui! Foi o que aconteceu com o maridão aqui que acabou ganhando um sobrenome que ninguém na familia dele tem igual! Segunda confusão: qdo tivemos a Sofia (escolhido propositalmente por poder ser pronunciado tbm em francês)tivemos que correr atras de uma autorização do consulado para colocarmos o meu sobrenome nela. Aqui a regra (super-machista alias) é a criança ter so o sobrenome do pai... e ponto final! Para ser aceito aqui o nosso sobrenome composto, ele ganhou dois hifens, isso mesmo, dois hifens! Assim a Sofia acabou ficando Sofia sobrenomedamãeHIFENHIFENsobrenomedopai. Assim os franceses sabem que não se trata de um sobrenome composto per se, mas de um sobrenome que na verdade é dois.
Ainda bem que nos documentos brasileiros dela isso foi oficialmente ignorado!!!

simone disse...

meu nome aqui na frança é velho. :( todo mundo tem uma vó chamada simone ahahhaahha. ao menos é melhor que na itália, onde meu nome é masculino!!!

Ana Duarte disse...

Amanda, visito sempre seu blog e adoro o que vc escreve aqui! ja virei seguidora! Beijos e boas blogagens!

Iara disse...

Que legal que você tá postando de novo. E que legal este tema.

Eu ia comentar o que a Aline já comentou: que o nome dela é de vovó na França. Quando eu estava aí, a mãe da menina se espantou que eu tinha duas primas chamaas Aline, uma de cada lado da família.

Uma coisa que eu achei engraçada, não sei se você já notou, mas parece que a moda, o moderno, é colocar nas filhas nomes terminados em "a". O povo achava o máximo os nomes das brasileiras: Iara, Flávia, Paula. Enquanto aqui o povo, quando quer "afrescalhar", coloca "e" no final...

Ah! E olha a coincidência, chutei os mesmos nomes que a Glória: Alexandre (mas fiquei em dúvida com Gerôme) e Marta (mas achei que podia ser Cecile também...).

Glória Maria Vieira disse...

Eita Lara, que legal! =) o/

Pí Ême. disse...

Eu votei lá, achei o máximo. Tentei de despir de pré-conceitos e votei. Essa coisa de nome é engraçada mesmo. Eu me acho com cara de Paula Maria e não vejo como eu seria com outro nome!

By the way, mil anos que não comento.
Estou indo pra França em Setembro, gostaria de te conhecer.

beijos!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...