sábado, 4 de junho de 2011

O mundo dos livros na França

Sou daquele tipo de pessoa que desde pequena ja saia lendo tudo o que vinha pela frente. Mas minha paixão sempre esbarrou em um problema técnico: livros bons e que me interessavam não eram faceis de ser achados. Primeiro que comprar livros era muito caro - e no Brasil continua sendo -, segundo que não existia nenhuma biblioteca decente. Minha mãe até me levou algumas vezes na biblioteca municipal do bairro, mas la tinha apenas Agathas Christies de paginas amareladas e quadrinhos tão antigos que os personagens da Turma da Mônica ainda eram meio tortos. Otimo incentivo de leitura pras crianças.

A primeira vez que dei de cara com uma biblioteca de verdade foi em Brisbane, na Australia. Parecia um shopping center de livros, com a vantagem de tudo estar completamente disponivel pra você. Era um sonho: um mar de livros, CDs, DVDs, HQs, jornais e revistas, muitas publicações. O mais surpreendente pra mim é que ali não era apenas um lugar de estudos, mas também de lazer, onde as pessoas iam pra pegar filmes emprestados, um CD legal, livros de viagem do Lonely Planet, livros de receitas, livros infantis - a biblioteca tinha tudo o que a gente podia imaginar. Então a cada cidadezinha da Australia que eu ficava algumas semanas, ja procurava pela biblioteca.

Na França é a mesma coisa. Além das universidades que têm um acervo gigantesco, Paris conta com dezenas de bibliotecas de bairro, que são muito uteis no cotidiano. Quem mora por aqui, recomendo fazer a carteirinha, é de graça! Com a carteirinha a gente pode pegar até 20 obras de qualquer biblioteca de Paris por 3 semanas renovaveis. Cada biblioteca também organiza programações diferentes, como encontros com autores e leitura de historias infantis para crianças.

Como frequentadora assidua da biblioteca Saint-Eloi, fui la hoje de manhã devolver uns quinhentos livros e pegar outros mil e dei de cara com uma ideia tão genial que fiquei embasbacada. Com a proximidade das férias, o pessoal teve a ideia de fazer o pacote surpresa: embrulharam conjutos de quatro ou cinco livros (e CDs) em papel-pardo e o leitor escolhe um embrulho sem saber quais livros tem ali dentro. Assim ele tem as férias inteiras pra ler aquela pequena seleção de leitura que fizeram pra ele. Não é o maximo?

Praticamente um natal fora de época
 
Eu fico boba com essas coisas! Uma ideia tão simples, que não custa nada, atrai a curiosidade de todos e ainda incentiva leitores a lerem obras que provavelmente eles não escolheriam por vontade propria. Tudo bem que você corre o risco de pegar coisas que não te interessam (se eu caisse com biografias ou classicos, ficaria irritada!), mas é so pegar uns livrinhos extras pra garantir.
 
E se as bibliotecas municipais ja garantem boas leituras, as pessoas com forte sentimento de posse também estão bem servidas. As livrarias francesas oferecem livros muito mais baratos que no Brasil. Tipo, coisa de 3 euros para um livro de bolso. Os lançamentos estão na faixa dos 20 euros. A diferença é que enquanto no Brasil livro parece ser artigo de luxo - capa dura, design artistico, folhas de 90g -, na França eles são mais modestos, raramente têm capa dura, muitas vezes nem têm desenho: é so o titulo, o nome do autor e pronto, fundo bege ou amarelo, nada de fotos ou ilustrações mirabolantes.
 
Comprar livros na França é um programa super gostoso. Além do preço totalmente viavel, as livrarias também atraem os leitores com um ambiente aconchegante e familiar. Poltronas fofas, espaço pras crianças, vendedores simpaticos, tudo isso faz parte. Mas o que realmente me conquista é a maneira que elas indicam os livros, dêem uma olhada:
 
 Notinhas escritas à mão com opiniões pessoais


Esses bilhetinhos passam uma impressão de que a livraria tem um interesse autêntico pelos livros, e não deseja apenas vender qualquer porcaria. Da pra perceber o carinho pelas letras, o habito permanente da leitura. Eh como se a propria livraria dissesse: "seu livro ideal esta aqui e nos vamos te ajudar a encontra-lo".

I ♥ livrarias francesas. E bibliotecas também!

18 comentários:

Grazi disse...

Amanda,
Eu tb adoro ler ... mas ao contrário de vc gosto dos classicos, tipo Alexandre Dumas.
Mas vc tem razão, infelizmente aqui no Brasil os livros são caros demais, como incentivar a leitura em criança com esses preços ?!
Adorei a idéia dos embrulhos, super original e tb a idéia dos bilhetinhos, prova que leram mesmo os livros, né?

Boa leitura !

Obs: eu postei um comentário no post "Mestrado na França-FAQ" mas acho q vc não viu. Será que vc poderia me responder? Obrigada!

disse...

Adoro as bibliotecas daqui! A primeira vez que entrei numa biblioteca de verdade foi a daqui do bairro. Ela é gigantesca, tem varios andares e um andar so' para crianças e bebês. E olha que a cidade aqui nem é assim tao grande... Eu sou socia ha' anos e tô sempre por la'. Comecei a pegar livros para o Rafael também. Na semana retrasada teve historia para crianças. A idéia é otima, mas a mulher era bem estranha. Nao curti! De qualquer maneira ja' estamos inscritos para o proximo, quem sabe seja com outra.

Tb adorei a idéia do embrulho para as férias, mas do jeito que sou chata com leitura, eu ia ter medo de pegar porcaria!

Caminhante disse...

Eu tinha achado que a idéia do embrulho era o máximo, aí você mostrou os livros com opiniões escritas e quase caí pra trás. Que máximo, que mentalidade, que estímulo! Não me admira que lemos tão pouco.

Luiz Ferreira disse...

Em Paris, adoro ir na Gilbert Jaune no blvd St Michel. Ultima vez que fui la, sai com 6 livros de bolso do Max Gallo e gastei 23€. Em Janeiro, no Brasil, comprei dois do mesmo autor e gastei R$68. No Brasil podemos nao ter as bibliotecas publicas daqui mas as livrarias dos shoppings estao bacanas. Em SP, a Saraiva do shopping Eldorado ou do Ibirapuera sao bem legais e tem profissionais bastante dedicados e conhecedores. Bejao Amanda !

Ellen Lacerda (Elinha) disse...

Nossa isso é um sonho!
Adoro ler e realmente sofro para adquirir meus livros que são meu tesouro.
Claro que sempre aproveito as promoções das lojas on-line, que oferecem descontos e muitas vezes frete grátis, mesmo assim tem muitos livros que não baixam um centavo!
Adorei a idéia dos pacotes da biblioteca, deu vontade de pegar um só para ir descobrindo cada livro.
Moro no interior de pernambuco, numa cidadezinha chamada Lajedo. Aqui temos as bibliotecas das escolas e uma biblioteca municipal que vive as moscas. Não se tem muito e o pouco que se tem não é valorizado. O incentivo à leitura não é realizado, infelizmente...
Ainda sonho que um dia verei muitas crianças lendo com prazer ao invés de viverem coladas a televisão... Um sonho de uma psicopedagoga que adora ler...
Adorei o post, excelentes informações!
Ótimo domingo!
xero grande.

carina disse...

que coisa LINDA essas notinhas escritas à mão! Tô com a Caminhante: já havia achado os embrulhos o máximo, mas essas notas fizeram meu dia :)

Podíamos ter isso aqui no Br

Glória Maria Vieira disse...

Suuuuuuuper bacana, né?! Cadê que aqui em AL tem uma? Aqui não tem nem uma livraria pra contar história, quanto mais desse naipe das francesas, Manda.

#vergonhaestadual :~

Beatriz disse...

Ai, ai, meu sonho é encontrar um shopping center assim, só de livros!!! Coisa rara mesmo aqui no Brasil...
Beijinhos
Bia
www.biaviagemambiental.blogspot.com

Rita disse...

Que delícia, Amanda. Pena que não tenho francês suficiente para usufruir disso ainda. Quem sabe compro uns pro futuro? Né? ;-)

Beijocas
Rita

Silvana disse...

Adoro ler e presentear as pessoas com livros. Achei ótima a idéia dos comentários, principalmente para experimentarmos autores os quais ainda não lemos.
No ano passado promovi um encontro entre emigos para trocarmos livros usados. Foi bem interessante. Quero ver se consigo divulgar e ampliar o número de participantes este ano.

Helena disse...

Acho que é porque têm bibliotecas tão legais que o pessoal aí adora estudar nelas. Aqui no Brasil, os estudantes têm o hábito de ir para casa estudar. Lembro de ir com minha sogra na biblioteca de Angers e ter muitos CDs, audio-livros, BDs, e livros, é claro :)
Sobre as livrarias, acho que a qualidade do atendimento e da estrutura melhorou muito no Brasil. Temos livrarias melhor distribuídas, com pessoal especializado, várias poltronas, sofás onde o pessoal fica lendo na própria livraria, palestras, leituras. O problema ainda, como tu disse, segue sendo o preço.

Caso me esqueçam disse...

tai um mundo que eu nao conhecia! joao pessoa nao tem bibliotecas, soh conheço a da ufpb. li uma materia um dia desses de que os livros estavam virando mingau com as goteiras do predio. dai voce tira o quanto se da valor aos livros por la. eu, com minha rinite, evitava a todo custo entrar naquele lugar. estudar la era impossivel: abafado, as cadeiras desconfortaveis, pouca luz e cheio de mofo e poeira.

chego na frança e vejo a realidade oposta. mesmo tendo meu quarto disponivel, prefiro ir pra biblioteca, mesmo que eu nao va precisar de nenhum livro do lugar. por enquanto, as livrarias nao me sao importantes. talvez seja o fato de eu nao ter um vintem agora, mas quando eu for ryca, voces verao. hihihi

Fernanda disse...

Oi, Amanda,
Eu também sou como você, devoradora de livros de carteirinha!
Quando eu tinha 8, 9 anos, durante as férias, eu acho que era a unica pessoa na minha cidade autorizada a retirar 4 livros da biblioteca municipal (a regra era 2), porque assim a bibliotecaria conseguia ficar dois dias sem ver a minha cara por la hahaha

Depois você conta se os seus livros do pacote surpresa valeram a pena!

Ana Paula Gervason disse...

Amei o seu blog, vou ler todos os posts com calma! Amo Paris!

Bjss e uma semana maravilhosa para vc!

http://toutlamour.blogspot.com

Flávio Assum disse...

Oi, Mandita, beleza? Sabe que sou rato de livros também, né? Então, fico com uma inveja das grandes de você nesse momento de compras literárias. Agora, tem uma coisa muuuito importante que você não citou: os pacotes são embrulhados como presentes, até com fita! Isso faz toda a diferença, é a materialização do cuidado, da atenção ao leitor. Pois dessa maneira, muito mais do que livros ele estará levando para casa, e sim, um presente de alguém que se importa com ele. Muito bacana! Beju!

Babi disse...

Amei este post!!!
Adorei a idéia dos bilheitinhos,isso mostra o cuidado e o carinho pelo leitor.
Su bibliotecária e fico triste quando vejo que no Brasil não temos bibliotecas decentes, e o descaso com a nossa profissão, pois muitas pessoas nem sabem que nos bibliotecários trabalhamos com a informação e o nosso papel perante a sociedade.
Por isso admiro a França e a sua cultura.
bejos

Silvia disse...

Concordo com grande parte do que você disse sobre o Brasil, a falta de bibliotecas, principalmente em cidades pequenas. Como sou de São Paulo tive uma experiência diferente com a excelente Biblioteca Municipal Mário de Andrade, um colosso, com um acervo muito bom. Tinha o hábito de ir lá estudar e pesquisar, desde os tempos do ginásio. E na escola pública onde fiz o ginásio e colégio também havia uma excelente biblioteca. Imagino que essa não era a regra, mas tive sorte.
De qualquer forma, nem dá para comparar França e Brasil no quesito bibliotecas, a França está muito mais avançada e tem um marketing bastante forte nessa área. E os pacotes e bilhetes mostram bem isso. São mimos que encantam o leitor.

José Fernando disse...

Mais de vinte dias sem um post. Já tive duas crises de abstinência. Nesse momento inspiro cuidados, mas há esperanças.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...