quarta-feira, 6 de julho de 2011

Meus pequenos emprestados

Pois é. Acho que minha vida de baba esta acabando. Foram mais de quatro anos tomando conta de criancinhas de 3 meses à 6 anos, a maioria bem calminha, alguns pestinhas e todos fofos. Ainda cuido de um bebê às quartas, mas so até o fim do mês. O meu contrato dos outros dias das semanas acabou na sexta e estou de férias por tempo indeterminado. Quer dizer, férias, mas sempre cheia de coisa pra fazer. Acho que cuidar dos meus bebês da menos trabalho do que todas as coisas que tenho que resolver em breve, todos os projetos que teimam em nao sair do papel (ou da minha cabeça). Mas estou muito empolgada, parece que foi um ciclo que se fechou e com um outro que esta prestes a se abrir.

Vou sentir saudades das minhas criancinhas. Quer dizer, ja sinto. Os primeiros bebês que cuidei ja estao indo pra escola de mochilinha, todos serelepes e faladeiro. Fico boba so de olhar quando encontro na rua. Como aquela coisinha que nao conseguia nem sentar ja fala francês melhor que eu?! 

Uma pena que eu nunca pude falar sobre meu trabalho de baba, ja que nao posso invadir a privacidade das familias. O que eu queria mesmo era colocar um milhao de fotos dos pequenos e contar todas as intrigas, as manias, as esquisitices que envolve o trabalho de baba. E olha, nao sao poucas! Mas né, tenho que me conter. Mas isso nao impede que eu faça uma pequena homenagem aos meus 12 guris e gurias em forma de recapitulaçao, principalmente para eu poder ler mais tarde e lembrar deles. Em breve.

8 comentários:

André Flores disse...

É bonito ver você falando assim tão bem das crianças que cuida. Não há como não criar uma ligação. Mas mesmo parecendo um trabalho que só dá prazer, a gente sabe que cuidar de criança não é mole.
Já pensou também que essas crianças também terão eternas lembranças da menina que cuidou delas tão bem na infância?

Mariana disse...

Aguardo ansiosamente o post anunciado. Porque né, mãe, baba e professora são seres complementares... heheh.
bjus!!

disse...

Que post fofinho... olha, acho que o trabalho de baba' não é nada facil. Tem que ter uma paciência bem grandona! E não é todo dia que vc esta' de bom humor né? Por isso eu admiro muito quem se dedica para ser uma boa baba'.

Qdo a gente trabalha em empresa, as vezes a gente cria laços com alguns colegas, mas não tem nada a ver com os laços que a gente cria com as crianças. Elas sao sao sinceras, divertidas, frageis. Deve dar uma saudade grande depois...

Amanda, boa sorte nessa nova fase da sua vida! Que tudo dê certo!

Glória Maria Vieira disse...

Ô Mandita!:~
Que poste fofura do mundo todo. Poxa! Por que você não irá mais trabalhar como babá?

/esperando ansiosamente pelos próximos postes sobre os nenéns que você cuidou.

E ah: É emocionante demais ver que aquela criaturinha que você segurou, hoje já usa as próprias perninhas e tal. Esse sentimento de "Olha! Ele (a) cresceu!" é tão acalentador. Tenho sentido isso em relação ao meu irmão e aos meus 2 priminhos. Todos três segurei e dei uma de babá. Uma babá muito louca digasse de passagem. ASUHAUHSUAHSUHAUHS Muito louca, porque "não se ensina a uma criança a dar dedo", ou "não se coloca uma criança de cabeça pra baixo". Ou ainda "não se ensina uma criança a chamar porra!" AUSHAUHSUAHUSHASUHUAHSHA... Ai que saudade disso!:~

(Não se ensina ao ver dos mais velhos. Que isso fique bem claro! HAHAHAHAHA)

Gabi disse...

Oi, Amanda, sempre passo por aqui pra ver as novidades do seu blog, que, alias, transformou-se num 'jornalzinho' com as noticias do meu bairro, ja que moro aqui ha quase 6 anos e so agora vejo a Porte Dorée com outros olhos, brasileiros, como os meus.
@+

Amanda disse...

Gabi, vc mora perto de Porte Dorée???

luci disse...

e talvez, se nao fosse tu, eu taria ate hoje faxinando... credo. obrigada, babah amanda!

Gabi disse...

Perto ? Não !
Eu moro NA Porte Dorée. :-D
Estou hà quase 6 anos no Bd Soult, bem pertinho do Bois. Antes, morava em Dugommier.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...