quarta-feira, 27 de julho de 2011

Sintomas graves de parisienses

Eu ia até fazer um Top 10, mas logo vi que a lista é infinita. Se você mora em Paris ha algum tempo, esta na hora de fazer um check up e descobrir se ainda conserva seu espirito brasileiro ou se ja apresenta perigosos sinais de metamorfose em um tipico parisiense.


Sintomas mais comuns:

- saber a temperatura que vai fazer nos proximos dias
- achar as sobremesas do brasil doces demais
- não comer mais queijo e presunto no café da manhã
- achar que um apartamento de dois quartos é luxo
- não puxar mais assunto quando ouve alguém falar português na rua, como fazia antigamente
- passar cinco minutos procurando um equivalente em portugues para uma palavra em francês que representa exatamente aquilo que vc quer dizer (e que geralmente não existe em português)
- saber nomear mais ministros franceses que ministros brasileiros
- não entender como os brasileiros podem trabalhar tanto e ter tão poucas férias
- ser mais pontual
- ficar irritado quando o turistão fica parado do lado esquerdo da escada rolante no metrô
- aprender a se virar: fazer faxina, cozinhar (bem!), consertar eletrodomesticos, montar moveis, muitas vezes até cortar o proprio cabelo
- descobrir qual é a melhor padaria do bairro e implicar com as outras
- esperar os soldes pra fazer compras
- no inverno, não sair mais com cinco casacos, três calças, sete meias, luvas, gorro de lã e cachecol, como fazia antigamente
- programar as férias para o mês de agosto
- se for mulher achar os biquinis brasileiros pequenos demais e se for homem jurar que nunca mais veste uma sunga na vida
- chamar Mc Donalds de McDo
- dizer os numeros de telefones em dezenas
- achar que o rosé é um vinho subjulgado no Brasil

Se você sentir algum sintoma não listado, por favor deixe na caixa de comentarios para podermos prevenir os recém-chegados dessa terrivel ameaça.

37 comentários:

Marina Msq disse...

Tá, não sei se vale, mas transformar "folhas de alface" em "salada".

Mãe: que prato vc fez pro almoço?
Eu: salada com molho francês, blábláblá...
Mãe: o que tinha na salada? ...

Kkkkkk...

En tout cas, adorei esses sintomas! É bem por aí!
Beijos

Mariana disse...

Dos 19, so não manifestei 2 sintomas até agora!
E dizer "pardon" automaticamente quando encostamos num desconhecido não seria um sintoma bem grave também?

bjus!

Rita disse...

Eu não vim pra ficar, mal cheguei e já vou embora, mas já acho as sobremesas do Brasil doces demais. E´só pra constar: hoje comi o melhor crepe de chocolate super, mega, hiperamargo do mun-do. Lá na saída do Pompidou, em frente às fontes malucas. Uau.

Beijos
Rita

Ananda Garcia disse...

Eu até acho que esses sintomas são muito bons!! Eu já estava até apresentando alguns deles!! hehehehe
Adorei o post!

Caminhante disse...

Eu tenho vários e nunca fui à Paris, #comofas?

José Fernando disse...

Cortar o próprio cabelo? Sério?

Kênya disse...

Meu Deus, estou apresentando praticamente todos os sintomas! Só não consigo consertar eletrodomésticos e montar móveis (eu nasci sem a função bricolage). E quem é que consegue cortar o próprio cabelo?

Cissa Romeu disse...

Oi Amanda,
outro sintoma:

nem começar a falar com o turistão brasileiro se ele não começar a frase por: "S'il vous plaît"

Amanda, espero tua visita no meu blog.
Beijos.

Humoremconto
http://anaceciliaromeu.blogspot.com

disse...

Hmmm... acho que meu caso é grave. Da listinha, ainda nao cortei o proprio cabelo, mas aparo a franja (bom, mas isso eu tb fazia no Brasil!) e me RECUSO a colocar um biquini francês. Argh!!! Adoro meu biquinho brasileiro. Nao é minusculo, mas também não é igual ao da minha avo' (pô Amanda, vc me decepcionou nesse item!)

Eu acrescentaria alguns outros sintomas:

- posso até sair sem batom, mas nao vou até a boulangerie sem um rimel basico
- uma temperatura de 0° não me impede de usar saias. Alias, acho que uso mais saia no inverno do que no verão, pq no inverno vc nao precisa estar com a depilação em dia, hoho...
- eu não "peço" férias para o chefe, eu apenas "informo" as datas.
- aprendi a fazer as proprias unhas e a pintar meu proprio cabelo
- ODEIO que se metam da minha vida
- quando vou ao Brasil me sinto um pouco constrangida de tanta gente me servindo o tempo inteiro (empregadas na casa das amigas/familia), pior ainda quando tem uniforme e me chamam de senhora
- ter um bebê não me impede de sair, bater perna, pegar busão, fazer compras, ir na feira, com bebê a tiracolo. Alias, o carrinho é bem pratico para pendurar as sacolas.

Aline Mariane disse...

hehe, ótima lista!
A maioria é válida aqui no interior também. Acrescentaria (essas beeem parisienses):
- businar quando o semáforo fica verde e o carro da frente não se mexe
- se acostumar com a prioridade à direita e com a ausência de placas de Pare
- ficar olhando dentro das janelas dos apartamentos quando o metrô sai do lado de fora
- querer se mudar de Paris logo e fazer mil planos sobre as outras boas cidades pra se morar (normalmente é Nantes, Montpellier, Bordeaux, que são grandinhas e próximas da praia)
- ter mais de um mapa de Paris (sem contar os do metrô) ou sempre consultar o GoogleMaps antes de sair
- achar que qualquer lugar que se tenha que pegar um RER é longe (se mora na banlieue, o contrário: qualquer lugar que se tenha que pegar só metrô é perto)
- ignorar completamente os cantores do metrô
- não ter a menor ideia de onde fica Clermont-Ferrand, Limoges ou Poitiers (Angers às vezes, também. Sempre tenho que falar que é perto de Nantes)
E essa, pra mim:
- amar e odiar Paris ao mesmo tempo. E ficar empolgada e morrendo de preguiça de voltar a morar aí, depois de tanto tempo no interior...
Bjss!!

Chocolatine Cramée disse...

Ola, eu me identifiquei com todas as coisas, menos o biquine. Je suis désolée, mas não da para usar as caoçola de vo.
Senão, tem outras coisas que franceses fazem bastante:

-> Segurar a porta até que a pessoa de tras se aproxime. Se não segura-la, é melhor nem olhar para tras pois sera xingado.
-> Falar Bon Appetit antes de começar a comer.
-> Dizer Bonjour para vendedores antes de perguntar qualquer coisa. Se você não disser, eles ficam bravos.

Voilà.
Gostei do post, alias, muito bom seu blog!

Aline Mariane disse...

ah, concordo com a Dé: deusmelivre desses biquinões calçola. E de calcinhas calçola/fio dental também!!!!

Cha disse...

Eu tb me reconheci em todos, sinal de que ainda não sou Brasileira o suficiente! bjs

Amanda disse...

Ai gente, estou prestes a comprar um biquini francês! Experimentei meu biquininho brasileiro e fiquei constrangida na frente do espelho! Tudo bem que ainda não experimentei nenhum francês, mas sera que não rola??

Sobre cortar o proprio cabelo, eu quis dizer mais cortar em casa, tipo outra pessoa cortar e tal. Mas conheço muita gente que corta o proprio cabelo tbm! Cheri é um deles.

Estou adorando os outros sintomas aqui!

disse...

Ah... é a gente que corta o cabelo do Rafael! Vale?

O menino nem tem muito cabelo ainda, nao vou pagar uma fortuna pra ir no salao... as vezes fica meio torto, mas até agora ele nao reclamou.

;)

Amanda, biquini francês nao, vai. Ainda mais com seu corpitcho. Me poupe!

Helô Righetto disse...

amandita, a maioria vale tbem pros brazucas de londres!!! adorei!!!

Mariana disse...

Eu uso biquini francês!!! e nem acho tão grande assim, alias, a parte de cima do biquini francês é bem mais proporcional aos meus peitões!
Eu que corto o cabelo da Sofia desde que ela nasceu e até agora não fiz nenhuma bêtise! Ja me ofereci para cortar o do maridão mas ele não topou! ;°) o meu eu cortava nos tempos da graduação, agora prefiro as tesouras parisienses!
O que não rolou pra mim foi ser mais pontual! Eu era pontualissima no Brasil, quando dependia do meu carrinho para chegar nos compromissos. Aqui eu sempre me perco no calculo do tempo do trajeto no transport commun! E a da padaria também necas... como eu so compro pão fatiado ou de leite no supermercado, eu so reparo na qualidade da patissêrie das boulangeries do quartier!
Me identifiquei com três sugestões da Aline: a dos mapas, a dos cantores e o amar/odiar constante! Muito!!!

Mariana disse...

o sintoma "ter um bebê não me impede de sair, (etc)" que a Dé sugeriu eu também manifestei!

Laura Prospero disse...

Olá Amanda,
Após check up rsrs nao apresento dois sintomas:
1/ nao espero os soldes, detesto fazer compras ainda mais com muita gente :(
2/ nao chamo o McDonalds de McDo, chamo de merde :)
Primeira visita no seu blog, voltarei mais vezes.
Abs
Laura Prospero

Diz disse...

Só fui à Paris uma vez -vinte dias- adorei. Me identifico c mts dos itens. Acrescentaria- tenho amiga parisiense- a press ao caminhar- e o desejo de caminhar- eu mesma andei mto ai.
Lendo seu post entendi o porque de ter gostado tt dai. Nunca usei biquininho, nem gosto de doces doces demais, gosto de fazer quase tudo no meu cabelo- pinto, faço massagem, apenas não corto e otras cositas más.
Um abração Laura Diz

Luciana Nepomuceno disse...

ahah, tenho uma ruma de sintomas e me considero mega brasileira, mais exatamente nordestina. Tirando as coisas intrínsecas como procurar palavra equivalente de francês pra portugues (eu faço isso de cearensês pra brasileiro comum)e itens como inverno (inverno? ahahahahhahah)o resto é minha praia. Ah, chamo o macdonald's de droga, vale?

Maite disse...

Sabia que a historia do biquini ia criar "polemica" quando li ;)
Hehehehehe. Acho que ja te disse: eu acho os biquinis daqui meio grandalhoes e nunca comprei um - masssa, acho os meus brasileiros beeeem pequeninihos mesmo, em comparacao!
Sobre as ferias: eu faco justamante o inverso de todo o mundo. Como meu trabalho nao depende do calendario escolar, aproveito pra trabalhar no verao, quando o RER ta beeem mais vazio e tirar ferias 'fora de epoca', quando e mais barato!
;)
Beijos!
Maite.

Ana Maria disse...

Essa é a primeira vez que comento aqui, mas acho bom dar um toque. Bom, eu fui ao “Paris Plages” do Sena (tem outra no La Villete) com um dos dois biquínis que trouxe do Rio. Não é fio dental, que odeio, mas é muito menor que os franceses. Não foi legal. Os homens fingem que você é transparente e as mulheres te olham de cima a baixo e depois soltam um puff. Ficar em pé é quase crime. Andar, então, nem pensar. Vou comprar um biquíni francês correndo e recomendo mais uma providência, se os ossos da sua bacia forem muito saltados e você seja magra, ao deitar ou sentar, suba a parte inferior do biquíni até perto do umbigo, porque se o elástico da calçola fizer uma ponte entre um osso e outro mostrando um pouquinho que seja do púbis, lá vem puff de todo lado. Uma vizinha de cadeira chegou a comprar uma discussão com outra porque aparecia um pouquinho dos pelos dela. É chato dizer isso, mas parece que o pessoal faz tudo para se aborrecer, inclusive em lugares que seriam ideais para relaxar.

Allan Robert P. J. disse...

A lista pra quem mora na Itália só seria um pouco diferente:

- achar que um apartamento de dois quartos é necessário quando se tem filhos, mas um banheiro apenas...

- passar cinco minutos procurando um equivalente em portugues para uma palavra em italiano que representa exatamente aquilo que vc quer dizer (e que geralmente não existe em português)

- não entender como os italianos podem trabalhar tanto e ter tão poucas férias

- ser menos pontual

- programar as férias para qualquer mês, menos agosto

- comer em uma foccaceria ao invés de no Mc Donalds

- ter certeza de que o rosé não pode ser considerado vinho

:D

Ana disse...

Como é que é essa história das francesas fazerem cara feia pros biquininhos brasileiros? Elas não fazem top less?

Ana Maria disse...

Ana, elas fazem top less nas praias do sul da França (e em qialquer praia da Espanha e outros países). Em Paris é beeeeeem diferente. Aliás, esqueça.Mesmo com biquini francês, não tem um lugar para ficar. Tudo lotado, inclusive no La Villete. Aliás, se você tem peito pequeno como eu, cuidado com o tamanho da parte superior dos biquinis franceses. Eles ficam "soltos". E tome Puff.

Ana disse...

Ah, eu pensei q mesmo que não fizessem top less por lá elas já estariam acostumadas com esse tipo de visão...

É, me deparei com uma foto da "praia" no Sena, lotadaço. Puff. rs

Suzana Gutierrez disse...

Faltou um sintoma:

- furar a fila ou tentar sempre que possível.

Milena Fischborn disse...

Acho que não tenho mais recuperação, pois me identifico com quase todos os sintomas...
Mas tb jah uso biquini francês e estou bem adaptada, acho que fica bem para o meu corpo e alguns quilinhos acima do normal... Compro geralmente na Darjeeling e acho lindos, assim como a maioria dos produtos vendidos lá!
Mas se for um biquini de má qualidade, a primeira vez que lavou ou entrou no mar, o mesmo se esgaça todo, fica sobrando para todos os lados...

Isabela disse...

Eu aderi ao biquini grande e me sinto muito melhor!!! Compra sim, compra sim!
Amei a lista, ainda não tenho tempo nem dados suficientes pra fazer uma versão mas eu chego lá! De biquinão!!!
Beijos

Chéri disse...

Eu me reconheci em todos também. Preciso me preocupar?

Beijoca

Babi Dayrell disse...

Nao moro em Paris, nem na Franca, mas moro na Alemanha e me identifiquei com váaaarios sintomas, tanto os seus, quanto os outros aqui nos comentarios. Vários sao mesmo simtomas que aparecem rapidinho, quando se mora na Europa.
Sintomas que eu também apresento, além dos já citados, sao:

-irritar-se com vendedores insistentes e que nao dizem o preco da mercadoria (pior ainda se falar que apareceu na novela)
-nao dar a mínima para o que o vizionho faz ou deixa de fazer, e da mesma forma esperar a mesma atitude de volta
-irritar-se com pessoas falando muito alto na rua
-irritar-se quando mais pessoas falam ao mesmo tempo
-falar misturando as linguas (justamente pelo fato que você já citou, que muitas vezes nao encontramos palavras em pt para dizer o que queremos)e perder a paciência se a pessoa nao te entende
-fazer comentários quando no país de moradia em pt e no Brasil na lingua do país onde mora, pra só uma pessoa específica entender, e mais ninguém
-evitar brasileiros só pelo fato de serem brasileiros mas adorar latinos
-usar roupas em camadas até no Brasil e nao se incomodar com todo mundo olhando e achando estranho

Tem muito mais, poderia escrever hooooras sobre isso! Adoro o tema!

bejinhos

Caso me esqueçam disse...

nao que eu more em paris, neh, mas…

- não comer mais queijo e presunto no café da manhã
tenho medo que isso um dia aconteça. mas levando em conta que eu adoro feijao no cafe da manha, acho que esse nunca nunca chegarah pra mim.

- esperar os soldes pra fazer compras
ou basta ser pobre como eu :D

- dizer os numeros de telefones em dezenas
eh normal nao saber decorado o proprio numero? nem o numero de ninguem. soh sao dois numeros a mais, mas eu nunca consegui decorar meu numero, sempre pergunto a camilo quando tenho que preencher um formulario, eh ridiculo.

hahaha adorei os sintomas postados aqui! eh verdade, gente!

Vanessa à Paris disse...

Meu Deus, nao sou mais brasileira.
Eu achei normal td da lista.

Bom eu ja era pontual qdo morava la :P
E nao comia doce brasileiro tb nao, rss
So comecei a comer doce aqui.

Comer queijo eu como no cafe da manha, de vez enquando (geralmente no fds), inclusive conheço diversos franceses que o fazem. rss Claro q presunto nao rola aqui. Nao consigo fazer essa mistura no cafe da manha aqui nao.
Mas qdo to na casa da minha mae, ainda como, com um bom cafe com leite.

Como recuperar um pouco da minha "brasileirice"?!

Vanessa à Paris disse...

So nao concordei um cortar os cabelos
Cortar o proprio cabelo nao rola, risos.
Corte pra valer so no Rio. rss

E o biquine ainda é brasileiro, so que daqueles maiores de la :P
Ou se nao tem uns aqui lindos da Eres (sonho de consumo)

Vanessa à Paris disse...

Outros sintomas, mas que sinto na pele qdo estou no Brasil.

Qdo entro em padarias e transportes e digo Bom dia antes de mais nada, o povo me olha como se fosse um E.T

Outro fazer sua propria sacola de supermercado, mas E.T ainda qdo todos te olham aparavorados!!! rsss

Ká entre nós... disse...

Tenho varios desses, e pra quem é emigrado na Italia tem tambem mais um, dizer 3200 assim, são 3mil e dois, e todo mundo sabe que sao 3200 e não 3002.

Baci.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...