sexta-feira, 4 de maio de 2012

O punhal de Le Pen

Nas vésperas do segundo turno das eleições presidenciais francesas de 2002, aquela que catastroficamente ficou entre Jacques Chirac e Jean-Marie Le Pen, Mohamed Moulay abria a boca para contar sua tragédia pessoal. Esse argelino tinha passado muitos anos remoendo uma história de terror, mas quando viu seu algoz a um passo de se tornar presidente da república, decidiu falar. Pensando bem acho que ele já sabia que Le Pen não seria eleito, e escândalo nenhum mudaria isso, deve ter sido mais um puxão de orelha nos franceses, como quem diz "prestem bem atenção em quem vocês estão votando".

Mohamed contou ao jornal Le Monde que perdeu seu pai dia 3 de março de 1957, depois de uma visita de uma tropa de paraquedistas franceses. O chefe do grupo era o jovem Jean-Marie Le Pen, "grande, forte e loiro". O pai de Mohamed, Ahmed Moulay, fazia parte do Front de Libération Nationale, partido radical que lutava contra a colonização francesa e acabou consquistando a independência da Argélia (e que mais tarde demonstrou não ser nenhum um pouco democrático, mas isso é outra história). Então, no meio da noite, Le Pen invade a casa da família Moulay e submete Ahmed, que tinha então 42 anos, a um interrogatório macabro. O que se segue são intermináveis horas de tortura com água e eletricidade, sob os olhos aterrorizados da mulher e dos seis filhos de Ahmed. Diante da resistência do argelino em não delatar seus companheiros, Le Pen e sua tropa vão embora deixando um cadáver para trás.

O irônico é que o jovem Jean-Marie Le Pen esqueceu um punhal com seu nome gravado no local do crime. Mohamed, que na época tinha 12 anos, encontra a faca e sem pensar duas vezes a esconde. No dia seguinte Le Pen volta para recuperar o objeto, mas não acha. Trata-se de uma faca da Hitlerjugend, a Juventude Hitlerista, fabricada nos anos 30.


Essa história, Mohamed guardou por 45 anos e decidiu contar apenas quando viu Jean-Marie Le Pen no segundo turno das eleições presidenciais, há exatos 10 anos. O político conservador processou Mohamed e o jornal Le Monde por difamação e perdeu. O punhal foi uma das provas do processo e daqui a um mês será levado de volta para a Argélia, onde se tornará peça de um museu.

Acho assustador pensar que é desse tipo de gente que a política francesa é feita. Que a UMP esteja pensando em fazer aliança com um partido fundado por um assassino. Claro que imagino (e espero) que Jean-Marie Le Pen tenha evoluído e não seja mais a mesma pessoa que invadiu a casa da família Moulay. Muito menos quero julgar Marine Le Pen pelos erros do pai. Mas é a essência que conta, sabe? É o ambiente do qual essas pessoas vieram.

Mohamed Moulay morreu há dois dias, aos 67 anos.

*Informações tiradas dessa matéria do Le Monde.

14 comentários:

Enaldo disse...

Não conhecia este fato. É de arrepiar esta história.

disse...

Nossa, também não sabia disso! Nunca fui com a cara desses Le Pen, agora então...

Mariana disse...

E a Marine, neste ano mesmo de campanha, participou de um baile na Austria com saudosos da época desse punhal...
http://www.atlantico.fr/decryptage/marine-pen-bal-olympia-vienne-vrai-visage-autriche-fn-interview-caroline-fourest-278000.html

Acredito que ninguém mudou a essência ideologica desse partido. Agora ele so esta com uma nova cara e um discurso midiatico reformatado. Mas o objetivo continua o mesmo...

Helena disse...

Meio aterrorizador isso, exatamente porque eu acho que o FN vistiu uma máscara de mudança para atrair mais eleitorado, mas não acredito que a essência tenha mudado, como tu coloca. É claro que os tempos são outros, não conseguiriam cometer absurdidades nos dias de hoje, mas é só a crise ficar mais forte, uma guerra aparecer, que as coisas mudam de figura.

Helena disse...

gente, o que houve com o meu português? Corrige ai em cima: "vestiu" em vez de "vistiu".

Rita disse...

Nossa, que história! Coisa de filme. Já fizeram? Roteiro pronto.

Bj
Rita

Pierre disse...

Olá,

Não é uma regra que o filho siga os passos do pai.

O JM Le Pen é uma pessoa que fez coisas muito ruins. Esse exemplo é um horror mesmo.

Mas ele tinha algunas ideas boas. Por que não acreditar que sua filha queira pegar todas as boas ideas e erradicar as más?


Sobre esse baile, tem que falar a verdade também, quando isso foi entregue?
Três meses antes do primeiro turno, pois todo mundo tinha medo, especialmente a esquerda que ela iria ter muitos votos.
Segundo, ela foi nessa festa, mas você so leu o que você quis ler.

http://christinetasin.over-blog.fr/article-marine-le-pen-a-vienne-mensonges-et-manipulations-de-sos-racisme-et-consorts-98291815.html

Resumo : esse baile caiu um sexta, e coincidência, essa sexta foi dia 27 de Janeiro,
O partido que fez esse baile é o FPO que segundo o site "SOS racismo" é um neonazista.
Pena que em 2010, o líder do FPO encontrou o ministro israelita que ficou muito emocionado ( mas talvez, é de novo, um golpe neonazista para ter uma imagem mais bonita, etc etc etc)

Você pode não gostar de Marine Le Pen, mas não tenha a mente fechada.


Ps Amanda, Estou criando um blog sobre a França, eu gostaria que você desse uma olhada,

http://discutindoafranca.wordpress.com/

Abraço

S. W disse...

chocante!

Lizzie - www.surtandoemfrances.wordpress.com disse...

já já vira filme.

MoiselleMad disse...

interessantíssima a história...

Tata disse...

Olá Amanda.
Nao sou nova no seu blog, ja faz um tempo que leio, mas pela primeira vez senti que precisava comentar. Li um dos posts do ano passado (resolvi comentar aqui pq nao sei se vc ve comentario antigo) em q vc dizia q nao estava mais com vontade de escrever, principalmente sobre a sua vida pessoal e senti q precisava falar algo.

Sabe, eu comecei a conhecer a blogosfera em novembro do ano passado, e nao eh nenhum surpresa, logo me encantei. Ja li uns 4 blogs, o ruim dessa leitura eh q a gente acaba esquecendo dos livros...

Sabe, gosto mto de ler sobre a frança e o seu blog logo me chamou atenção com os seus tops 10. Dai resolvi ler o blog todo de uma vez! Me interesso muito pelos posts sobre a frança, mas conforme a gente vai lendo, a gente vai se inteirando mais sobre o blogueiro, sobre a sua vida mesmo, e devo dizer q isto acaba se tornando a minha parte preferida, as vzs eu ate pulo os posts sobre o sarkozy (depois eu volto por remorso) so pra saber mais algum capitulo da sua vida.

Nao se assuste, nao sou nenhuma louca maniaca planejando um sequestro nao. Eu so gosto mesmo de saber o que alguns brasileiros estao fazendo no velho continente, como conseguem levar a vida em euro, como eh viver longe de casa, como sao as pessoas, os habitos essas coisas. E ultimamente, os amores. O seu eh o quinto blog q leio de gente q foi prai se aventurar e conheceu alguem e casou.

Quando eu estava pensando em ir prai (fr), como au pair mesmo, nunca me passou pela cabeça me casar, ou se quer conhecer alguem por ai. Mas agora essas historias de amor sao as que mais me divertem.

Entao, sabe, queria te perguntar algumas coisinhas. Nao leve a mal, eh pura curiosidade mesmo, sinta-se a vontade para ignorar meu comentario se quiser.

Entao, primeiro, que raios vc foi fazer na australia em uma fazenda ou algo do tipo? que programa foi q vc fez? E como vc conheceu o cheri? (alias, ql o nome dele?). Desculpe-me a intromissao, mas eh q eu adoro uma historia de amor da vida real. (me da certa esperança sabe, rs...)


Bom, eh isso. Me chamo Tábata, mas pela blogosfera as pessoas me conhecem como Tata. Sou de Sampa mas atualmente, e temporariamente, estou em Londrina. Estou me planejando para virar au pair na frança. (estudei frances por 2 anos e meio e adoro a lingua). Nao eh o programa ideal, nao qria ficar morando na casa dos outros, e cuidar de crianças nao eh exatamente o meu sonho (me formei em jornalismo tbm, e qm me dera ser jornalista pela europa). Mas pretendo ficar so um ano nessa situacao, depois qro tirar a cidadania e depois eu vejo a vida...Ainda nao tenho blog mas qro começar um, mas so qndo eu for embora daqui. Bom, essa sou eu. Espero q nao ignore meu comentario e q continue escrevendo.

Boa sorte na sua volta.
Bjs,
Tata

Tata disse...

Oi Amanda, tenho uma perguntinha pra te fazer.

Vc disse q existem piscinas publicas la na frança, pelo menos em paris, certo? E aulas de tenis? ou pelo menos quadras à disposicao? Vc sabe me dizer algo sobre isso? Eh q estou pensando em ir pra la e queria muito (muito mesmo!) fazer as duas atividades, mas, obviamente, vou precisar de algo super hiper ultra mega barato (pq vou de au pair). Ah, alias, se tiver alguma coisa pra dizer sobre au pair, tbm ficarei muito grata!!!

Eh isso. bjs,
Tata

Tata disse...

Olá novamente Amanda.

Vim comentar por aqui um post antigo pq depois eh mais facil pra mim achar a sua resposta.

Qria comentar sobre o seu post "qndo deus eh o chefe do homem e o homem eh o chefe da mulher". So criei coragem de ler agora. Bom, enquanto lia me surgiu uma duvida, talvez irrespondível. Por que raios a mulher sempre foi inferiorizada?
Pensa bem, todas, t-o-d-a-s as religioes inferiorizam as mulheres, na maioria das sociedades (msms laicas) as mulheres sao inferiores (mesmo q sutilmente, como salarios mais baixos). Qr dizer, pq isso,da onde surgiu? Sempre achei a mulher mais forte que o homem, so pela questao de ter q aguentar um parto.

Sei la, juro q nao entendo.
Fazendo um paralelo. Eu entendo pq os negros foram inferiorizados. No geral pq foram colonizados, qr dizer, teve uma razao historica de guerra mesmo. Queria saber as origens da inferioridade feminina.
Será que alguem tem uma resposta? (q nao seja religiosa, claro!)

(Essa historia de q o homem eh mais forte e a mulher acabou ficando em casa pra mim nao cola...)

Tata disse...

*pra eu achar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...