sábado, 13 de março de 2010

Mestrado na França

Alguem ai tem o segredo da motivaçao? Sem querer desanimar aqueles que querem fazer mestrado na França, às vezes me pergunto se vale mesmo a pena pra mim, ralar tanto por um diploma. No curso de mestrado do Brasil a gente tem que entregar uma dissertaçao no final do curso, uma coisa que a gente tenha se interessado e pesquisado ao longo dos dois anos. Dependendo da faculdade, o trabalho deve ter umas 70 paginas. Pois aqui na França a coisa é um pouco diferente.
Aqui os cursos do primeiro e do segundo ano podem ser completamente independentes. Ou seja, a pessoa pode fazer um ano em uma universidade e depois tentar o outro ano em uma instituiçao diferente, em outra area. E nao é todo mundo que consegue passar para o segundo ano, eu diria que 70% das pessoas passam. Na minha universidade, por exemplo, eles exigem que os lunos se locomovam até a area estudada, para a pesquisa de campo. Eu fui até o Paraguai, teve gente foi foi à Espanha, ao Ira, ao Senegal, à China, etcetcetc. Dai escrevemos nossa primeira dissertaçao, entre 100 e 200 paginas. Se a pessoa conseguir passar para o ano seguinte, geralmente ela pode escolher entre pesquisa e profissional. Se escolher essa ultima, ela tera que fazer um estagio em alguma empresa durante 4 ou 6 meses, com um salario de bosta e depois redigir um dossier sobre o estagio, de 50/100 paginas. Se escolher a pesquisa, como a maioria, tem que escrever uma segunda dissertaçao de 150 paginas.

Bom, estou na redaçao da minha segunda pesquisa, mas essa semana nao progredi muito. Fiquei sentada na frente do computador e so escrevi duas (!) paginas!! Acho meio injusto ter acabado de 'parir' uma dissertaçao super trabalhosa e ainda ter que fazer outra igualzinha, sobre um tema diferente. O pior é que apesar de nao avançar na escritura, acabo nao fazendo mais nada da vida, porque fico presa à essa dissertaçao. Se alguem tiver dicas de motivaçao, to aceitando, viu?

Minha pesquisa desse ano é sobre o Sul do Brasil. Leitores sulistas, vocês aceitam responder um questionario bem rapidinho? Deixem seus emails, por favor, ou mandem um para lourenco.ama@gmail.com .

Semana passada resolvi experimentar uma enquetezinha pra ver como era. A pesquisa era sobre a pena de morte e 27 pessoas participaram. 22 delas se disseram contra a medida. Eu ja desconfiava que o pessoal que lê esse blog tinha essa posiçao, mas como nos comentarios do post sobre o assunto alguns se disseram a favor, fiquei curiosa pra saber a opiniao de todos. Vou pensar em temas para as proximas enquetes.

22 comentários:

Mariana disse...

Oi Amanda! Primeiro, acho que ja sabes que estamos no mesmo barco, né?
Pra mim o que pega na motivação não é nem a pesquisa em si, mas o fato de que independente do quanto eu me mate estudando, do quão bom seja o trabalho, na soutenance o jury vai dar um jeito de me sentir burra por ter cometido erros! Eles são otimos nisso, esses acadêmicos franceses! Diferente de ti, eu continuei a pesquisa do ano passado, o que facilitou bastante, ja que a leitura não precisa ser começada do zero... E qto ao numero de paginas, varia muito, tanto aqui qto no Brasil! La, um mestrado de 70 paginas na minha area seria inaceitavel! Aqui, no primeiro ano, la na Paris III, deve-se escrever pelo menos 40 paginas. Mas a minha directrice disse que menos de 80 ela não aceitaria e agora tenho que escrever 120...
Mas olha, meus amigos que fizeram mestrado no Brasil também sofreram dessa falta de motivação! Acho que essa melancolia faz parte do trabalho acadêmico sabe? Foda mesmo é ter que parir o trabalho em outro idioma! Esse problema eles néoa tem la!!
Mas enfim, como sabes, sou de Sta Catarina, e tenho varios amigos de la que moram aqui, então, eu aceito fazer o teu questionario e tento convencer o maridão também! Me manda um email explicando a parada, pode ser???
Courage et t'inquiète, on va réussir, j'en suis sûre!

Ana disse...

Oi Amanda, estou morando no Paraná já faz 2 anos, sou de Goiás, se puder ajudá-la de alguma forma é só dizer.
Abraços,
Ana

Rita disse...

Oi, Amanda

Não sei se posso ajudar: moro em Floripa há 11 anos, mas não sou daqui. Se você precisar que somente nativos do Sul participem de sua pesquisa, posso tentar convencer alguns amigos daqui a fazê-lo.

Quanto à Academia, minha maior motivação sempre foi gostar de aprender e descobrir formas de pensamento diferentes daquelas às quais eu estava acostumada. Então mestrado e doutorado foram deliciosamente desafiadores e me mantive motivada o tempo inteiro, apesar da trabalheira às vezes me parecer uma loucura. E, ao contrário do que disse a Mariana, mesmo fazendo todo o programa no Brasil, tive de redigir e defender minha tese em inglês (o programa de pós em tradução da UFSC tem essa peculiaridade, tudo - das aulas, passando pelos papers, às defesas - é feito no segundo idioma que se estuda). Lembro de momentos bem difíceis, de uma fase em que precisei rever quase tudo em meu projeto e retomar leituras que já julgava parte do passado... putz, não é moleza.

É claro que todo mundo se depara com algumas crises ao longo do caminho. É tanta dedicação que inevitavelmente nos perguntamos aonde tudo vai nos levar. O que posso te dizer é que, se você estiver lidando com algo em que acredita, a inspiração sempre vem e, quando você menos esperar, seus textos vão voltar a fluir com gosto e logo sua segunda dissertação vai estar aí, prontinha na sua cabeça.

Se houver qualquer coisa que eu possa fazer para ajudar - sei lá como, você saberia - não hesite em dizer, tá? Morro de saudades dos tempos da Academia e tenho o maior prazer em meter o bedelho. ;-P Agora... não conte com meu francês, cherrie, c'est terrible!

Beijos, fique bem.

Rita

Cris disse...

Cara, o que costuma dar certo comigo, quando estou muito focada e sem saber "pra onde ir" é dispersar um pouco. Sei lá, ver filme (ou outras manifestações) que permeiam o seu assunto, mas sem ser diretamnte ligado.

Qd a crise é muito grande, vale até uma desfocada total. sabe? pra abrir a mente.

BOA SORTE

luci disse...

velho, esse nao eh bem um post que eu tou precisando ler hahaha nossa, ja tou morrendo de medo... imagine, nem fiz anda ainda! quero pensar que vai ser lindo e maravilhoso. E VAI! :(

estou um poucquinho alcoolizada, nao senti os efeitos do seu post. hahaha tu do vai ser lindo...


né?

luci disse...

gosto de enquetes! :D

Helena disse...

Oi Amanda, sou gaúcha e estou morando há um ano em São Paulo, mas "sigo sendo do sul", então, acho que posso te ajudar com o questionário.

Sobre o mestrado: boa parte dos meus amigos que fizeram mestrado aqui no Brasil tiveram uma grande crise ou entraram em depressão! Talvez por isso eu esteja postergando o meu há algum tempo...Só acho que o número de folhas depende mesmo da área ou da universidade, mas acho que a média por aqui é 150 páginas.

Um abraço e bonne chance com a dissertação.

Baby disse...

Olá, Amanda!

É complicado quando a motivação sai pra passear, né... O que costuma funcionar comigo e alguns amigos, e que sempre me dizem pra fazer, é tentar abstrair um pouco, fazer alguma coisa pra distrair, alguma coisa totalmente alheia ao assunto, pra relaxar antes de começar a quebrar a cabeça de novo.
Bom, não custa tentar.

Ah! Estou no último ano do curso de Letras com habilitação em Francês, e estava, ontem mesmo, pensando na possobilidade de um mestrado na França. Pra minha surpresa a primeira coisa que li ao entrar na internet hoje foi seu post sobre isto...
É sempre bom estar ciente das condições e dificuldades. Não sabia desta parte de serem dois anos quase independentes.

Sou de São Paulo, acho que não posso te ajudar com a sua pesquisa, mas se precisar de alguma coisa é só dizer.

Agora vou procurar mais informações sobre o mestrado e mais possibilidades... Não custa tentar, né...

Bonne chance!
Biz

Amanda disse...

Eh verdade que o tamanho das dissertações dependem bem mais das univesidades e professores do que dos paises, mas é que eu tô tão frustrada que fiz um drama sem querer, hihihi. Exagerei mesmo. Eu sei que a dissertaçao é fogo em qualquer lugar do mundo, alias, um amigo acabou de entregar a dele, me mandou uma copia e eu vi o trabalhão que ele teve. Não to querendo desmerecer o trabalho de quem fez mestrado no Brasil não, achei melhor esclarecer! Mas o que me irrita é essa regra de DUAS dissertações na França... Caraca, ai é demais, né?

Agradeço as dicas e os emails das voluntarias do questionario! Muito obrigada mesmo, vou entrar em contato com vcs ainda essa semana (tenho que ajustar as perguntas). Acho que nessa semana eu vou render mais!! :) Beijos!!

Bel Boucher disse...

acho que não preciso comentar, né? Um dia faço um post

Aline Mariane disse...

ai, sério? E eu empolgadissima em me inscrever esse ano! Agora tenho mais um medo; além do medo de nao entrar, o medo de nao sair... Ainda bem que ja vai ter dado tudo certo com vocês e vao poder me dar todas as dicas, né?! heheh!

Emiliana disse...

Oi Amanda! Não sei se ajuda...mas nunca conheci ninguém que escreveu uma dissertação ou tese feliz e saltitante...rsrsrsr...TODOS os meus amigos e euzinha, na época de escrever ou mesmo da parte prática (que na minha área biológica costuma dar certo quando o prazo tá acabando!!!!:0) ficávamos todos desanimados, esgotados, angustiados...Não consigo imaginar ter que viver isso em outra língua! E olha que na época em que escrevia minha tese de madrugada meu Gabrielzinho ainda acordava assim que eu deitava esgotada para pedir mamadeira...rsrsrs...
Mas uma coisa que me ajudava muito era ir a um boteco com meus amigos e blasfemar contra tudo, coitado do orientador, dos ratos, dos vírus, etc, etc...dava boas risadas e depois voltava pra casa aliviada! :)
Então fique calminha que tudo vai dar valer a pena!!!
Ah...por aqui não tem aqueles botecos copo sujo né! Qta falta me faz!!!
Beijos e força!

Luiza disse...

amanda

adorei teu blog. Também faço mestrado na França e tb tenho um blog sobre Paris.Encontrei seu blog pelo Le croissant e tenho certeza que vous visitar com mais calma, pois já vi q temos muita coisa em comum...

grande bjo
luiza
www.oguiadeparis.blogspot.com

luci disse...

rapaz, tá pensando o que? esse negocio de nao atualizar blog eh coisa minha, deixe de ser invejosa. escreva!

Carol disse...

Estou indo para Paris no fim do ano ficar alguns meses.
Adoro o blog!!

Nathalia disse...

Oi Amanda!
Sou gaúcha de Porto Alegre e to amando o teu blog (conheci hoje, me salvou de uma tarde extremamente entediante no meu estágio)! Adoro questionários hahahaha ainda tá valendo? Bom, vou deixar meu email nathalia_gonzales@hotmail.com, espero que possa ajudar :D Beijo!

Mariana disse...

Olá Amanda, adorei o seu blog. Estou querendo fazer mestrado na França, existem muitos sites que ajudam mas nada como conversar com alguem que já está la A minha área é arquitetura, não sei pq, mas sempre que vejo editais de seleções sempre tem umexceto arquitetura, a seleção para arquitetura é sempre diferente. Conheces alguem que passou por essa experiência?
desde já, grata.

Anônimo disse...

Como posso fazer este mestrado?

Márcio LEite

Anônimo disse...

Como posso fazer este mestrado?

medbank@ig.com.br
angiox@ig.com.br

Márcio Leite

Luiza disse...

Oi Amanda, vou me formar no final do ano em Administração pela PUC-SP.
Gostaria de aplicar para o M2 em algumas universidades que vi que oferecem o curso todo em ingles (possuo ingles intermediario-avancado, e nada de frances).
O problema é que como me formo em dezembro/2013 e as aulas na França só começam em Setembro/2014, meus planos são ir para a Australia aperfeiçoar meu ingles (e nao perder tempo esperando no Brasil, caso eu nao passe em nenhuma universidade na Franca).
A dúvida é: Como estarei fora do Brasil, nao poderei fazer o procedimento via Campus France...eu faria tudo diretamente com a universidade e só quando soubesse se fui aceita voltaria para o Brasil para tirar o visto. Voce acha que fico em desvantagem por nao estar sendo intermediada pelo Campus France?

Voce sugere aplicar para o M2 mesmo? Sei que é possível pois minha graduação é de 4 anos, porém vc acha que eu teria muito mais chances de passar se aplicasse para o M1?

Muito obrigada! E parabéns pelo Blog..me ajudou bastante! :)

Amanda disse...

Oi Luiza, infelizmente eu não sei nada sobre esses trâmites administrativos de visto de estudante. Sugiro vc falar com alguém da Campus Frances mesmo e explicar sua situação! Beijos!

alysson casusa disse...

bom dia!
Sou de João Pessoa -PB e estou terminando o curso de odontologia agora em junho. E quero fazer Pós- Graduação na França. Recebi algumas informações com um amigo e gostaria muito que alguém pudesse me passar outras informações sobre emprego na minha área, onde posso trabalhar e fazer minha Especialização?

Obrigado e sucesso a todos!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...