quinta-feira, 10 de junho de 2010

Fé e pensamento positivo

Na minha época de nadadora eu acreditava muito no poder da mente. Naquela coisa de "querer é poder", que hoje eu acho um pouco clichê e um tantinho ridiculo, mas que ja me ajudou muito no passado. Sim, eu continuo acreditando, mas acho que tenho esquecido de usar nos ultimos anos, redirecionando para meus novos objetivos.

Descobri que não podia ter um excelente resultado na competição sem me concentrar antes. Eu tinha que parar pelo menos 15 minutos, pensar no que eu queria fazer, na minha capacidade de ganhar, nos treinos duros que tinha feito pra chegar ali. Acostumei a mentalizar antes toda a prova que ia fazer: eu imaginava a saida, a entrada na agua, a primeira braçada, via minhas pernas batendo com força, fazia uma virada rapida e acelerava no final. Quando todo mundo ja estava cansado e me via chegando na frente. Eu ficava cansada so de pensar, mas não era um cansaço de desânimo, mas de excitação, de ansiosidade, de vontade. E então eu conseguia encontrar dentro de mim a coragem e confiança de cair na agua e fazer o que eu sabia fazer.


Eu adorava competir e não havia melhor sensação do que sentir toda aquela adrenalina no meu corpo, aquela bomba pronta a explodir no primeiro contato com a agua. E quando tudo tivesse terminado, sentir o cansaço, a necessidade de respirar todo o ar do mundo, mas também a satisfação de ter dado o meu melhor. E sem aquele pequeno ritual de concentração antes, nada disso seria possivel.

Minha treinadora era especialista em motivação. Ela fazia a gente acreditar. Ela dizia que tinhamos que pensar positivo, que tinhamos que trabalhar a mente para ganhar uma competição. 70% fisico, 30% mental, ela repetia. Eu acreditava.

E o que é isso tudo senão uma fé? No fim das contas, é pra isso que as religiões servem: pra motivar, pra encorajar, pra te dizer que você merece e que você vai ter. A oração nada mais é que uma concentração em terceira pessoa - em vez de pedir a você mesma, peça à Ele. Em vez de se convencer que você treinou duro e pode conseguir, você tenta convencê-lo de que é uma boa pessoa e deveria ter seu pedido atendido. Acreditar tanto assim, são pensamentos positivos que te envolvem e te favorecem.

Ja disse que não acredito em deus. Mas acredito no poder das orações (feitas por quem acredita em deus, claro) pela energia positiva que emanam. Acho que nosso cérebro tem capacidades fantasticas, mas como ele ainda é tão desconhecido, atribuimos injustamente todo esse poder a outros fatores. Por isso eu gostaria de aprender a meditar, a fazer ioga, entrar mais em contato comigo mesma. Ja não tenho mais a natação pra servir de catalizador obvio para meus pensamentos positivos, mas acho que eu deveria tentar usar essa energia para outros fins. As vezes tenho a impressão que eu passei a ser minha pior inimiga, como fazer para essa energia voltar a jogar em meu favor?

15 comentários:

Helô Righetto disse...

nossa Amanda, eu sempre me identifico com seus posts! Tbem penso assim, mesmo eu nao sendo religiosa, que a energia positiva existe e vale a pena se vc acredita nas suas crencas!!! adoro seu blog, uma luz no fim do tunel em meio a esses blogs cheios de baboseiras (inclusive o meu). da proxima vez q for a paris te aviso, quem sabe a gente se encontra! bjs helo

Amanda disse...

Oi Helo! Obrigada! Quando vier pra Paris avise sim!! Farei o mesmo se for a Londres. Beijos!!

Carol Nogueira disse...

Amandita, como é que pode você falar disso tudo com tanta beleza e tanta convicção e não conseguir direcionar essa sensação toda a seu favor? Te lendo, pensei que, na natação, essa energia toda era canalizada para a competição. Será que não é a falta de competição (que ao meu ver é uma coisa excelente, uma evolução) que está te desmotivando? Se for o caso, o caminho fácil é encontrar uma competição qualquer que te atraia. O difícil é encontrar essa motivação simplesmente para se fazer feliz. Desafio gigante, mas satisfação garantida. :) Beijo. E esse encontro SAI OU NÃO SAI??? ;)

Ana Duarte disse...

Ola Amanda, lendo seu post me identifiquei muito. Mesmo porque estou numa fase assim... as vezes repito pra mim mil vezes que tenho que pensar positivo, que sou capaz de muitas coisas. Mas nao é facil...acho que é uma luta diaria (pelo menos pra mim). Estou tentando mudar, pq eu seu que isso pode mudar muita coisa na minha vida. Obrigada pelo post, me fez refletir! E espero que vc reencontre o caminho da positividade.
Beijos

Bárbara Dayrell disse...

oi Amanda!!!
Concordo muito com o que você disse e sempre acreditei que se a gente acredita de verdade que pode fazer alguma coisa, conseguimos. Isso pra mim é a mesma coisa que as pessoas religiosas fazem, elas acreditam que Deus vai fazê-las conseguirem, e conseguem. So muda o nome da coisa...
Você já leu "A Profecia Celestina"? É bem legal, fala de energia, e etc, e cada vez que leio tenho uma interpretacao diferente...

Gisele disse...

Eu sempre fui adepta do pensamento positivo. Quer dizer, acho que na verdade do otimismo. Sera que é a mesma coisa ? Sempre imagino o que desejo acontecendo da maneira com que sonho, e se nao da certo no final, tento ver o lado bom. Falo pra mim mesma que algo melhor deve estar por vir. Funciona muito bem pra acalmar o espirito.

Tulin disse...

Eu acredito muito nisso... mas vc Mandita? Nunca pensei! hehehe

De qualquer forma, é impressionante a questão da mentalização. Física quântica, Deus, Fé, seja o que for, tem um fundamento.

Esse fds mesmo... tive exemplos disso jogando buraco. Sorte ou mentalização? Sei lá! Só sei que é mto bom brincar com isso. Sem contar que as religiões orientais baseiam suas condutas nesse tipo de prática.

E por falar em mentalização, há muito tempo, qndo ainda moleque, li um livro chamado "O livro de ouro de Saint Germain". Nele é possível identificar claramente, através de célebres frases atribuídas a Jesus, a conotação positiva dos “ensinamentos”.

Pode soar estúpido para alguns, mas a ciência de hoje, por mais inovadora que possa parecer, é baseada em velhas teorias. E, a meu ver, talvez seja inviável comprovar algo alijado das atuais regras utilizando-se de antigas teorias.

Ou seja, se não posso dizer sim, também não posso afirmar que não.

Iara disse...

Lindo post, Amanda.

Sabe, eu sou como você. Também não acredito em Deus, mas no poder das orações eu creio muito. Quando uma pessoa me diz "Deus te abençoe", com força e sinceridade, fica muito claro pra mim que ela tá mentalizando o meu melhor, e eu fico muito grata.

Também tenho aversão a discurso auto-ajuda, acho que ele tende a ser alienante ao ignorar dificuldades oriundas de contextos históricos e culturais, mas acredito muito na motivação pessoal. Quando analizo a minha vida, vejo que tudo que me era verdadeiramente caro e importante e consegui. Mas a gente tem que saber querer, saber do que terá que abrir mão, saber escolher. E aí aí que mora a dificuldade da coisa: a gente às vezes quer ter tudo.

Rita disse...

Oi, Amanda. Você já mencionou no post o que eu daria como resposta à sua pergunta no final: yoga. Até hoje não encontrei nada melhor para me fazer parar e olhar para dentro de mim mesma e encontrar ali, às vezes escondidinho, minha fonte de energia. Recomendo com força.

Beijos
Rita

Glória Maria Vieira disse...

Uau, Manda! Eu sou como você com o diferencial de que eu não sei ainda se creio, ou não em Deus. É uma das perguntas que vem martelando a minha cabeça há um bom tempo. MAS eu acho que chegarei a uma conclusão um dia. ASUHAUHSUAHUAHSH
Eu sou muito insegura, muito negativista em relação a algumas coisas minhas. Outras eu sou insegura, mas não sou tão negativista, ou não sou negativista.
Eu já parei tanto pra 'rezar' pra agradecer, pra pedir. E durante minhas orações, até hoje, uma coisa me foi negada assim podemos dizer. Porque eu nunca a tive. E eu não falo de uma coisa material não. Eu conversando com uma amiga minha um dia desses, ela disse que poderia ser egoísmo da minha parte, mas eu não pedia mais do que reciprocidade, entende? Mas não é porque eu não fui 'atendida' que eu passei a duvidar da existência de Deus que isso fique claro.
E assim como você, eu queria poder entrar mais em contato comigo mesma pra aprender a lidar com minhas emoções que, por vezes, atropelam tudo. UAHSUHAHSUH =/
Enfim, Manda, não sabia que você sera nadadora! Que barato! \o/

Aline Mariane disse...

que texto bonito!!
Você esta cercada de pessoas cheias de boa energia (olha so os comentarios!), aproveite!!!

XMaritoX disse...

Motivação é seu texto! hahahaha Não tenho comentado mas sempre passo por aqui! Final de semestre corrido...

Amanda disse...

Carolzita! Sabe que vc tem razão? Deve ser isso mesmo, a competição me estimula e não sei funcionar sem esse incetivo... Desafio gigante mesmo! Tenho que competir comigo mesma!

Esse encontro SAI! Meu mémoire foi adiado por causa de problemas pessoais da prof, mas daqui a pouquinho to livre pra sempre e a gente marca alguma coisa!


Ana, que bom que meu post serviu pra alguma coisa, hehehe! As vezes é dificil ser sempre positiva. Eu, pra umas coisas sou muito otimista, mas pra outras... Tomara que vc consiga essa mudança que esta tentando, estou mandando pensamentos positivos daqui! :)

Barbara, o meu problema é pensar que o contrario tbm pode acontecer. Tipo, se a gente pensa muito numa coisa negativa estamos atraindo ela? Morro de medo! Não li esse livro não, vou procurar se tem aqui na França.

Gi, bem aquele papo do outro dia né? Deixa o Marcel ler isso, hehehe! Eu tbm tento ver o lado bom das coisas, mas às vezes é tão dificil, né? Isso que eu acho impressionante: sempre que eu penso "dessa vez não tem nada de positivo", acaba acontecendo algo pra me contradizer. Agora to aprendendo a confiar no "destino".

Tulinho, pq vc se surpreendeu? Ahahaha! Eu sou meio contraditoria mesmo: quem não é? Tbm acho que a ciência ainda não sabe de quase nada, mas é tudo que temos, né? Um dia chegamos la.

Amanda disse...

Iara, eu tbm fico muito agradecida quando alguém diz que reza por mim. Quando fui no Brasil da ultima vez, minha familia fez uma corrente de oração (metade catolica, metade evangélica, olha que harmonia) pra mim e pra minha priminha que nasceu. So pode sair coisa boa dali, né? Imagina a energia boa!

Rita, confesso que tenho preconceito com ioga. Eu sei que é otimo, mas tenho medo de cair naquelas iogas de academia, sabe? Queria ter certeza de fazer ioga de verdade, mas não conheço ninguém que faça pra me indicar. :/

Glorinha, se você não teve seu "pedido realizado", talvez tenha sido pro seu bem. As vezes a gente deseja coisas que mais atrapalham do que ajudam, sem saber. Quem sabe um dia vc vai falar, poxa, que bom que aquilo não aconteceu!

Obrigada Aline! Eh mesmo, viu quanta gente bacana que frequenta o blog? So comentarios de alta qualidade, que acrescentam muito à discussão. Aprendo um monte nessa blogsfera.

Marito, acho que vou virar tecnica de natação! Vou motivar todos os meus alunos, hehehe! Boa sorte ai no fim do semestre!

Rackel disse...

Nossa, compartilho plenamente a sua opinião.

Como vc conseguiu traduzir tao bem o q tenho na mente sobre esse assunto? Eu nunca consegui explicar isso em palavras, e olha q já tentei horrores.

É frustrante que as minhas palavras nunca tenham saído da forma como deveriam, sobretudo quando é esse o assunto... Me lembro q na facul eu tinha um monte de amigas evangelicas e como eu nao acreditava em deus, sempre caíamos em alguma discussao sobre o tema, visto que eu tentava explicar que acreditava no ato de canalizar a força do pensamento (como elas faziam na igreja), mas nao achava necessario que isso se fizesse à tal terceira pessoa - no caso, deus.

Putain, acho q vou até enviar esse post para algumas delas! rsrs

Olha, fazia tempo q eu nao vinha aqui, mas to vendo que deveria voltar com mais frequencia!
=)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...