quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

Casamentos coloridos não valem um visto

Da ultima vez que fomos na imigraçao renovar meu visto, o cheri teve uma revelaçao: "Sera que o motivo deles sempre implicarem com a gente é por nao usarmos alianças?". Nunca tinha pensado nisso, mas faz todo sentido! Se eu soubesse que umas argolinhas evitariam tanto desgaste fisico e mental, tinha até arranjado umas pra usar durante o dia. Mas sera que eles nao pensam que quem casa pela nacionalidade vai obrigatoriamente usar alianças e saber direitinho a data do casamento? Acho até que eu desconfiaria mais daqueles que parecem um casal perfeito demais... Acho muito engraçado que o governo te obrigue a casar e depois ainda quer exigir que você aja como se o dia do seu casamento tenha sido o melhor da sua vida. Eles querem o que? Que eu me emocione cada vez que perguntarem quando eu me casei e mostre orgulhosa minha sagrada aliança?

Ontem fiquei sabendo de um brasileiro que esta sendo ameaçado de expulsao porque a imigraçao nao acreditou no casamento dele com uma francesa. Parece que separaram os dois para fazer perguntas e ambos disseram que cada um saia com seus amigos e nao saiam muito juntos. Pronto, a imigracao decidiu que eles nao eram um casal de verdade. Na realidade eu nem sei se eles eram ou nao casados de verdade, nao deu pra perguntar os detalhes no meio da aula, mas acho um absurdo o governo decidir se a sua relaçao vale ou não um visto para a França. Sera que se me separassem do cheri para fazer perguntas a gente também seria considerado como um "casamento branco"? Suspeito que nossas respostas seriam todas diferentes. Quando vocês se conheceram? Eu: Acho que ha uns três anos... Ele: Hum... Talvez ha uns seis anos. Quem tomou a iniciativa? Eu: ele. Ele: ela. Vocês pretendem ficar em Paris quanto tempo? Eu: pretendemos ir embora o mais rapido possivel. Ele: Depende do trabalho que a gente conseguir, o doutorado, etc. Expulsao na certa.

Mas o atual ministro da imigraçao francês, Eric Besson, disse que a nova ameaça não são os casamentos brancos, mas os cinza, que é quando os malvados estrangeiros se aproveitam da ingenuidade romantica dos franceses para ingressar na terra prometida da França. Sim, os estrangeiro fingem amar os franceses so para conseguir um visto, minha gente. Coitados desse pobres gauleses, que sao usados sem do nem piedade e sequer percebem que sao alvo de uma grande fraude sentimental. So que agora o senhor ministro esta pensando em processar um radialista que ousou sugerir que sua namorada tunisiana de 22 anos não esteja com ele pelo seu charme irresistivel de senhor de meia idade e nem pelo seu fisico invejavel de politico barrigudo.

Assim como eu acho que politica e religião devem andar separados, acredito que a politica não tem o direito de se meter na vida sentimental dos outros. Como julgar se um casal é de verdade ou não? Se seguirem ao pé da letra tudo o que um casal "normal" faz, como usar aliança, sair juntos o tempo todo, ter conta conjunta no banco, ter filho? Po, tem um monte de casais que prefere morar em casas separadas, o que é a prova maior de um casamento branco. Para mim, ditar o que devo ou não fazer na minha vida a dois é tão ruim quanto me obrigar a ir na missa todo domingo.

10 comentários:

Aline Mariane disse...

tive que ler traduzindo o post pro meu namorado, ops, marido. Otimo!!! Depois do casamento, o que mais escuto é: "onde estao as alianças?" (nao tem) e "Madame Sobrenome-Dele" (sendo que NAO vou mudar nenhum documento).
Agora vou ter que escuta-lo zoando o tempo todo "ah, você queria um casamento cinza..." hehehe
Bjss!

Mariana disse...

Tae um problema que eu não tive! Casei com um brasileirissimo marido, então meu casamento não tem cor alguma. Ou talvez seja multicolorido, quem sabe? o fato é que depois dos filhos, a discussão acaba de vez. Querendo ou não, aquela pessoa que te ajudou a gerar o rebento do casal, vai estar na sua vida forever, com ou sem visto francês.
Agora essa questão do sobrenome do marido, (Aline), pode desistir minha cara. Eles ignoram solenemente o fato do seu documento mostrar seu sobrenome de "jeune fille". Simplesmente ignoram. Depois de passar muito tempo tentando explicar e insistir, confesso que j'ai laissé tomber. é tão complicado para eles entenderem esse esquema de nome de solteira pra sempre e crianças com sobrenome da mãe e do pai, que não vale à pena. A perda de tempo é muito grande, sabe?
bjuus!

Helena disse...

Ótimo post Amanda! Eu sempre fico pensando nisso também, que já te obrigam a casar para poder viver junto (isso no BR e na FR), e ainda querem dar palpite em como tu deve conduzir esse casório?! Ah, para!

Bom, dando um relato do outro lado, posso garantir que o governo brasileiro não se mete nada na vida sentimental dos casais de nacionalidades diferentes. Maridón foi sozinho, sem aliança, na PF em fevereiro entregar documentos e foi sozinho, sem aliança, agora em outubro buscar o RNE, válido por 10 anos, e nunca dei as caras, nunca recebi telefonema, nem visita da PF para ver se éramos casados. Acho que pro governo brasileiro, estrangeiros a mais não são um problema, até porque regularizaram todos os estrangeiros irregulares que chegaram no Brasil até fevereiro desse ano.

Sobre o sobrenome: também mantenho o meu de jeune fille e por aqui é tranquilo (é até mais fácil porque não precisa trocar toda papelada e não precisa ficar com um sobrenome gigante, já que não se pode mais suprimir um dos sobrenomes para acrescentar outro), mas já ouvi falar que na FR é como a Mariana relatou: as mulheres acabam desistindo porque o banco, la poste, ninguém vai entender que tu não quer usar o nome do maridón...

XMaritoX disse...

Daqui a pouco o cara vai colocar agentes do governo convivendo por um tempo com o casal, pra ver se está tudo certinho...se o amor é físico tb! Eu fiquei comovido de saber que os franceses são tão romanticos e inocentes...
Esses exóticos conquistadores estrangeiros...com suas armas sedutoras...onde vamos parar?

luci disse...

eu soh repetiria o que as meninas falaram se eu resolvesse comentar esse post. eu deixei de ficar puta pelo "mme marti salguero". mas quanto a aliança, ainda nao sofri com isso. sofria no brasil! nossa, era foda!

eu passei o carnaval (2009) em olinda. eu, minha melhor amiga e um amigo fomos de carona com um cara que a gente nao conhecia (mas que era amigo de alguem da casa em que iamos ficar). fui no banco da frente e notei que o cara me olhava meio esquisito, como se tivesse afim de comer. na primeira oportunidade, disse que eu era casada. ai o cara disse na hora "ah, minha filha, como eh que voce quer que eu entenda? voce vem pro carnaval de olinda sem seu marido! SEM SUA ALIANÇA... bla bla bla" como assim, cara palida, "como eh que voce quer que eu entenda?". como se eu tivesse que dar satisfacao a todo mundo! como se eu soh pudesse andar com camilo pregado em mim! como se eu nao pudesse curtir um carnaval! e pior: quando contei isso a minha mae, ela ficou transtornada e passou um mes pedindo pra eu usar uma "aliançasinha".

ate parece...

ah, e outra, ta pensando que ele parou de dar em cima? ficou roçando a perninha dele na minha na primeira oportunidade. eca, velho. meu macho nao tava de lado, sabe, amanda... entao eu num sou de ninguem...

Amanda Lourenço disse...

Eu tbm nao mudei o nome, e a maior parte dos documentos vem so com meu nome mesmo. Quando tem que completar algum formulario, eu so coloco o nome de jeune fille. Mas parece que agora os homens tbm podem adotar o nome da esposa, so que com certeza a burocracia francesa nao ta preparada pra isso. Mas tbm nao esquento a cabeça nao... O cheri que fica me zoando, pq sabe que eu nao gosto, hehe.

Quanto às alianças raramente alguém falou alguma coisa. Nunca passou pela minha cabeça de usar uma. A gente nunca teve uma conversa do tipo "e ai, vamos ou nao vamos usar aliança?", era tão obvio pra gente que nunca nem tocamos no assunto.

Helena, no Brasil eles são mais relaxados quanto à isso, mas os problemas são outros...

Luci, esses primatas dão nojo, né?

Mariana disse...

Sabe o que rola com essa coisa do sobrenome? Eu quando posso também deixo so o nome de jeune fille, na facu por exemplo. O problema é que sou casada mesmo, e não pacsé, então eles sempre pedem a tradução da certidão de casamento no dossier! O que acabou mesmo definindo a historia do meu sobrenome francês foi o titre de séjour, onde eles obrigatoriamente colocam o sobrenome marital de acordo com a certidão de casamento... e ae pronto, não adianta explicar nada, mostrar o passaporte com nome de solteira brasileira, não tem como mesmo! e depois de ter filho então... esquece!
Não foi por falta de tentativa ou paciência na hora de explicar... basta ser oficialmente casada e não tem mais arrego!

Sueli disse...

Olá! Estava eu na net procurando ver o que tenho que fazer para conseguir um visto francês agora que me casei com um french e eis que acho esse blog.
No meu caso, oficializamos nossa união estável por questões de visto brasileiro, já que estamos morando no brasil e aqui ficaremos por uns bons anos. Mas, gostaria de ter um visto ou algo que me poupasse do stress da imigração toda vez que vamos visitar a família.
Ah! Em relação o nome, fomos instruídos aqui no Brasil de que eu teria que adotar o nome dele, senão eles não reconhecem o casamento. Entao, tive que acatar, afinal, ele ainda sonha em voltar pra frança um dia...duro mesmo vai ser trocar o passarporte :(

Rackel disse...

Nossa, esse post é muita novidade para mim!

Até alguns minutos atrás eu pensava que "casamento" e "par de alianças" eram sinonimos...

jacke disse...

nossa vou passar por isso o mes que vem, e ja estou ate me preparndo emocionalmente pois sou meio pavio curto sabe,atualmente estou esperando o tal 6 meses de vida em comun,mesmo que ja moramos juntos a 2 anos,nao tivemos como provar isso mesmo se as minhas correspondencias esta no mesmo endereço que o dele, nao fizemos uma conta conjunta bancaria edf etc...isso porque nao estavamos pensando em casar assim tao rapido mais tambem fui obrigada depois que fui impedida de entrar na frança apos uma viagem de ferias ao brasil com meu marido(imagine o pesadelo ver ele entrar no pais e eu ficar detida no aeroporto)depois disso decidimos que nos casariamos mesmo contra a minha vontade, nao tinha outra opçao ou era isso ou entao teriamos que nos separar por conta dessa burocracia, mas gostaria realmente de poder ter planejado o meu casamento como gostaria,pois pra mim o casamento e realmente um momento especial e marcante !!! nao deu mas ta valendo o importante e que nos amamos e estamos juntos

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...