quinta-feira, 25 de junho de 2009

Troca-troca

A França é um pais de tradições revolucionarias. As cabeças reais cortadas representaram a queda do privilégio de classes e o fim da desigualdade social. Ta certo que isso foi ha muuuuito tempo atras, mas os principios que regem essa nação guardam ainda alguns desses valores. Ja o Brasil, ele foi construido artificialmente, não formado naturalmente por opressores e revoluções. Quer dizer, a primeira parte até teve bastante, mas a segunda foram poucas. Isso me lembra quando eu conheci o cheri na Australia e enquanto trabalhavamos colhendo caquis, resolvemos contar a historia dos nossos paises. Eu comecei assim : "Em 1500, Pedro Alvares Cabral descobriu o Brasil" e depois de uma hora tinha acabado. Ja ele, começou : « Na Idade Media… » e levou o resto do dia.

Mas o que quero dizer, é que hoje ha uma contradição flagrante entre os dois paises : a França é um pais de esquerda comandado por um governo de direita e o Brasil é um pais de direita comandado por um governo de esquerda. O resultado disso é que em ambos o poder de mudança dos presidentes estao limitados. E claro que se o Sarkozy pudesse, ele transformaria a França num novo paraiso capitalista, seguindo direitinho o modelo americano. Mas a tradição esquerdista impede, então ele é obrigado a fazer as mudanças devagarinho, como quem não quer nada. Ele quer acabar com as universidade publicas? Vai cortando as vagas dos professores, depois aumenta o valor da matricula, vai dando mais autonomia para cada universidade. Quer diminuir os impostos dos ricos? Diminui um pouquinho esse ano, outro pouquinho ano que vem… Mas isso não quer dizer que o povo francês não percebe, ah isso não! Nunca vi gente estar tão em dia com a politica do que eles. E se algo não esta bem, la vão eles para a rua. As universidades estão em greve ha meses, por exemplo.

Por outro lado, no Brasil, o presidente Lula não pode lutar contra a desigualdade social como gostaria, por causa das nossas raizes de direita. Nossa cultura esta na base do merecimento. Quer ter dinheiro? Vai trabalhar. Tem muita concorrencia? Seja o melhor. Todo esforço do governo é criticado com verocidade pela oposição. Reforma agraria? Nem pensar, a midia é contra. A forma de protesto é um pouco diferente, ja que a classe média so vai pra rua se for em Ipanema porque é perto de casa. Agora, ca pra nos, por que apesar dos dois governos estarem de pernas atadas, eu tenho a impressao de que o Sarkozy esta conseguindo correr bem mais rapido do que o Lula?

O discurso das pessoas tambem é interessante. Meus amigos do Brasil, de esquerda, às vezes falam umas coisas que deixariam até a direita menos extremista de cabelo em pé. Alias, descobri aqui que muita gente que se dizia de esquerda, e eu acreditava, é na verdade quase direita radical!

Um bom exemplo é a tão criticada bolsa-familia, que não por acaso é regra na França. Quem não tem emprego, tem direito a uma ajuda mensal do governo, isso é o basico. E claro que a direita critica esse modelo também, mas ela não pode simplesmente acabar com essa ajuda, se não quiser ver seu pais pegar fogo. Saude e educação são praticamente de graça (e de qualidade) para todos, e quando eu digo todos incluo os imigrantes ilegais também. Escola é obrigatoria para todas as crianças e a punição para isso é pior do que a punição por estar ilegal. Tenho uma amiga não-legalizada que tem direito a psicologo de graca uma vez por semana.

Sera que um dia as correntes politicas dos dois paises vão se inverter?

11 comentários:

asnalfa disse...

Muito bom seu texto, além de ser polêmico é claro! Sobre a pergunta final, creio que a resposta seja "não". Pq o povo nao quer mudança, o povo do Brasil sempre continuará a ser de direita e da França, esquerda. Além disso, o governo de esquerda do Brasil nem é tao esquerda assim.... tem esse negocio de fazer coligação... entao ja viu ne....
Bjos

XMaritoX disse...

Eu não sei como chegam as notícias por aí, mas o governo Lula é tão, ou mais, neoliberal direitista quanto os outros. Quem está acabando com as chances de reforma agrária é o governo atual, começou com a MP458, que favorecia os grileiros e grandes latifundiários na região da Amazônia, a MP virou lei agora a pouco. O governo está favorecendo o agronegócio em detrimento da reforma agrária. De esquerda não tem nada, favorece os interesses de uma elite fascista, que quer o pobre cada vez mais sensível ao seu controle. Se, hipotéticamente, o governo voltar para as mãos dos tucanos, as únicas mudanças serão referentes à política internacional, se houver mudanças. Nos países com algum traço de "esquerdice" na América Latina o perigo de um golpe da direita está muito real, e o governo do PT apoia isso. Chaves e Evo acham que Lula é amiguinho, mas deixa eles dormirem no barulho dele pra ver o que acontece...
O povo latino-americano é novo, o conceito de nação ainda é muito recente, acredito numa politização crescente e na quebra desse conceito. O mundo é de todos, não de poucos! Gosto do que você escreve!

luci disse...

acho que a resposta pra sua ultima pergunta tem raiz no primeiro paragrafo. o brasil é um pais novinho novinho. 500 anos não são nada. e isso, porque eu tou contando desde a época em que ele foi "descoberto", porque se for pra contar do periodo em que se começou a ter esse conceito de nação é que a coisa fica pior.

é diferente aqui e ali e as coisas ocorrem numa velocidade diferente por causa de uma coisa: do povo. camilo jah havia me dito: não ha nenhuma mudança na frança, nem pra melhor, nem pra pior, que não ocorra debaixo de protesto. onde se vê isso no brasil? hehehe presidente so não pinta e borda (mais) porque a direita tah de olho. porque o povo... ah, o povo!

giselle disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
biscoitoecha disse...

Amanda, desde que achei seu blog estou voltando nos arquivos e relendo cada pedacinho, absorvendo cada passagem, sentindo o cheirinho e vendo as cores da França, como ela é. Eu romantizo muito a França, por conta do henri cartier-bresson e da Amelie Poulain (hahaha).

Beijo.

Cris disse...

Oi, meu nome é Cristiane, sou amiga da Maíra e vivo em Portugal. Legal ver as diferenças e as semelhanças com relação aos 3 países. Portugal já é bem mais parecido com o Brasil... hehe Curto essa consciência polítca dos franceses.
Parabéns pelo blog.
abs.

Cris disse...

Ah, esqueci de dizer, tb tenho um blog, se quiser dar uma olhada...

http://notaslusitanas.blogspot.com/

Amanda disse...

Asnalfa, eh verdade, o povo vive pedindo por mudancas, mas quando elas vem, eles tem medo.

Marito, eu acho o governo atual um pouco mais de esquerda sim, se comparado com os anteriores. Acho que nao vemos muito resultado pq moramos em grandes cidades e o foco dele eh mais a pobreza rural. Agora, sabe o que eh mais engracado? Aqui na Franca as pessoas acham que o Lula eh um revolucionario, um cara do povo completamente de esquerda. Nao vamos exagerar, ne?

Luci, greve eh o esporte nacional da Franca! Aposto que vc ja ouviu essa frase! Geralmente eu sou a favor delas, mas elas incomodam bastante o cotidiano!

Biscoito (desculpe, nao sei seu nome!), quem nao romantiza a Franca? Ate eu que moro aqui ha anos as vezes fantasio um pouco. Legal que vc gostou do blog, volte sempre!

Cris, ja visitei seu blog e achei muito legal! Deixei uns cometarios por la tbm.

Jorge GOMES disse...

Amanda, gostaria de começar dizendo que seu blog conitnua muito bom, muito bem escrito e realmente quero muito que ele continue, pois ele traz debates como este, apesar de eu não estar de acordo com você neste artigo. Acontece!! :-)
Primeiro eu acho esta história de país antigo com muita história e país jovem que não explica muita coisa. Dois exemplos que podemos citar é a Alemanha que tem uma hstória que vai começar na mesma época que podemos começar a contar a história francesa, porém ainda não encontrou a sua identidade, e continua nesta busca. Esta analíse não é minha, mas diversos pesquisadores, sociólogos et filósofos entendem assim. Outro exemplo seria os Estados Unidos, que tem uma républica, uma identidade e são tão jovem quanto nosso Brasil querido.
Quanto ao fato de Sarkozy querer trazer à França a direita, eu não acho que seja bem. Pessoalmente eu acho que está començando uma época onde as regalias estão começando a acabar. Como o seu exemplo de "bolsa família" da França. Ontem o Globo Reporter mostrou os brasileiros que moram na Guiana Francesa, alguns deles já naturalizados. E uma senhora falava que como ela tinha muitos filhos ela tinha parado de trabalhar pois na o estado lhe oferecia o que ela necessitava em matéria de ajuda financeira. E assim são muitos outros franceses et estrangeiros que se aproveitam do sistema. E tem que se dar um basta nisso. Eu trabalho cerca de 10 horas por dia e tenhos estagiários e funcionários que eu gostaria de pagar mais. Mas os impostos são muito altos, para financiar algumas situações deste tipo. Quando sofremos na Préfecture para pedir/renovar a carte de séjour, estamos mais uma vez pagando os 'débordements' de alguns.
Mais uma vez parabéns pelo seu Blog, e vida longa Au Petit Journal de la Porte Dorée.

Cris disse...

Amanda, respondi seu post sobre as questões "do lar".

Olha, posso adicionar seu blog a minha lista? bjs

Amanda disse...

Oi Jorge!

O que eu mais gosto dessa historia de blog, é que eu não preciso ser imparcial!

Eh claro que respeito sua opinião, mas com certeza não concordo com ela. Acho que falar de "regalias" para o povo é algo meio surreal, pois o povo não tem, nunca teve e nem nunca vai ter regalias, ele tem apenas direitos. Quem tem regalias é o topo da pirâmide. Dizer que eles param de trabalhar pq ganham dinheiro do governo me parece estranho, pois o dinheiro simplesmente não é suficiente para se viver bem. Se quanto mais filhos a pessoa tiver, mais dinheiro ela vai ter, é importante pensar tbm que as despesas vão aumentar muito! Um bebê custa caro. Então essa ajuda é proporcional a necessidade. Pessoalmente, se não fosse pela ajuda do governo, eu não poderia estar num mestrado e nem meu namorado poderia ter voltado a estudar depois de 6 anos fora do pais. Se algumas pessoas se aproveitam do sistema para tirar proveito, mau-caratismo existe em todo lugar, mas isso não pode ser desculpa para acabar com uma ajuda que é essencial para a vida de outras pessoas.

Se os impostos fossem mais baixo, pode ser que vc pagasse mais aos seus empregados, mas a grande maioria das empresas não ia fazer isso.

O argumento de "se os impostos fossem mais baixos, dava pra contratar mais gente", pra mim é o mesmo que os brasileiros usam com as empregadas: "se o salario minimo fosse mais baixo, eu contrataria uma empregada". Seria um retrocesso, pois significaria que seu lucro seria tão grande, que daria até pra vc ter um outro empregado, pra gerar mais lucro pra vc.

Mas gostei do seu cometario, abre um bom debate! E é importante ouvir opiniões diferentes e ver que nada é ou 8 ou 80.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...