segunda-feira, 10 de agosto de 2009

A cultura da mundialização

Acho engraçado quando alguém me pergunta se eu ja me acostumei com as "diferenças culturais" da França. Ou quando alguém pergunta das dificuldades que é namorar alguém de outra "cultura". Dai eu respondo que praticamente não ha diferenças culturais e as pessoas ficam surpresas (e um pouco decepcionadas). Ora, eu tenho muito mais em comum com os parisienses do que com os sertanejos do interior da Bahia, ou com as comunidades ribeirinhas do Amazonas. Morar nesses lugares seria sim, um choque cultural. Namorar com uma pessoa de la, nossa, seria necessario muito amor pra superar as diferenças.

As metropoles do ocidente se aproximam muito mais umas das outras, apesar das enormes distancias, do que com as cidades menores do proprio pais. Elas se interconectam na velocidade da internet e criam um mundo globalizado, onde um cara de Nova York pensa exatamente como um de Madri. Ao mesmo tempo esse mesmo nova-iorquês teria grandes problemas em ter uma conversa civilizada sobre gays e imigração com alguém do interior do Texas.

Não tive nenhum problema de adaptação. Fora detalhes do dia-a-dia, como descrevi no ultimo post, não existe diferenças culturais que realmente interferem na minha vida.

Agora, um exemplo de reais diferenças culturais é o exelente blog da Aline, que esta morando no Senegal. La, mesmo na capital Dakar as coisas funcionam completamente diferentes e às vezes fico chocada com o que ela conta, como racionamento diario de agua, poligamia, e outras coisitas mas que vocês verão no blog. Destaque para a historia dos seres que moram nos baobas (lembram do Pequeno Principe, que morria de medo do seu planetinha ser invadido por essas arvores gigantes e tomar o espaço todo?). Visitem o blog, vale a pena.

11 comentários:

paulamaria disse...

Eu morei no nordeste do Brasil por um ano e meio, e menina, QUANTAS diferenças! A adaptaçãoé bem difícil sim, várias coisas de dia a dia pra dar conta, vocabulário, comida, trânsito, hábitos... Mas foi tão gostoso! Intercâmbio cultural é sempre uma boa.

Vou conferir lá o blog do Senegal, deve ser mesmo um choque. Mas ao mesmo tempo devem ter suas delícias.
:)

bises!

destinoparis disse...

realmente amanda, faz todo o sentido. metrópoles são metrópoles.
outro dia eu estava num restaurante e vi a seguinte cena:
mesa cheia, de um lado os mais velhos conversando, do outro os jovens, [com idades entre 8 e 12 anos]. todos, mas todos os jovens estavam com aparelhos celulares à mão, fazendo não sei o que.
quer dizer, esses jovens, embora fisicamente próximos, estavam na verdade distantes deles, e dos pais e tios.
o preço da tecnologia horizontal.

pergunta:
[não fique brava comigo, mas gosto de perguntar para pessoas, em vez do google.]
li uma matéria onde se afirmava que paris estava disponibilizando internet sem fio em praças, parques e outros lugares públicos, procede essa informação?
té!

Cris disse...

Ahhhhhhhhhhhh vc robou minha idéia kkkk eu andava mesmo pensando em escrever sobre isso, mas na verdade ia falar da frustração em encontrar, por exemplo, o mesmo tipo de artesanato. Hábitos e culturas q se perdem ou se aproximam devido à globalização.

Aline Mariane disse...

Que honra ser citada no seu post!! Brigada!! =o]
Pois é, meu namorado também é francês, morei um tempinho em Paris e nao vi grandes diferenças de Sao Paulo, ao contrario.
Agora aqui em Dakar a historia é outra. Verdade que algumas coisas eu acostumei mais rapido que ele por "estar no meio do caminho" como calor, mosquitos e a comida... Mas outras, temos a impressao de ser alienigenas!! hehe
Bjss!!

Navegadores da Razão disse...

Tem diferenças que agente adota no ato...que massa!Bum! já tá fazendo igual.Outras...não dá.

A urbanização tira bastante o prazer das diferenças, realmente.
Mas que pena ne?

Caso não saibam disse...

rapaz, você disse tudo no segundo paragrafo. é OBVIO que uma pessoa que sai do nordeste brasileiro e vai parar em lyon (iêi \o/) vai sentir uma diferença. mas não é o caso de eu perder meu sono e bolar maneiras de me "sentir em casa".

os franceses sempre SEMPRE me perguntam se eu me adaptei ao frio, se eu gosto da comida daqui, se eu gosto das pessoas da frança. "e por que não?"

gostei da indicação do blog!

(depois, se eu lembrar, vou fazer um paragrafo em algum post falando sobre certas mudanças de atitude desde que cheguei aqui...)

sempre bom te ler!

beijos!

Amanda disse...

Paula, as diferenças são otimas mesmo! Eh uma pena que nas metropoles ja não exista mais a 'cultura local'. Sou louca pra morar no nordeste, acho que me adaptaria facil facil..... :)

Destino, a geração 100% tecnologica ta chegando! Nos somos so o inicio, imagina as crianças de hoje, como não estarão daqui ha 10 anos? Quanto à internet wifi gratuita é verdade sim. Mas, acho que não funciona la essas maravilhas não. Tentei usar umas 10 vezes e consegui a metade delas, com alguma dificuldade! Mas foi sempre no mesmo parque, vai ver que la não tinha um bom sinal. De qualquer forma tem varios cafés que tem, de graça e se vc tiver sorte, pode ter um vizinho caridoso como o meu que deixa o sinal dele aberto pra todo mundo. E a internet é bem baratinha por aqui, 30 euros com boa conexão, telefone ilimitado e tv a cabo. Ta bom, né?

Cris, não tem nada disso não, viu?! Hehehe! Faz o seu post, pra gente poder comparar se tem diferenças entre Lisboa e Paris! Essa coisa dos produtos é verdade mesmo! Comida então! Seria legal se a gente so pudesse comer as coisas tradicionais em cada lugar, mas ao mesmo tempo, nos, que moramos fora, coo iriamos sobreviver? Hehehe.

Amanda disse...

Aline, seu blog é muito bom, acho que ele deveria ser lido por muita gente!

Rosa, e a adaptação tbm varia de pessoa pra pessoa, né? Acho que algumas estão mais abertas do que outras.

Luci, sério que tem muitas diferenças entre João Pessoa e Lyon? Como é capital achei que tava no time das metropoles. Tem que contar pra gente essas diferenças la no teu blog!

Anônimo disse...

Que indicação ótima !

Carol Nogueira disse...

Nossa, Amanda, jura? Pra mim, do ponto de vista prático (consumo, hábitos cotidianos, etc) eu concordo com você. Mas do ponto de vista mais subjetivo (eu e as subjetividades), quanta diferença... As relações dos franceses com suas famílias, com o desconhecido na rua, o humor deles de cada dia... Sinceramente, me sinto mais próxima da comunidade ribeirinha do que da minha vizinha aqui em Paris. Palavra.

Pablo disse...

Olá Amanda, não sei se você lê os comentários mas gostaria de fazer uma pergunta.
Você disse que não há muita diferença cultural entre as pessoas de Paris e São Paulo ou entre as pessoas que vivem hoje em um mundo globalizado, enfim, minha pergunta é: se você já namorou algum francês, realmente não tinha nenhuma diferença cultural? Eu discordo um pouco de você, até por experiência própria e também por relatos de minha tia e amigos. Igual brasileiras não há! Afinal, quem gosta de "french kiss' são os americanos!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...