sexta-feira, 2 de outubro de 2009

Quando a lei falha

Um caso me chamou atenção nesses ultimos dias no jornal. Uma mulher de 42 anos foi sequestrada enquanto corria no parque. O surpreendente é que ela conseguiu avisar a policia ligando do seu celular de dentro da mala do carro, onde foi colocada, e ainda conseguiu dar placa do carro do seu agressor! A policia começou as buscas imediatamente e o caso logo apareceu na midia. O dono do carro foi encontrado e informou que seu veiculo era usado pelo caseiro. Algumas horas depois, o caseiro apareceu com a maior cara lavada e negou o sequestro.

Duzentos policiais à pé, à cavalo e em helicoptero foram mobilizados para procurar a vitima, na região onde eles conseguiram captar o sinal do seu celular. Nada, não conseguiram encontra-la. Começaram a fazer pressão no caseiro (que alias se chama Manuel Ribeiro da Cruz, ja viram nome mais francês do que esse?) e logo descobriram que ele havia sido condenado em 2002 pelo estupro de uma criança de 13 anos. Ele havia sido condenado a 11 anos de prisão, mas foi liberado depois de 5 anos, com a condição de participar de reuniões do AA. Diante de sua determinação em negar a culpa, a policia fez um exame de DNA de suas unhas e encontrou o DNA da vitima. Eu juro que ainda tinha esperança de que encontrassem a moça viva, como nas séries policiais, mas não teve jeito, assassino indicou onde tinha deixado o corpo da mulher e ele foi logo encontrado.

A partir dai a discursão tomou um novo rumo aqui na França. Esse é o tipo de caso que pode pressionar uma mudança de lei, ou novas medidas de repressão. Como pode o cara estuprar uma criança de 13 anos e ser solto cinco anos depois? O ministro do interior, Brice Hortefeux, disse que essa morte poderia ter sido evitada, vide o passado do criminoso. Pronto, a polêmica foi oficialmente lançada. E então o porta-voz do UMP, o partido do Sarkozy, trouxe de volta o debate de usar ou não a castração quimica. Ele disse: "Sera que não devemos decidir pela pratica da castração quimica para individuos como esse?". O PS criticou dizendo que a direita esta tão obcecada com a segurança nacional que esta tomando medidas estapafurdias. Acho que essa é a primeira vez que sou obrigada a concordar com a direita. Não tolero crimes sexuais. O argumento de que é uma punição cruel não cola pra mim. E nem acho que seja cruel, afinal de contas não vão cortar o pinto do cara fora, é so um remédio que tira o desejo sexual da pessoa. Tudo bem que tem varios efeitos colaterais, mas se é para evitar estupros e até mortes, eu acho que é muito valido.

Eu coloco os crimes sexuais numa categoria à parte. Em relação aos criminosos comuns, eu acredito no argumento da falta de educação e da desigualdade social, e compreendo suas escolhas. Eu que não ia ficar sentadinha olhando meu irmão passar fome enquanto a madame passeia com seu poodle. Mas estupro não tem nenhum entendimento. E se o desejo sexual é tão forte a ponto de uma pessoa atacar alguém, pôr na mala de um carro, estuprar e depois matar, ora, nada mais natural, com o avanço cientifico que temos, do que tirar o desejo sexual do cara com um remedinho. A Dinamarca, a Bélgica, a Alemanha ja usam esse método. Sera que a França sera a proxima?

9 comentários:

Helena disse...

Esse caso também chamou muito a minha atenção. Mas não sou a favor da castração química: é a mesma coisa que cortar a mão do ladrão, cortar a língua dos mentirosos/delatores (seria bom para os políticos, não?), apedrejar a mulher adúltera, e outras coisas do gênero. A falta de desejo também não vai impedir um sádico de praticar um crime. O que eu defendo, num caso como esse, é a prisão perpétua.

Só uma correção em relação ao teu texto: o criminoso não matou a primeira vítima, ele sequestrou e estuprou. Depois, quando foi liberado, foi morar na mesma região em que morava a menina! Isso, sim, foi um absurdo. E ele deixou a prisão sob "strictes mesures de contrôles", o que quer dizer que ele tinha um acompanhamento da polícia (ou deveria ter...)

asnalfa disse...

Talvez isso pegue na França. Mas aqui no Brasil é impossivel!! Na nossa constituicao diz que nao deve existir penas crueis.
Eu tb sou contra esse tipo de castramento. Se o cara quiser, ele pode estuprar a vitima usando um consolo, dedos, lingua, um pedaço de madeira...

Raiza disse...

Eu sou super a favor de penas mais severas.Tipo prisão perpétua como disse a Helena,mas quanto a castração química eu não acho que funcionaria.Por que o estuprador não comete o crime por que tá com tesão.Ele comete o crime pra mostrar pra vítima quem é que manda.Ele tá interessado na violência,não no sexo.Então tirar o desejo sexual (que eu honestamente acho que a castração química não conseguiria,já que sexo não é só hormônio)não funcionaria.Mesmo que o pinto não suba,ele poderia estuprar a vítima de outras maneiras como disse o Asnalfa.Acho que castrar e soltar é uma medida meio preguiçosa.Agora,se quiserem trancar na cadeia,jogar a chave fora E castrar,aí têm todo o meu apoio.

Cris disse...

Existem vários tipos de taras - nada saudaveis - infelizmente! Para o caso do cara q só comete o crime pq tem uma perversão diretamente relacionada ao desejo + ereção, o remedinho dá certo, mas nos outros casos, como já foi dito... não resulta.

Pior, o remedinho pode "maquiar" e ajudar a libertar tarados de outras origens. Ou até revoltar alguns e resultar em mais crimes.

De qq forma não sei se sou contra penas crueis em caso de crimes sexuais. Por mim, pode corta o pinto deles hehehe

luci disse...

pois bem, esse tipo de crime SEMPRE me choca porque eu sempre penso "poderia ser comigo". acho que soh dessa forma a gente pode entender (melhor) a seriedade da coisa. quando discuti com camilo sobre esse post, ele tava tentando ser parcial e eu disse "camilo, essa mulher era esposa de alguem, mae de alguem, filha de alguem. e essa mulher poderia ser EU". ai a gente começa a pensar em castracao e coisas do tipo. asnalfa falou que o cara poderia continuar praticando a violencia sexual com um pedaço de madeira. eh verdade, mas eu ainda preferiria um pedaço de madeira do que o cara em cima de mim! pra mim a castracao quimica poderia ser uma saida. ela eh reversivel, nao? porque, do contrario, seria um pouco pesado. imagina se algum cara eh castrado injustamente?

Lo disse...

Oi, Amanda! Faz tempinho que acompanho por aqui...Hoje dou minha opiniao: olho por olho, dente por dente!! o problema é ter certeza de que o criminoso o é de fato...Revoltante, especialmente caso que envolve criança.

Maíra disse...

Oi Amanda,

Por favor n leve a mal os meus comentarios sobre brasileiras no exterior. Eh q ja estou a quase 5 anos na Holanda e posso dizer q menos d 10% dos brasileiros q conheci por aqui se provaram pessoais 'normais' (entre aspas pq o q eh normal varia d pessoa p pessoa hehe). Entre a lista infame se encontram pessoas falsas, fofoqueiras, ladroes e ate prostitutas 'd luxo' (pq n sei o quao luxuoso esse trabalho pode ser...)

E eu tb assassino a lingua portuguesa as vzs. Vamos dizer q eu costumo usar a gramatica holandesa em frases portuguesas hehe

E agora sobre estupro. Aqui na Holanda sempre se dizia q a Red Light District em Amsterdam era boa pq ajudava esse tipo d gente, q tem um desejo sexual insaciavel. Por outro lado aquilo la incentiva trafico d drogas (o q eh proibido por lei aqui, apesar do consumo d algumas drogas ser legalizado), roubos, lavagem d dinheiro e o pior: trafico d mulheres. Eh uma realidade mt triste p um pais d primeiro mundo. Mas pelo aqui qq um pode ser preso, do futuro principe ao drogado q vive na rua. Bem diferente do Brasil, neh...

Amanda disse...

Eh verdade Helena, o cara não matou a primeira vitima não, ja corrigio erro. Alias, ela andou aparecendo na TV esses dias.

Maira, poxa, que a azar o seu topar com brasileiros que não valiam a pena seres topados. Acho que eu sempre dei sorte de encontrar gente legal aqui. Quanto à Holanda, é dificil mesmo pensar que em paises desenvolvidos exista esse tipo de coisa, como o trafico de mulheres. Triste realidade, e os criminosos raramente são encontrados.

XMaritoX disse...

Chama o ladrão! Chama o ladrão! Pois é, o sistema fragilizou a mulher, impede que ela se defenda e ainda por cima a "vendem" como vítima mais "gostosa". Como se falassem: "Precisa de uma vítima? Pra isso existe mulher!" O Estado e sua polícia nos tiram o direito a própria defesa e a defender os outros. Armem as mulheres!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...