segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Quando deus é o chefe do homem e o homem é o chefe da mulher

O livro "Tirs Croisés", de Caroline Fourest e Fiammetta Venner fala sobre como os principios do integrismo e do extremismo é praticamente o mesmo nas religioes catolica, judia e muçulmana. O primeiro capitulo aborda a situaçao das mulheres nessas três religioes (na sua forma mais fundamentalista) e como todas elas sao usadas para oprimir o sexo feminino.

Os judeus ultra-ortodoxos começam o dia com a oraçao: "louvado seja deus que nao me criou mulher". Ele acreditam que por causa do pecado original de Eva, todas as mulheres foram condenadas a sofrer. No livro sagrado esta escrito que as mulheres sao castigadas de nove formas: o sangue da mestruaçao e da virgindade; o fardo da gravidez; o sofrimento do parto; a responsabilidade de criar os filhos; sua cabeça coberta; os furos nas orelhas como escravas por toda a vida, que serve seu mestre; e finalmente, nao ser credivel como testemunha. O interessante é que a maior parte desses "castigos" sao inflingidos pelos homens, nao pelos céus. Até mesmo por nao permitir a mulher a escolha do aborto e de outros métodos para nao passar pelo fardo da gravidez se ela nao quiser. A judia ultra-ortodoxa so serve para ser mae e se nao consegue cumprir a tarefa é excluida da comunidade. O homem pode facilmente se separar, mas a mulher precisa da autorizaçao do marido para conseguir.

No catolicismo radical a situaçao das mulheres é a mesma. Sao Paulo era um dos que mais pregava a dominaçao masculina. Ele disse: "O chefe de todo homem, é deus; o chefe da mulher, é o homem". Os militantes integristas cristaos dizem que a funçao da mulher é ser portadora de homens (a Maria Mariana aprendeu bem a liçao e saiu repetindo isso por ai). O interessante é que eles descobriram que era muito mais eficaz quando as proprias mulheres pregavam isso, nao os homens. O que aconteceu foi uma situaçao curiosa: as mulheres ultra-conservadoras deixaram seus lares para militar pelo dever das mulheres de ficar em casa. Ah ta.

Os militantes cristao prolife (nome altamente contestavel) lutam essencialmente contra o aborto. Um caso que me chocou no livro foi o de uma menina americana de treze anos que foi morta pelo pai porque ia fazer um aborto. Ela tinha sido vitima de estupro. Quem estuprou foi o pai dela.

O islamismo com certeza é o mais famoso pelas atrocidades que faz com suas mulheres. Poligamia, burcas, mutilaçao genital, apedrejamento, a lista é longa e violenta. Mas o que as autoras argumentam é que a maior parte dessas coisas todas simplesmente nao estao no Corao. Maomé era muito menos sexista do que os profetas das duas religioes precedentes, até porque muito tempo ja tinha se passado. Mas os integristas muçulmanos, nao satisfeitos com o status que o Corao da a mulher, que ja nao é nada bom, inventa, reinterpreta, pega idéias emprestadas de outras religioes para oprir as mulheres bem do jeitinho que eles querem. Em nenhum momento o livro sagrado diz que as mulheres devem usar véu, por exemplo. Existem algumas passagens onde ele descreve que algumas mulheres usam, mas é so uma descriçao, nao uma recomendaçao.

O livro fala muito da Arabia Saudita e eu fiquei surpresa de saber que um pais tao rico é tao reacionario, juro que pensei que eles fossem mais democraticos. Elas contam que em 2002 houve um incêndio na escola das meninas e que as alunas se precipitaram para a unica porta entre os muros altos (para protegê-las, claro) que o colégio tinha. A diretora so podia ligar para os bombeiros depois de pedir autorizaçao à presidência da educaçao feminina. A porta era trancada por fora e o guardiao nao abriu porque as meninas nao tinham autorizaçao para sair. Quando os bombeiros chegaram, a policia religiosa nao as deixou sair porque elas estavam sem véu. Resultado, quinze meninas morreram. E nao deixaram os transeuntes ajudar as sobreviventes para evitar o contato misto.

A diferença entre essas três religioes é que o judaismo e o catolicismo sao restritos à esfera pessoal, enquanto o islamismo é legitimado por muitos Estados. Uma adultera pode se defender da ira do marido judeu ultra-ortodoxo pedindo ajuda ao governo, mas o que fazer quando a barbarie é justificada pelo Estado? O pai assassino e estuprador esta preso, mas onde guardar a raiva quando, na Arabia Saudita, um estuprador sai livre enquanto sua vitima é apedrejada até a morte por adultério?

Parece surreal no mundo em que vivemos, com toda a ciência que temos, que tem gente que ainda acredite em religiao. Mas tudo bem, cada um pode acreditar no que quiser, mas o Estado tem a obrigaçao de saber separar as coisas. A laicidade é um passo fundamental no avanço da humanidade. O governo tem a obrigaçao de dar os mesmos direitos para todos os individuos, sejam eles homens ou mulheres e nao justificar a dominaçao masculina por livros escritos ha milhares de anos. Enquanto a violência contra a mulher for apoiada oficialmente, é metade da força intelectual e fisica de um pais que esta sendo prejudicada. Como evoluir assim?

42 comentários:

Mariana disse...

evoluir nada... nem para existir da.
Otimo post, fiquei com vontade de ler o livro! So um adendo: no caso do catolicismo prolife, não esqueça da importante inserção que ele tem no estado brasileiro (por exemplo)...uma das razões pelas quais a discussão sobre a legalização do aborto esta tão atrasada la tem muito a ver com isso...
Aquela foto da garota nua com véu...que achado, hein????

bjuuus!

Bárbara Dayrell disse...

post excelente, tambem fiquei com vontade de ler o livro... vou dar uma pesquisada nas livrarias aqui!
bjinho

Patrick disse...

A Arábia Saudita é um dos estados mais atrasados da face da terra. Li as obras de Robert Baer (cujos livros inspiraram o filme Syriana) e ele conta muitos detalhes da vida naquele país. A terrível opressão das mulheres, os abusos da família real (que expropria terras, estabelecimentos comerciais e propriedades em geral ao seu bel prazer), a ausência de ciência (metade dos doutorados do país são na área de teologia) e por aí vai...

Aline Mariane disse...

amei o post também e vou procurar o livro!
Senti um ponto de amargura em "tem gente que ainda acredita em religiao". Religiao é tao parte da cultura humana quanto comer, beber, amar. Nao é possivel pensar a humanidade sem religiao, até para que existam os sem-religiao.
Agora, o que me parece realmente surreal é que ainda exista o forte vinculo Estado e religiao. E nao so na Arabia, mas no Brasil! Esta no Senado (ou seja, foi aprovado na Câmara!) o acordo Brasil-Vaticano, fruto de uma visita do Lula ao Papa em 2008, que da uma série de regalias à igreja catolica no Brasil e, pior, da o direito que ela determine como deve ser o ensino religioso nas escolas publicas no Brasil (pois o ensino religioso nao confessionario, ou seja, sem vinculos com igrejas, ja é previsto na LDB). Isso sim é surreal, ainda mais num pais governado pela esquerda...
Bjss!

XMaritoX disse...

Estou com muita vontade de ler o livro! Eu detesto os argumentos dos cristãos prolife, mas sou libertário e não defendo o aborto por vê-lo como imposição. Uma vida impondo a morte a outra, ferindo o direito natural. Porém isso é pano pra uma discussão mais aprofundada, pra que eu possa passar melhor o que penso.
O maior castigo da mulher é o homem, pra falar a verdade. O homem representa o explorador, o sistema, o Senhor etc. Deus é homem, né? É Ele quem manda, né?
A mulher já nasce lutando uma vida em um mondo que joga contra ela.
A mulher é vendida pelo sistema como a vítima que o criminoso precisa, ela não tem o direito de se defender, tem que esperar que o arquetipo masculino protetor o faça...ê mundão hostil! As companheiras lutam uma luta ao quadrado. Armem as mulheres!

asnalfa disse...

Adorei esse post, me parece que é o mais maduro que vc ja esreveu Amanda. Até deu vontade de ler o livro. Aqui no Brasil, quem domina mesmo são os religiosos. Não existe laicidade aqui. E tb na Franca nao. La sequer foi aprovado o casamento gay e legalizado o aborto.
Aqui ateu é mal visto mesmo!!! da impressão que é uma pessoa sem moral e ética. Acho que o mundo pode muito bem viver sem religiao. Eu vivo sem religiao, pq os outros nao podem??

Amanda disse...

Mariana, ta dificil mesmo... O livro é excelente! Recomendo muitissimo! E essa é so a primeira parte, tem varios assuntos diferentes. Agora to lendo sobre a saga dos integristas contra os homosexuais, o aborto, o desejo sexual.

Obrigada Barbara! Onde vc esta mesmo? Na Alemanha, né? Tomara que tenha o livro por ai!

Patrick, eu realmente nao sabia que a Arabia Saudita era assim. Tudo o qua a gente ouve de Dubai é sobre crescimento econômico, riqueza, a nova Miami... Nao vi esse filme Syriana, vou procurar.

Amanda disse...

Aline procura o livro mesmo! Nao consegui resumir nem a pontinha do iceberg aqui. Acertou na minha amargura sobre a religião. Sei que ela é fundamental, mas pra mim ela é mais um instrumento de opressao do que qualquer coisa. Eh tudo tao ultrapassado! Realmente nao entendo como as pessoas continuam ouvindo padres pedofilos de uma religiao mil vezes corrompida, como se nada tivesse acontecido. Como se ela nao tivesse queimado "bruxas" na fogueira, justificado a escravidao, enriquecido às custas da fé dos pobres, comido criancinhas.

Marito, nao sei se tem traduçao em portugues, mas com certeza deveria ter. A discursao sobre o aborto da muito pano pra manga mesmo, mas é legal saber que vc é um feminista! Eu ja to cansada de me limitar a esse papel que a sociedade destina a mulher.

Asnalfa, obrigada! Eh verdade que no Brasil os religiosos ainda tem um certo poder, assim como nos EUA. Na França, menos. O aborto aqui é legal sim e o casamento entre homosexuais tbm. Quer dizer, o PACS, que da os mesmos direitos que um casamento. Eh verdade que no Brasil ser ateu é meio discriminado. O pessoal gosta muito de dizer que acredita em deus "do meu jeito". Nada contra, viu pessoal! Acho otimo!

Patrick disse...

Amanda, uma pequena correção: Dubai fica nos Emirados Árabes Unidos, vizinho à Arábia Saudita, e é um pouquinho mais liberal do que ela.

Cris disse...

Muito interessante! Será q encontro em português? Vou procurar.

Amanda disse...

Ta certo Patrick, foi por isso que confundi tudo!! Poxa, pra quem faz geopolitica, to maus, heim? Valeu pela correçao!

XMaritoX disse...

Tem na Livraria Cultura, preço bom (R$27,00), mas...em francês...morrí!

luci disse...

"Parece surreal no mundo em que vivemos, com toda a ciência que temos, que tem gente que ainda acredite em religiao".

sei la, amanda... acho que uma coisa nao leva a outra. a existencia da ciência não é a prova da inexistência de deus.

mas como eu disse no blog da lola, eh melhor eu fazer um post sobre isso, se eu inventar de comentar sobre questao religiosa aqui, ng vai ter saco...

Drixz disse...

É um assunto muito complicado mesmo. Muitas mulheres não tem consciência que deus não impôs todas essas punições. Isso é coisa dos homens. Até porque se existe alguma verdade nesses livros "sagrados" é que eles foram escritos por HOMENS que achavam estar interpretanto deus. Partindo desse pressuposto já temos muita controvérsia. A ciência não consegue provar a existência ou a inexistência de deus, mas prova que as religiões estão erradas em muitos pontos. O que me assunta é a falta de senso crítico dos fiéis. Eles podem e devem questionar a própria fé. Mudar não quer dizer acabar com a religião. Eu não entendo como ela pode não evoluir. É mesmo uma insistência de quem domina...

Rosa Lopes disse...

Não vou dizer a você que não existam gentes no judaísmo q não tenham e defendam algumas dessas idéias, esses grupos ou grupo tende a gritar mais alto q todos para impor seus fundamentos, o q não seguinifica que eles estam corretos. Graças a 2* Guerra, q trouxe a luz grupos de europeus q se instalaram em NY, passamos a conhecer um judaísmo ignorante, fechado numa mistura de ritos e particularidades culturais próprias de onde vinham, viviam em guetos. Quando digo q eram e são ignorantes falo religiosamente, são grupos q no "mundo judáico" são severamente combatidos, destorcem a lei judaica e a reinventam, trazem dentro de si o gueto, essa imagem é vendida com grande sucesso no cinema e em livros, sem interessar se é verdadeira ou não. A sua autora pelo jeito desfruta muito disso. Eu realmente não me preocupo em tentar definir o judaismo modernamente seja como um movimento esquerdista, seja como cultura machista, ou assassinos natos do povo palestino isso seria artificialismo, eu não vou me tornar Madona se adoto crianças negras e me pinto de loura nem tão pouco defender q judaismo é feminista pq a virgindade não é fundamental, muito depende do q queremos ver ou encontrar na maioria das vezes achamos o quê queremos, não a verdade. Portanto o q eu realmente queria é desmentir a interpretação mentirosa q se apóia o livro, pelo menos das partes q vc transcreveu, daí pensem o q quiserem, mas pensem com a verdade, não com uma visão senssacionalista.
Vou comentar algumas passagem para q vc tenha uma idéia.

Rosa Lopes disse...

*Os judeus ultra-ortodoxos começam o dia com a oraçao: "louvado seja deus que nao me criou mulher".
-Não existe no judaísmo ortodoxo, ultra ou mega, existe apenas duas posições religioso ou não-religioso, q se baseia no livre arbítrio; os títulos foram inventados por questões políticas q não têm nada q ver com religiosas,o certo é q um homem é considerado rabino pelo conhecimento da lei q tem graças aos seus estudos, o resto é burogracia.
-A oração: "louvado seja deus que nao me criou mulher", não se trata de inferiorizar a mulher. A mulher é superior ao homem espiritualmente e não tem por isso obrigação de comprir os serviços religiosos, já o homem q tem essa obrigação 3 vezes ao dia, agradece a Deus essa obrigação como oportunidade de também se tornar superior. As mulheres recitam: louvado seja Deus q me criou de acordo com sua vontade.
- Ele acreditam que por causa do pecado original de Eva, todas as mulheres foram condenadas a sofrer.
Não temos pecado original, esse é um conceito católico, como também nenhuma criatura está condenada a sofrer seja homem ou mulher ou qualqur criatura vivente tem uma função e para isso está, as leis são dadas para q um viva melhor, a questão de sofrer para ganhar o mundo dos céus é católica ocidental, os judeus não esperam mundo vindouro, ele é cada dia q está um vivo é o hoje e o agora.

Rosa Lopes disse...

Eu achei pouco pretencioso q só hajam 9 castigos, poderia ela citar outras coisas q deriam um salzinho como a poligamia, mas sobre esses 9, o que mais me preocupa é que alguns deles não existem, como fardo da gravidez ou furos na orelha, ou ainda escravidão da esposa e realmente qd vc me deu a fonte ficou pior, pq a escritora fala de livro sagrado e a fonte é de comentários de lendas de cunho moral ou religioso que os rabinos levantam, não tem nada de sagrado é bem mais judicial ou direito civil antes de tudo, mas vamos lá...
Uma mulher não pode ser escrava de seu marido pelas seguintes razões:

Rosa Lopes disse...

1-Está proibido casamento sem concentimento da mulher. Ainda que seja arrumado entre os país ela dá a última palavra, do contrário ele não é válido.
2-Todo o q uma mulher tem, economicamente falando, após o casamento pode ser usurfruido pelo marido, mas não pode ser tomado por esse.
3- Para casar o homem assina um documento q contem as condições da mulher para q se case com ele, pode der o q for desde q ele emagreça 10kg até q façam cruzeiros anuais, qualquer coisa. Depois de casado se a condição(ões), não forem atendidas ela está respaldada p/ divorciarse com ou sem o consentimento do marido.
4- É costume q uma mulher se ocupe de alguma coisa fora da casa, que trabalhe fora, para sua saúde mental dizem, se o marido cria problemas com isso, ele é multado e ela tem direito pode exigir divorcio.
5- O mesmo passa se ele tenta obrigar a que ela trabalhe fora, também aí ela pode pedir divórcio.
6- Violência física, sexual ou mental. Divórcio nele.
Bem, é bastante coisa. Acho suficiente para q se entenda q é difícil ultrapassar tantas leis e tornar alguém escrava.
Para terminar, q bom né? kkkkkkkk, eu acho muito difícil q haja outra cultura q tenha estabelecido leis de defesa e direitos as mulheres e mantido essas leis anterior a judáica, sim pq esses leis acima têm entre 1000 e 500 anos, não conheço!!
Tão pouco quero dizer q não há machismo, nunca houve creio essa preocupação, o ponto é garantir liberdade as criaturas e não castração como afrma o livro.
Quanto os outros pontos tidos como gastigo, o livre arbítrio nunca deixou de ser respeitado, depois de tudo um opta por seguir ou não, como te disse ou é religioso ou não é religioso.
E pra terminar, kkkkkkk, um comentário q temos e que vai com o teu título, já q se atribui tantas culpas negativas ao judeu é de ter inventado o feminismo, e está na Biblia, quando Abraão discute com Sára e procura o apoio de Deus, esse diz vá e obedeça sua esposa a razão está com ela, se a questão é obdecer, quem é chefe de quem?
Bj

Patrick disse...

Rosa, eu ouço argumentos muito parecidos com os seus na faculdade, tanto de católicos como de evangélicos, quando a discussão vai para o campo de mulheres x religião.

Amanda disse...

Rosa, eu so acho que dizer que a mulher é superior ao homem é a mesma coisa que dizer que o homem é superior a mulher. Eh simplesmente uma forma de dizer que eles sao diferentes. Eh justificar a segregaçao e o tratamento dado a um e ao outro.

A burca tbm é justificada pela superioridade da mulher, ja que o homem, perto da mulher, se comporta de forma animal e nao consegue controlar seus impulsos sexuais, enquanto a mulher, superior, consegue nao atacar um homem quando ve o rosto dele.

Rosa Lopes disse...

Se mulheres q pertencem a facções extremistas de suas respectivas religiões, opos-dei, xiitismo,judaísmo "ortodoxo"..., defendem sua posição, p q então alguém q não pertence a nenhuma delas e nem conhece seus princípios pode dizer q a maneira de atuar dessas religiões está certa ou errada?

As mulheres q pedem ajuda, devem ser ajudada, se ela diz não, ela precisa ser ajudada, pq não é facil sair de uma situação sozinha. Mas essa autora se apoia em choque cultural. O livro é sensacionalismo só está enteressado no lado podre da maça, pq é vendável.
No meu caso, judaísmo, temos muita dor de cabeça com a falta de cumprimento das leis corretamente. Não há flores, não, é pega pra capa pesado.
Esse tipo de literatura q a todo momento é editada realmente não define ou influencia nos julgamentos no nosso meio.
Amanda, superioridade espiritual não é o mesmo q superioridade humana, caso contrário não existiriam taaantas leis para defender as mulheres e garantir sua "liberdade social". As leis que falei são usadas e proibidas de serem interpretadas ao bem prazer do governo vigente, como passa com o alcorão q cada qual lê o q bem entende.
Beijitos a todos

Leonardo disse...

Wow! Com ctza um dos seus melhores posts! Não conheço muito o Corão, mas me disseram que tem um capítulo nele dedicado exclusivamente para as mulheres, o que representaria uma grande evolução quando comparado com o Judaísmo e o Cristianismo que nunca encararam a mulher como "pessoa". Parece um paradoxo que uma religião que nasceu com preocupações a respeito do sexo feminino seja uma das que mais discrimina a mulher. Em todo caso, a importância da laicidade dos Estados é indiscutível, até porque o machismo não é um problema somente para as mulheres, afinal, ele gera uma série de preconceitos...
Abraço!

lola aronovich disse...

Excelente post, Amanda! Vou linkar lá no meu. Pena não ter lido (e linkado) antes. Muita gente só tem a impressão que as religiões discriminam as mulheres, mas não conseguem apontar exemplos concretos. E aqui vc dá uma boa lista inicial...

cogitamundo disse...

Basta ler alguns trechos dos textos das principais religiões para ver como é "sagrada" a violência contra a mulher:
ver http://cogitamundo.wordpress.com/2009/07/22/as-raizes-historicas-da-violencia-contra-a-mulher/
Parabéns pelo post!
abraços

Patrick disse...

Dubai faliu. Calote de uns US$ 80 bi. Era tudo fantasia e especulação. O que eu vi esse ano de texto anti-Brasil (nos moldes do complexo de vira-latas nelsonrodrigueano) exaltando as virtudes de Dubai...

Mariana disse...

Dubai ta falida mesmo..; visse as reportagens aqui Amanda? Vi hoje em todos os canais de noticia!

e o capitalismo morde o proprio rabo novamente!!! hehehhe

Anônimo disse...

ALLAH HUAKBAR!!!!!!!!!!!
AUZU BILLAHI MIN SHAINTAN INRANJIN!!!!!!
SOU MUÇULMANO E VC UM BANDO DE INCREDULOS!

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
O BLOG OFICIAL ZXY disse...

para agregar valor a texto assistam esta palestra de leandro karnal...
excelente eu assisti e recomendo

http://www.cpflcultura.com.br/video/integra-medo-e-temor-leandro-karnal

Anônimo disse...

Esse livro é ridiculo, eu sou mulçumana, e no islamismo não existe nada sobre o que é dito neste livro, acredito que se as pessoas pesquisassem mais sobre o Islam, veriam como as leis giram em torno do bem estar da mulher. Andar quase nua não significam liberdade e independência feminina, as mulheres que se acham nessa situaçao "liberdade, independência" é que são escravas do modelo "perfeito de mulher que na verdade os homens só pensam em "conquistar" levar para a cama e conseguir uma proxima;mas no islamismo,o homem mulçumano respeita a mulher, ama e acima de tudo vêem a mulher como uma joia rara que deve ter cuidado.Acredito de as leitoras desse livro deveriam pesquisar mais, e refletir sobre essa falsa "independência" que a mulher pensa que possui, ao mostrar seu corpo, com roupas vulgares;acredito que deveriam se dar mais o valor! Pensem nisso!

Anônimo disse...

LIXO DE BLOG!
VC NAO EH MUÇULMANA PARE DE JULGAR!
NÃO FALE O QUE NÃO SABE!
SOH PK TA NA FRANÇA!
MINHA FILHA A FRANÇA NÃO É REFERÊNCIA PRA NINGUÉM APRENDER SOBRE O ISLAM NÃO!
AI PROIBIRAM O VÉU!CREDO!
EU SOU MUÇULMANA SIM!E NÃO REVERTIDA!
NASCI NA ARÁBIA SAUDITA(AMO MEU PAÍS)
MAS TO MORANDO NO BRASIL HA 8 ANOS PELO TRABALHO DO MEU MARIDO!
OU SEJA EU FUI CRIADA NUM PAI ISLAMICO ONDE TUDO EH MAIS INTENSO E CREIA!EMU PAI NUNCA BATEU NA MINHA MAEE E NEM MEU MARIDO!
VIOLENCIA CONTRA A MULHER EXISTE!MAS EM TODO LUGAR!
EU NAO SEI O Q SERIA DE MIM SEM O ISLAM!
QUE ALLAH TE DE SABEDORIA!
E TBM NAO FALE DAS OUTRAS RELIGIÕES!NÃO DEVEMOS JULGAR ELAS!
CRESÇA E APAREÇA!

Patrick disse...

Seria realmente interessante se as religiões parassem de julgar as pessoas, principalmente por questões irrelevantes.

Jomário Gama disse...

Não li tudo e nem me dei ao trabalho!
Dizer que o Catolicismo segrega as mulheres é uma afronta contra a própria inteligência e a história da humanidade!
Jesus Cristo abalou as estruturas da relação HomemxMulher na sua época. O Cristianismo com um todo é um exemplo da igualdade entre homens e mulheres. Eva nasceu da Costela de Adão, e eu fui ensinado no seio da Igreja que isso tem uma representação que mostra que o home não está acima e nem abaixo da mulher!
Atrevo-me a chamar de burro o autor disto! Perdão.
Mas a bandeira defendia pelo catolicismo em todo o mundo é a da vida! Não cabe citar estupro e aborto pra defender isso. Estupro é um crime hediondo, mas não mais grave que o aborto! Aborto é assassinato!
A culpa de todo o sofrimento da humanidade em ralação a sua busca insana pela sua identidade é exatamente o lugar onde estão procurando: o Lugar errado!
Deus é o ugar certo!
Deus a abeççoe.
Perdoe-me se fui grosso.

Anônimo disse...

Jomário, o catolicismo não segrega as mulheres? Faz uma lista de quantas papisas houve na história, por favor. E quantas mulheres concorreram ao posto ocupado por Bento XVI?

Victor disse...

Banal HIPOCRITA VC NÃO SABE NEM OQ TAH FALANDO!

Jomário Gama disse...

Anônimo [identifique-se, seja valente!]
Realmente, não tivemos nenhuma papisa. Sabe porque? Porque Papisas não existem! Pra ser Papa, um home deve seer padre e mulheres não podem receber o sacramento da ordem, segundo a lei da Igreja. Isso é indiscutível, eh muito medíocre discutir do que não se conhece!
A propósito, se vc deseja realmente conhecer sobre as mulheres e a Igreja, procure no google, sobre Santa Teresa de Ávila, Santa Teresinha. Leia um pouco sobre Maria.
Deus a abençoe!

khadijah_muslimah disse...

Bom... Lendo seu comentário sobre todas as religiões, muito me estranhou sua referencia ao islam como uma atrocidade.
Sabe o que é rídiculo:
É as pessoas divulgarem informações sem ao menos pesquisarem a funda.
No Alcorão está sim escrito que as mulheres devem cobrir seus corpo, sua pele, deixando a mostra as mãos, os pés e a face. E vc sabe pq?
Pq a mulher é sensual e objeto sexual do homem..
Prefiro mil veze cobrir meu corpo e que as pessoas me olhem estranho, do que deixar meus adereços a mostrar e ser desejada por homens na rua. Pois o unico que pode me desejar e ver minha beleza é meu marido.
Você como quase 100 % da população confunde RELIGIÃO X CULTURA X TERRORISMO...
Infelimente alguns muçulmanos chegam ao fanatismo, matando em nome de Allah, mas isso é proibido.. Allah Subanna Wa Tala, ordenou que seus servos jamais prejudicassem a sí ou ao próximo. O fanatismo é Haram, a pessoa que mata em nome de Deus, com certeza tem seu lugar fora do paraíso.
Ora, come on ... não julguem nós muçulmanas , pq vcs mulheres ocidentais estão acostumadas com o que é mundano, quer dizer que andar quase nua pela rua é digno de virtude, modestia e integrigade. Quer dizer que rezar 5 vezes ao dia em nome de Deus é perca de tempo? Vcs sabiam que o alcorão foi i primeiro a dar o direito de herança as mulheres? Com relaçao a mutilação, realmente existe em paises muito restrito, por exemplo na Somália. Vcs veem isso no egito, libano? Em paises evoluidos?
Se eu for escrever tudo que penso aqui, dariam muito mais páginas q esse blog. Por isso fico por aqui registrando minha indginação com tamanha ignorancia do povo..

Erika disse...

Sou brasileira, carioca, atualmente moro em Dublin na Irlanda e muculmana recem convertida. Nao vou te recriminar por nada q escreveu, ate pouco tempo atras eu pensava exatamente como vc. Mas por favou nao confunda leis de estado com obrigacoes religiosas, a Arabia Saudita nao e machista e atrasada por ter a sua maioria islamica. Veja o caso da Turquia, lugar onde as leis sao bem severas e tmb maioria da popolacao islamica. Acho as leis de la um absurdo, roubou perde dedos ou a mao inteira, estuprou perde o pinto, homosexualismo e punido para homens e mulheres. mas nao e o isla q prega isso. Procure sites islamicos, para vc entender da religiao antes de criticar. Ao contrario do q vc e outras pensam, podemos sim nos divorciar, ninguem pode nos obrigar a casar com quem nao queremos e o dote existe sim no isla, mas e dado a mulher pelo homem quando estes se casam.

Apóstata do islamismo disse...

Erika, voce sabia que o Quran permite o homem a bater na mulher?
Sou um apóstata do islamismo, conheço essa religiao muito bem e tenho todo o direito de criticar.

Leia Quran 4:34, aonde diz que os homens podem bater nas mulheres.
Já conversei com muçulmanos do mundo inteiro, e cada um veio com uma desculpa diferente. Uns disseram que isso nao é mais valido, outros disseram que é preciso bater de leve etc. Vou citar 4 desculpas:

primeira desculpa - "O Quran a permite ter o divórcio se ela nao se sentir bem no seu relacionamento"

A primeira vista isso é tolerável.
É certo que conseguir um divórcio nao é tao dificil assim e geralmente a mulher recebe uma moradia temporária.

Mas no mundo islamico, isso é bem diferente.
Só recentemente as mulheres muçulmanas estao permitidas a terem um divórcio no Egito.
Em outro lugar é quase impossivel a uma mulher conseguir um divórcio num país islamico.
Aquelas que raramente e com muita sorte conseguem algum dinheiro do ex-marido, a pobre mulher terá que fazer tudo sozinha,
com várias delas tendo pouca ou nenhuma experiencia de trabalho, ainda tem que aguentar o grande desgosto dos parentes.
Além disso a mulher que já foi casada nao é bem vista em canto nenhum, dizem que ela é 'bens usados'.
Conseguir se casar novamente será um grande desafio.


Segunda desculpa - "O sistema islamico de bater nas mulheres é perfeito, o maior problema é que na maioria das vezes esse
sistema nao é seguido por muitos homens. Mas se tudo fosse feito de acordo com as regras, tudo estaria perfeito."

Essas regras islamicas de bater nas mulheres diz que o homem deve bater nela e deixar ela sentir dor (provocando ematomas)
Mas quando o homem bate nessa maneira, um acidente poderia acontecer
O homem poderia quebrar um osso ou deixar marcas permanentes sem a intençao de fazer isso.
Ou o homem poderia nao querer inicialmente machucar sua esposa, mas quando ele começa, um homem nervoso poderia levar isso
longe demais. Em ambos os casos a mulher é severamente machucada.
O homem diz ''Malish'' (desculpa), e deixa a mulher de lado para sentir a dor do que ele a fez.
Essas regras islamicas na verdade é uma forma super covarde de lidar com dificuldades do casamento. Esse ato de abuso
deve ser levado em conta que é super cruel.



Terceira desculpa - Essa desculpa é uma desculpa muito comum usado por criminais para justificar seus crimes do tipo
"ela me fez fazer isso." Isso pode ser encontrado aqui:

"E se minha mulher é teimosa demais e me intimida a bater nela? Nao tenho culpa"

Como uma mulher que nao tem poder nenhum vai conseguir intimidar o próprio marido a bater nela?
Isso faz algum sentido pra voce?
Eu nao sei quantas pessoas intimidam outras a bater nelas mesmas.
Mas o homem nao é superior a mulher como diz no Quran? Entao como ela vai intimidar ele?
Isso é uma burrice e mostra a tamanha ignorancia de uma mente islamica.
Eles tentam escontrar qualquer desculpa pra justificar o que Muhammad disse.


Quarta desculpa - Essa desculpa foi tirada de um site islamico famoso: "O marido deve bater nela de leve"

"Se ela fizer algo de errado, voce deve evitar relacoes conjugais com ela para faze-la perceber a gravidade de sua
atitude inválida (de desobediencia).
Se nesse caso falhar e a sua esposa nao mudar sua atitude, o marido entao é permitido a bater nela de leve."

O que é esse 'bater de leve'? Como seria se um homem comentasse com seus amigos que "ontem a noite eu bati de leve na
minha esposa"? As mulheres muçulmanas nao se importariam de ganhar um tapa/soco/chute de leve?
As vezes o islam chega a ser absurdo. Muçulmanos sempre vao dizer de tudo para justificar a ignorancia e crueldade de Muhammad.

Aisha mesma disse:
"eu nunca vi uma mulher sofrer tanto quanto a mulher religiosa. Veja! A pele dela é mais roxa que suas roupas"

Anônimo disse...

Quran 9.29 "Lute aqueles que nao acreditam em Allah nem no Último Dia..."

E Muhammad?

O cara que dizimou a populaçao judáica de Medina.

Ouvi falar que esse cara era um pedófilo, fez 54 anos e se casou com uma garotinha de 9 anos.

Além disso, ele pos uma regra na arabia saudita em que os homens só deveriam ter no máximo 4 mulheres, mas ele mesmo tinha 9.
E que profeta, hein!

Anônimo disse...

As pessoas que falaram mal do islamismo, nao sabem do islam, ou sabem em parte, nao conhecem os profundos ensinamentos dessa bela religiao. Eu estou estudando, e querida nao da para interpretar um versiculo do Alcorao Sagrado da sua forma, para cada frase existem centenas e centenas de livros....e no islam a mulher nao quer ser igual ao homem, porque quem disse que eles sao melhores parar querer se igualarem? Mas entendem que cada um tem seu papel nao apenas na casa, mas na sociedade. Concordo tb que tem paises que se dizem islamicos e que nao seguem o verdadeiro islam, por motivos financeiros e culturais. Abracos a todos....ah e Obs: mulher do ocidente estao abandonando a falsa "liberdade" e abracando o Islam! Porque o Islam e liberdade!

Anônimo disse...

So uma coisa, se vc ja e jornalista, deveria escrever de tal maneira. Se voce pretende ser, vai aprender muitas coisas ainda. A primeira delas com certeza sera saber diferenciar cultura de religiao, governo de religiao, seguidores da religiao e a propria religiao. Sao conceitos diferentes. E uma jornalista deve se basear em referencias concretas e nao achismos...se formos colocar como o Ocidente maltrata a mulher, ficariamos chocadas e olha que nasci no Brasil e ja vivi em paises Arabes tambem. E sobre as religioes sinceramente o Islam e a religiao que deu mais direitos a mulher do que se imagina, como o direito de heranca, de votar, de divorciar, e alem do mais nao sei se vc sabe, no islamismo a mulher nao tem que fazer nada em casa, e o pecado original nao foi feito primeiramente por eva como as demais religioes e sim ambos decidiram isso!
Ai que ta, antes de escrever estude bem, principalmente se for uma jornalista.
E so colacarei meu "nome" anonimo, pois estou trabalhando em uma reportagem investigativa e sou jornalista formada no exterior. Nao pense que estou te atacando ao contrario estou abrindo seus olhos para realidades. That it's all!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...