domingo, 12 de setembro de 2010

Partidos daqui, partidos de la

Sempre admirei a coerência politica francesa, apesar de alguns franceses baterem o pé e dizerem que na França não existe mais coerência politica. Eu rio: eles dizem isso porque não conhecem o Brasil de perto.

Pra começar, na França todo mundo tem uma orientação politica. As pessoas se assumem de esquerda ou de direita, com toda a carga ideologica que essas definições carregam, e sustentam suas decisões de acordo com essa escolha politica. Aqui a coisa é simples: a esquerda é social, a direita é econômica; a esquerda se baseia na igualdade, a direita na meritocracia; a esquerda defende os direitos da minoria, a direita defende os interesses da familia e da propriedade. E tudo segue nos eixos. O bipartidarismo que existe na França facilita bem as coisas. O PS (Parti Socialiste) é o partido de esquerda, a oposição atualmente mergulhada na crise e a UMP (Le Mouvement Populaire) é o partido da situação, assumidamente de direita. Claro que existem outros partidos, mas eles são bem menores e pouco representativos, apesar de que talvez o partido verde cresca bastante nas proximas eleições. Mas todos eles são igualmente logicos. O PV é radical de esquerda com ênfase no meio-ambiente, os partidos comunistas são, adivinhem, comunistas e o Front National é a extrema-direita, contra os imigrantes, os pobres, os gays.

As pessoas conhecem as posições dos partidos sobre os assuntos polêmicos (é bom lembrar que aborto ja deixou de ser um assunto polêmico - a legalização foi feita ha 40 anos e nem a extrema-direita ousa a ser contra a medida). E todos os partidos têm propostas de mudanças muito claras. Eh verdade que tem muita gente reclamando de incoerências, principalmente no PS, que parece ter perdido completamente o rumo depois de sua derrota nas ultimas eleições. Parece que seu programa de governo não contém propostas dignas de um partido socialista, o que vem irritando muitos filiados. Por exemplo, um possivel candidato do partido à presidência em 2012 é Dominique Strauss-Kahn, diretor geral do FMI, um cargo nada socialista.

Mas nada disso chega perto da bagunça eleitoral que é o Brasil e nessa época isso fica bem evidente. Pra começar, o partido de oposição de direita tem o nome de Partido Social Democracia Brasileira, que de social não tem nada. Mas ninguém sabe exatamente quais são as propostas dele. Ficam na duvida se criticam o governo ou se se comprometem a dar continuidade à atual administração. E então por algum motivo obscuro o candidato dessa oposição tenta fingir que é o sucessor da situação! Eh muita falta de consciência politica! Contando isso na França ninguém acredita. A Marina, do Partido Verde, na minha opinião é a contradição mais grave dessa eleição. No mundo todo o PV é conhecido por sua defesa das liberdades civis e individuais: casamento gay, aborto, eutanasia, legalização das drogas, etc etc etc. Dai chega a Marina, evangélica, e decide que é contra isso tudo. Cadê a coerência?? Extrema-esquerda contra minorias? Parece que ela esta tentando consertar a situação, mas não acho que esteja funcionando.

Mesmo o PT faz alianças doidas com partidos e candidatos que não têm nada a ver com sua linha politica so pra ter mais tempo de horario eleitoral ou outras mixarias. Não faz o menor sentido. Mas pelo menos o PT é o unico partido que tem cara de partido, que as pessoas reconhecem uma certa logica administrativa, um discurso e uma continuidade. Por isso a Dilma esta tão na frente, porque o povo entendeu que vale muito mais a pena votar num partido do que num candidato e o unico que oferece essa possibilidade é o PT. A oposição vai precisar aprender que o povo evoluiu e não engole mais as mentiras que tentam lhes empurrar guela abaixo, ela vai precisar se reestruturar e apresentar um plano de propostas sério, sem sujeiras, sem tentativas de fazer a população de besta (sai o silva e entra o zé?!). Mas eu aposto que essa oposição não vai surgir da direita, que ainda vai precisar de muito tempo pra entender que o povo não é bobo, mas do outro lado, da extrema esquerda. Ela vai entender mais rapido as mudanças que estão acontecendo no Brasil, vai seguir o exemplo de outros paises e vai saber se organizar bem antes da direita. Suspeito que a extrema-esquerda sera a verdadeira oposição de 2014.

18 comentários:

Cris disse...

Otimo, post. Eu tb sentia essa diferença de polítca em Portugal, imagina na França! Mas lamento dizer q vc está sendo um bocadinho otimista. O brasileiro não criou essa consciencia polítca-partidária, nao. Os votos da Dilma, em sua maioria absoluta, vêm do Lula, por transferência.
E o Lula na presidência, assim como o PT na situação, não atuou (atuaram) segundo o que pregou (pregaram) durante anos. Uma pena...

Cris disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
antoniajmc disse...

Oi Amanda,
ótimo post. Acho que isso acontece por causa da maneira que a ditadura e o pós-ditadura e a maneira específica como a ditadura acabou aqui, sem ser uma derrubada do governo digamos, moldou o cenário partidário brasileiro, o que deu brecha para PMDBS e etc.
E o pv pra mim tá loooooonge de ser extrema esquerda, é o novo PSDB, pol. econômica liberal, social deixado para o setor privado (Marina acha que o Estado deve agir no social com reglações de ongs e verbas para projetos sociais privados) e etc. Isso faz sentido, dado que o PSDB tipo acabou...

Aline Mariane disse...

escrevi um post sobre exatamente sobre isso e não tive coragem de publicar. Ainda bem que o seu ficou muito melhor e dá pra discutir por aqui!! =o]
O que me leva a não querer votar na Dilma é o seu vice, Michel Temer. Ok, vice é um verdadeiro zero à esquerda e não serve pra nada. Mas eu sou de SP, cidade e estado governados por vices. E tenho trauma do Itamar e do Sarney, que eram vices. Enfim, tudo o que eu NAO quero é o Michel Temer presidente. (bate na madeira, toc toc)
Por isso estou quase escolhendo a Marina. Gosto do PV, do vice dela etc. O fato de ser evangélica não me incomoda (muito menos soma pontos), desde que não seja quadrada. Sobre questões como aborto e casamento gay, ninguém vai poder fazer nada, nem a Dilma, infelizmente. Tenho esperanças que se abra uma discussão, mas é triste lembrar o quanto o Brasil ainda é conservador nesses aspectos - basta dar uma olhadinha nos candidatos a deputados, sobre quem qualquer tipo de proposta nesse sentido vai ter que passar.
O que não me deixa 100% com certeza em votar na Marina é justamente esse "em cima do muro", ou seja, não ser de esquerda nem de direita. A UMP aqui na França é a prova de quem está em cima do muro acaba tendo que pular pra um lado. Sarkozy pulou pra direita (claro, ele precisa da FN) e a Marina, pra que lado pularia?!
Enfim, tenho mais duas semanas pra decidir meu voto... por isso topo sim uma "boca de urna", quem sabe você não consegue me convencer?!! Bjss!!

Bel Boucher disse...

Aline,
O Gabeira, que eu tanto estimo, é do PV. E isso bastaria para ele ter o meu voto, caso pudesse dá-lo daqui. O problema é que o PV juntou-se ao partido do César Maia. Assim não dá, né? Mais incoerente, impossível. Para mim, com todo o preconceito que vem embutido (e eu sinto muito por isso), evangélico rima com atraso, conservadorismo, xenofobia, Garotinho e Rosinha. E nada disso eu tolero.

Amanda,
adorei o post. Principalmente quando você explica os opostos PS x UMP. Muito bom!

Só tenho uma dúvida: o que você diz com extrema esquerda?
PV seria extrema esquerda? Não sei. É que tenho medo desse prefixo e acho que ele não combina com o conceito de esquerda que tenho. Os extremos acabam sendo sempre ditatoriais, não? Bom, se bem que muitos ecolôs são bem ditatoriais. hehehe.

Caso me esqueçam disse...

rah, como eu gosto de posts assim!

Glória Maria Vieira disse...

Ai Manda! Eu não sou muito entendida de política ainda, mas nem preciso ser pra saber que o PT, especificamente, contribui de forma clara para as melhorias no Brasil. Não tá 100% ainda, mas poxa,tá bem melhor, né?! E só tende a melhorar... Assim espero!

asnalfa disse...

Gostei do post. Acho um absurdo as pessoas falarem que a Marina é moderna!! E ter apoio de jovens unviersitarios! puft!!! Gente.... uma pessoa que se diz contra aborto e casamento gay nunca será moderna! E ainda tem jovens que são muito mais conservadores que velhos!! Poxa... cade os jovens rebeldes?? Se resumem a pixadores?Sinceramente, sou contra eleiçoes. Muito melhor o país ser governado pelo STF, ai eles aprovariam as leis, igual como ocorreu com as celulas tronco!

Amanda disse...

Cris, vc acha que eu to sendo otimista demais? Sera? Acho que não, viu? Acho que os brasileiros estão começando a entender as noções de democracia.

Antonia, deve ser sim herança da ditadura, sem duvida. Mas então o partido verde no mundo é extrema esquerda, so no Brasil que não é! Uma pena...

Ah Aline, publica seu post tbm! Eu sei que vc é eleitora da Marina, mas acho que as posições dela sobre as polêmicas são importantes sim. Acho que a Dilma pode levantar a bandeira do aborto, pra tentar marcar o governo dela como o primeiro de uma mulher, essas coisas, mesmo que o assunto não esteja presente na campanha. E isso nunca aconteceria com a Marina.

Bel, acho que o problema da Marina não é a religião, é ela não saber separar politica e religião. Po, aborto não é assunto religioso, é assunto de saude publica! Uma coisa não tem nada a ver com a outra. Quanto ao PV, como eu disse pra Antonia, normalmente é extrema-esquerda. Mas não é comunista. Sera que esquerda radical pega melhor? Mas acho que é radical mais no sentido de liberdades individuas, não economico. Eu tbm acho que os extremos não são legais, até pq eles quase se encontram! Tipo, os radicais de direita são muitissimo parecidos com os radicais de esquerda: são nacionalistas (patriotas, no caso da esquerda, que pra mim é a mesma coisa), ditatoriais, fechados, etc.

Valeu Luci! Vc não transferiu seu titulo, né?

Glorinha, vai votar na Dilma?

Asnalfa, até que enfim concordamos em alguma coisa! Marina liberal é o fim da picada!

Caso me esqueçam disse...

nao, nao transferi o titulo. e nao sei se dou gracas a deus, porque eu nao teria dinheiro pra paris agora (a viagem me sugou ate o ultimo centavo, tou devendo a camilo agora!). e parece que, uma vez que voce transfere o titulo, eh obrigatorio ir la votar. bom, nao sei, soh sei que dona dilma tem que ganhar sem meu voto... :/

Glória Maria Vieira disse...

Votarei na Dilma sim, Manda. Eu acho que ela vai continuar fazendo a diferença que Lula fez, né?! Sei que dará continuidade as melhorias... Mas e você, ein?! Como fará pra votar, amor?

Renata disse...

Concordo com vc, q no brasil há uma certa incoerência política, só discordo quando vc diz q a Dilma está na frente por pertencr ao PT, que segundo vc de fato tem cara de partido. Acho q ela está na frente mais pela falta de informação do povo, que por outra coisa.

Amanda disse...

Renata, tenho que discordar de vc. Ela esta na frente justamente pela boa informação do povo. O povo quer a continuidade do Lula, que diminuiu a pobreza.

Túlio disse...

Desta vez vou ser breve. Ou não...

Democracia é um sistema falho, capaz de gerar uma sociedade 51 X 49. Uma sociedade matematicamente perfeita. Ao mesmo tempo, meu pequeno cérebro, e outros tantos milhares pequenos e grandes por aí, foram incapazes de criar algo mais justo.

Partindo deste pressuposto de aceitação, sou a favor da existência de ideologias diversas e contra qualquer ideologia. Traduzindo, os extremos devem existir para a construção da sociedade ideal, mas a sociedade ideal não possui extremos.

Agora, de forma prática e condizente com o que minhas ações podem contribuir para este caminho evolutivo, penso ser necessário que o cidadão tenha coerência de voto, não confundindo coerência com ideologia cega. Resumindo, devo sopesar indivíduo, cargo, partido político e necessidades atuais da sociedade.

Porém, por mais que eu pense deste jeito e que, aparentemente, possa transparecer que a sociedade brasileira atual já tem discussões relevantes como essas deste post, a realidade não é bem essa.

Mesmo assim, acredito que o Brasil e todos os países*** do mundo, desconsiderando os estágios em que se encontram, estão evoluindo e caminham para uma sociedade mais justa e baseada no caminho do meio.

A política ainda é suja e a sociedade ainda precisa da democracia. Ainda somos incapazes de convivermos em uma harmonia plena. Mas, nem por isso devo deixar de ser politizado e não crer na nossa capacidade de mudança.

Agora, se você me perguntasse em quem eu votaria, seria mto mais prático e confortável responder em qual objetivo principal eu daria meu voto: votaria em uma educação baseada em história, cultura, diferenças e filosofia.

Oh, não... escrevi demais... Acho que votarei na Marina. Sempre fui contraditório e esse é o meu papel na sociedade atual. Portanto, por achar que democracia não é plebiscito, devo votar nela. Depois, se é que haverá depois (2º turno), votarei na Dilma... "a esquerda apagada pela hipocrisia e egoísmo dos indivíduos ainda faísca minhas ações".

*** a ideia de país já revela que não chegamos ao ponto ideal da evolução.

Froyd disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Froyd disse...

Em relação ao discurso, não existe direita no Brasil. Aliás, não existe discurso coerente. Pelo menos não nos partidos grandes.

Mas dizer que o PT não tenta enganar o povo depois de ver a Dilma pedindo ao povo pra eleger o senador dela para que ele não fique contra a presidência?

--

Amanda, você se engana ao achar que povo está bem informado. A grande massa foi enganada pelo carisma do Lula e algumas das suas medidas, permitam-me a hipérbole, populistas, como a tal bolsa-esmola, que deu a sensação para alguns que a pobreza diminuiu. O que era pra ser uma medida paliativa acabou tornando-se bandeira do partido.

Dilma está indo empurrada por essa idéia.

Amanda disse...

Froyd, não vem com esse papo de bolsa-esmola. Pode ser que não faça diferença pra vc, mas essa ajuda salva a vida de muita gente. Não é uma questão politica, mas de sobrevivência. Aqui na França tem a mesmissima ajuda social, sabia? A diferença é que o valor é infinitamente mais elevado. Não é so pra pessoa não morrer de fome, é pra ela conseguir viver com um minimo de dignidade. Um dia chegaremos la tbm. E é claro que por aqui tbm tem gente criticando esse sistema, mas eles são a extrema-direita e ninguém da muita bola, pq sabe que essa ajuda social é a coisa mais basica que existe num Estado sério.

O Serra ta prometendo por ai dobrar o bolsa-familia e até dar um 13°. Pq ele não ta na frente, então? A politica social do PT vai muito além do bolsa-familia. O povo não é bobo.

Tulio disse...

Concordo que o governo do Lula, ou do PT, produziu grandes avanços sociais, principalmente na educação de ensino superior e com medidas assistenciais como o bolsa-família*.

Mas, infelizmente, algumas medidas sociais são usadas como bandeira política. Porém, não são usadas só pelo PT, são usadas por todos partidos, que se aproveitam de uma grande parcela da população com educação de má qualidade ou inexistente para conseguir votos.

*Auxílios sociais existem desde que o mundo é mundo e são muito importantes na conjuntura atual do Brasil. A pobreza realmente diminui qndo há distribuição deste tipo de benefício, mas, como você disse Froyd, são medidas paliativas (paliativo pode ser um ano, 4, 100, ou 200, ou oo).

Lembrando que o ser humano muitas vezes é o culpado de uma sociedade pouco desenvolvida. E nem sempre tem a ver com educação ou pobreza, mas sim com índole e caráter. Alguns usam o bolsa família para coisas supérfluas, muitos outros utilizam esse dinheiro de forma correta e permitem sua inclusão no círculo capitalista.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...