quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

As linguas regionais da França

Sempre acho engraçado quando alguém me pergunta como se ja estou acostumada a viver numa outra cultura. Ja disse que eu nao acho que vivo numa "outra cultura". As diferenças com o Brasil sao minimas, afinal de contas nosso pais foi criado à imagem e semelhança da Europa. Mas tem coisas que a colonizaçao nao consegue (ou provavelmente nem quer) imitar. Enquanto nossa identidade cultural europeia foi abafando nossas raizes indigenas numa luta desigual, na Europa, os diferentes povos tentam sobreviver dentro da sociedade predominante. Por isso às vezes é dificil para nos, brasileiros acostumados com a centralizaçao e o senso pratico de uma naçao colonizada, imaginar que na França, esse pais tao desenvolvido, se fala outras linguas além do francês.


Sim, o francês é a unica oficial, mas as linguas regionais pertecem formalmente ao patrimônio da França desde 2008, graças a uma revisão na Constituição, bem tardia diga-se de passagem. Eh verdade que até bem pouco tempo, essas linguas eram consideradas inferiores, chamadas de patois (patoa) e as pessoas que falavam eram discriminadas. Puro preconceito. De algumas decadas pra ca, o orgulho de pertencer a um desses grupos e de falar a lingua de seus ancestrais foi aumentando. Mas infelizmente na mesma proporçao que a fluência desses dialetos foi diminuindo no cotidiano das pessoas.

Uma velhinha francesa me disse que o francês dominou todo o territorio nacional por causas das guerras mundiais. Como era muito dificil os soldados conseguirem se comunicar entre si cada um falando um dialeto diferente, eles foram obrigados a aprender o francês. Mas em casa, eles continuavam falando sua lingua. Também com a obrigatoriedade da educaçao formal, as crianças começaram a ser alfabetizadas em francês, mas em casa ele nem passava perto. A familia do cheri, por exemplo, vem do sul da França. Sua bisavo falava occitan como primeira lingua, mas ja entendia francês. Sua avo ja fez a transiçao do francês como primeira lingua, mas ainda falava occitan. Sua mae ja nao aprendeu occitan. Aos poucos as linguas dominadas foram perdendo a força, mas hoje em dia elas ainda sao faladas, por velhinhos em sua maioria, dependendo da regiao e da familia. Os jovens até têm interesse em aprender, mas quem tem tempo hoje em dia? E convenhamos, se for pra aprender outra lingua, o inglês ou espanhol têm muito mais utilidade. O mapa abaixo mostra onde o occitan ainda é utilizado.


Treze linguas regionais sao ensinadas nas escolas publicas francesas, contando com os territorios ultra-mar (Tahiti, Nova Caledônia, etc). Contando so a regiao metropolitana da França, que é como eles chamam o hexagono francês na Europa, elas somam oito: basque, breton, catalan, occitan, corse, gallo, francique e alsacien

Inutil dizer que esse fenômeno acontece em toda a Europa. Achei um mapa legalzinho que separa o continente de acordo com as linguas faladas e com seus povos historicos (mas nao sei se é certo falar de "povos" nesse caso - me falta uma palavra melhor).

8 comentários:

Isabela disse...

Olá Amanda! Que bacana seu blog. Também sou jornalista, vivo em Brasília e morei na França entre 2006 e 2007 para fazer parte da minha graduação. Acabo de começar um blog sobre o país e adicionei o seu na minha lista de preferidos, ok? Depois dá uma passadinha lá! O endereço é http://www.revistafrancesa.com/

Na França, eu morei na Bretanha. Certa vez, estava no ônibus e uma velhinha me perguntou se estava aprendendo o bréton. Respondi que não. E ela: "pour bien apprendre le bréton, il faut coucher avec un bréton". Então tá, né?! Rs...

Caso me esqueçam disse...

isabela: hahaha que velha escrota!

amanda: eu nunca vi ninguem por aqui falando outra lingua que nao o francês, mas fiquei de cara quando fui a barcelona. as placas estao todas em catalao, antes do espanhol. meio ignorancia minha, neh, mas nao sabia dessa identidade tao forte do catalao em relacao a lingua.

(La)ize disse...

A diferença entre o occitan e o francês é grande? Porque se não for fica mais fácil de aprender os dois... basta um pouquinho de vontade. Ou não?
No Brasil não tem isso de línguas regionais cada uma com um nome e bem definida, mas na prática, as gírias e sotaques de cada lugar, na minha visão, formam vários "dialetos". E isso é legal ^^

http://izelaize.blogspot.com

=*

Anônimo disse...

Olá!!!Amanda
Vc fez mesmo o post!!!
Concordo com o comentario acima não temos linguas regionais mais em alguns lugares do Brasil há tantas expressões regionais.Principalmente no Sul e norte e nordeste.
Muito interessante saber que por causa da guerra o francê acabou se fortalecendo.
Viviane Santana
Abs

Borboletas nos Olhos disse...

Sobre teu blog, de vez em quando, só me resta a máxima: lendo e aprendendo! E com um enorme prazer. Bjs!

Amanda disse...

Isabela, adorei a sugestão da velhinha, ahahaha!!

Luci, no metro de Toulouse os caras falam os nomes das estações do metrô em occitan, com sotaque e tudo, morri de rir!

Laize, a diferença é grande sim, é mais uma lingua latina. Na verdade parece uma mistura de francês com português e latim, parece bem dificil de aprender. E eu adoro todos os sotaques do Brasil!!!! Quer dizer, menos um, mas não vou dizer qual é, hihihi.

Viu, Viviane, fiz mesmo! Pois é, adoro essa diversidade linguistica do Brasil! Mas não chega a ser uma lingua em si.

Borboleta, sua linda!

simone disse...

Eu tenho uma saudade de Bayonne com as plaquinhas em basco... :)

Anônimo disse...

Ola, sempre leio o seu blog, mais nunca postei, mas adorei o que vc escreveu, sobre os dialetos en France. Meu marido é da região da Alsace, e toda sua familia fala alsacien, eu fico boiando sempre, mas é claro que o frances predomina, mas o que eu percebi que entre eles continuam a falar em alsacien, mesmo sabendo o frances. Acho isso muito legal, no inicio estranhava um pouco, ams depois me acostumei, embora ache muito dificil a pronuncia, pq é muito parecida com o alemao.

Barbara bauer

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...