sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

Canções de ninar ou como traumatizar seu filho com musica francesa, parte 2

Continuando a série de musiquinhas infantis bizarras, apresento Malbrough s'en va-t-en guerre. Essa canção fez grande sucesso no século 19 e ainda hoje é cantada pelas criancinhas. A primeira vez que a ouvi não acreditei! Clipezinho simpatico ai embaixo e minha tradução mal feita logo depois.



Malbrough vai à guerra
Mironton mironton mirontaine
Malbrough vai à guerra
Não sabe quando volta

Ele voltara na Pascoa 
Mironton mironton mirontaine
Ele voltara na Pascoa
Ou na Trindade

A Trindade passa
Mironton mironton mirontaine
A Trindade passa
Malbrough não volta
 
A senhora sobre em sua torre
O mais alto que ela pode

Ela vê um pajem chegar
Todo vestido de preto

Pajem, meu belo pajem
Que noticias você traz?

As noticias que trago
Seus belos olhos vão chorar

Deixe suas roupas rosas
E seus cetins bordados

Senhor Malbrough esta morto
Esta morto e enterrado

Eu o vi sendo carregado
Por quatro oficiais
Um levava sua couraça
Um levava seu sabre (espada)
O outro seu escudo

Vimos sua alma voar
Através dos louros
(...)

Tem uma outra musica muito famosa aqui na França, a Jean Petit qui danse, que é super fofinha, letra simples, bem util pra ensinar as partes do corpo para os pequenos, como a Alouette do post passado. O Jean dança com o pé, com a mão, com os dedinhos, com os braços, com a cabeça, nada de chocante. Clipezinho abaixo:


Dai descobri a origem da musica. Pobre Jean Petit. Na verdade, ele foi um cara torturado em praça publica no século 17: teve todos os seus ossos quebrados um a um. E cada pedaço do corpo cantado na musica na verdade é um osso que foi quebrado. Quer dança mais macabra? Teve um grupo occitan (povo do sul da França com lingua propria) que fez uma homenagem a Jean Petit, uma espécie de réquiem em sua memoria. A musica esta ai embaixo, com a letra em occitan (percebam que é uma mistura de francês com português e um toque de latim).

12 comentários:

Shuzy disse...

Que terrível...
hehehe

[Cheguei aqui através da Borboleta, gostei, viu? Não sei como não te encontrei antes...!!]

Cris disse...

Ai, ai os franceses. A gente critica o "atirei o pau no gato". Aí, vêm os franceses com suas musiquinhas bizarras e colocam a gente no chinelo hahaha.

Cris disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Eduardo Marques disse...

Essa do Malbrough nem é lá essas coisas. São pensamentos recorrentes em países onde há guerras que afloram na cultura popular em obras assim. Nós aqui no brasil ñ conhecemos isso, Graças a Deus. A canção da Jeanette e a do menino do barco são bem mais chocantes. Pas de coisas terríveis hoje.

Anônimo disse...

Olá
Nossa essa materia e super cultural para se conhecer mais da Europa Não sabia desse povo occitan (só conhecia os cosmeticos L'occitan) a mistura de linguas é fascinante fiz Letras.
O primeiro clipe é muito triste durante o enterro chove e os oficiais vão indo embora um a um e a viuva só sem nem um parente ou uma amiga para dar o ombro e naquele tempo nem tinha calmante tarja preta.
Achei o segundo clipe muito alegre apesar de ser sobre um esquartejado.
Viviane Santana

Angela disse...

Quando tive meu primeiro filho tentei nina-lo com o Boi da Cara e a Cuca mas sempre achava estranho entao parei de tentar. Mas os dois aprendem por ai, e olha so o que eles cantam na maior alegria (e caem de bumbum no chao na parte de We All Fall Down):
"Ring Around The Rosie Pockets Full Of Posies Ashes Ashes We all Fall Dead"

Ring Around The Rosie - anel amarelado e rosa, a marca que aparecia nos corpos no comeco da infeccao da peste bubonica.
Pockets Full Of Posies - As flores postas nos bolsos que achavam que traria melhoras OU para camuflar o mau cheiro dos mortos e doentes da praga.
Ashes Ashes - queima/cremacao dos corpos devido a falta de espaco para enterra-los
We All Fall Down - Todos morrendo OU Todos morremos.

Os exemplos das cancoes francesas bateram o record. Ficamos aqui so com o Frere Jacque mesmo, que eles por sinal adoram!

Amanda disse...

Shuzy, terrivel mesmo! Seja bem-vinda!

Cris, hehehehe, olha que ainda tem outras mais leves que decidi deixar de fora!

Eduardo, sim, a guerra fazia parte do cotidiano, mas a ultima acabou ha mais de 65 anos!

Viviane, vc me deu a ideia de fazer um post pra explicar a cultura occitanne e as outras que existem na França. Tadinha da mulher de luto mesmo, nem tinha um remedinho pra ajudar, ahahaha!

Angêla, essa musiquinha da peste bulbônica tbm é sinistra, viu? Credo! Não temos pra onde correr mesmo... Valeu pela explicação!

Caso me esqueçam disse...

vou ver agora se eu encontro alguma musica decente (em portugues) pra cantar pro meu guri. ja encontrei algumas legais, mas quando vou ver a letra... meu deus! dai tenho medo da mulher me perguntar o que significa em frances e eu ter que dizer "atirei o pau no gato, mas ele nao morreu". nao dah, neh :/

Borboletas nos Olhos disse...

Meu pai e minha mãe cantavam pra me ninar (e a todos os meus irmãos e agora aos netos):
- Marina
- Fracasso
- Prece ao Vento
e duas canções que se repetem indefinidamente: Barquinho Pequenino e Dois Toureiros...Bom, quando eles cantavam Marina do Caymmi eu caía no choro e ficava dizendo: diz pra ele voltar, diz pra ele voltar...eu sou mesmo chegada a um drama (e a uma catarse porque não tinha nada que ficar dando depoimento aqui). Bjs

Long Haired Lady disse...

mas se vc for pensar aqui tambem temos umas bizarras, não são de ninar, mas são para crianças:

atirei o pau no gato, mas o gato não morreu,

Sabiá lá na gaiola / fez um buraquinho
Voou, voou, voou, voou / E a menina que gostava
Tanto do bichinho / Chorou, chorou, chorou, chorou

Anônimo disse...

Voltei para dizer que hoje muitas crianças estão ouvindo é pagode com duplo sentindo e cantando.
Viviane Santana

Anônimo disse...

Perche non:)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...