segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

Canções de ninar ou como traumatizar seu filho com musica francesa - parte 1

Eu não acho que todas as tradições são boas, muito pelo contrario. Acho que algumas delas deveriam desaparecer para sempre. As coisas mudam, evoluem e o que fazia sentido no passado não tem mais seu lugar no presente. Um grande exemplo aqui. Mesmo os hinos nacionais eu acho uma ode ao anacronismo. Sou a favor de mudar tudo, reescrever as letras, tirar as passagens barbaras. Ou melhor, sou a favor da extinção dos hinos nacionais: pra que servem, afinal? Pra cantar nos eventos esportivos, deve ser.

Pois algumas canções infantis entram nessa categoria de tradição barbara que insistimos em passar pra frente. No Brasil nos chocamos quando prestamos atenção nas letras que maltratam gatos; estimulam a violência fisica como forma de educação (não vou la, não vou la, não vou la, tenho medo de apanhar); põem medo com bois pretos e cucas e outras pérolas da sabedoria popular brasileira. Dai dizem, ah, eu cresci com essas musicas e me tornei uma pessoa normal. Mas, pombas, por que temos que crescer com essas musicas? Que tal cantarmos outras? Ja ouvi dizer que essas musicas foram criadas por escravas que se vingavam dos patrões metendo medo em seus filhos. Mas acho que não é verdade, acho que era uma coisa da época mesmo, onde ameaças, tapas e medos faziam parte da realidade das crianças. Que bom que evoluimos, não? Então por que não trocar a trilha sonora também?

Pois na França as musicas infantis sinistras também continuam sendo passada de geração em geração. Uma pior do que a outra! Canibalismo, guerra, pena de morte, crueldade contra os animais, tortura. Algumas foram adaptadas, uns versos mais pesados cortados aqui e acola, mas continuam ai. Olha o que as criancinhas francesas andam cantando por ai:


*Essa playlist tem as três musicas abaixo

Alouette (cotovia, um passarinho)

Alouette, gentille alouette (passarinho, gentil passarinho)
Alouette, je te plumerai (passarinho, vou te depenar)

Je te plumerai le bec (vou te depenar o bico)
Et le bec, et le bec (e o bico, e o bico)
Alouette, alouette, ah ah ah ah!

Je te plumerai la tête (vou te depenar a cabeça)
Et la tête, et la tête (e a cabeça, e a cabeça)
Et le bec, et le bec (e o bico, e o bico)
Alouette, alouette, ah ah ah ah!
 
Je te plumerai le cou (vou te depenar o pescoço)
Et le cou, et le cou (e o pescoço, e o pescoço)
Et la tête, et la tête (e a cabeça, e a cabeça)
Et le bec, et le bec (e o bico, e o bico)
Alouette, alouette, ah ah ah ah!
 
Je te plumerai le dos (vou te depenar as costas)
Et le dos, et le dos (e as costas, e as costas)
Et le cou, et le cou (e o pescoço, e o pescoço)

Et la tête, et la tête (e a cabeça, e a cabeça)
Et le bec, et le bec (e o bico, e o bico)
Alouette, alouette, ah ah ah ah!

Je te plumerai les fesses (vou te depenar o rabo)
Et les fesses, et les fesses (e o rabo, e o rabo)
Et le dos, et le dos (e as costas, e as costas)
Et le cou, et le cou (e o pescoço, e o pescoço)
Et la tête, et la tête (e a cabeça, e a cabeça)
Et le bec, et le bec (e o bico, e o bico)
Alouette, alouette, ah ah ah ah!

Porque né, nada como sair por ai depenando gentis passarinhos....

Ne pleure pas Jeannette (não chore Jeannette)

Ne pleure pas Jeannette (não chore Jeannette)
Tra, lallallallalla lla llallalla lla lla
Ne pleure pas Jeannette (não chore Jeannette)
Nous te marierons, Nous te marierons (nos vamos te casar)
Avec le fils d'un prince (com o filho de um principe)
Tra, lallallallalla lla llallalla lla lla
Avec le fils d'un prince (com o filho de um principe)
Ou celui d'un baron, Ou celui d'un baron (ou com o filho de um barão)
 
Je ne veux pas d'un prince (eu não quero principe)
Tra, lallallallalla lla llallalla lla lla
Je ne veux pas d'un prince (eu não quero principe)
Encore moins d'un baron ! Encore moins d'un baron ! (menos ainda um barão!)
Je veux mon ami Pierre (quero meu amigo Pierre)
Tra, lallallallalla lla llallalla lla lla
Je veux mon ami Pierre (quero meu amigo Pierre)
Celui qui est en prison, Celui qui est en prison (aquele que esta na prisão)
 
Tu n'auras pas ton Pierre (você não vai ter teu Pierre)
Tra, lallallallalla lla llallalla lla lla
Tu n'auras pas ton Pierre (você não vai ter teu Pierre)
Nous le pendouillerons, Nous le pendouillerons (nos vamos enforca-lo)

Si vous pendouillez Pierre (se vocês enforcarem Pierre)
Tra, lallallallalla lla llallalla lla lla
Si vous pendouillez Pierre (se vocês enforcarem Pierre)
Pendouillez moi avec, Pendouillez moi avec (me enforquem também)

Et l'on pendouilla Pierre (e vamos enforcar Pierre)
Tra, lallallallalla lla llallalla lla lla
Et l'on pendouilla Pierre (e vamos enforcar Pierre)
Et la Jeannette avec, Et la Jeannette avec (e a Jannette com ele)

Matar um culpado é pouco, matar uma inocente é melhor!

Il était un petit navire (Era um pequeno navio)

Il était un petit navire (era um pequeno navio)

Il était un petit navire (era um pequeno navio)
Qui n'avait ja-ja-jamais navigué (que nunca tinha navigado)
Qui n'avait ja-ja-jamais navigué (que nunca tinha navigado)
Ohé, ohé...

Il entreprit un long voyage (ele começou uma longa viagem) 
Il entreprit un long voyage (ele começou uma longa viagem)
Sur la mer Mé-Mé-Méditérannée (no mar me-me-mediterrâneo)
Sur la mer Mé-Mé-Méditérannée (no mar me-me-mediterrâneo)
Ohé, ohé...

Au bout de cinq à six semaines (depois de cinco semanas)
Au bout de cinq à six semaines (depois de cinco semanas)
Les vivres vinr'-vinr'-vinrent à manquer (a comida acabou)
Les vivres vinr'-vinr'-vinrent à manquer (a comida acabou)
Ohé, ohé...

Ohé, ohé Matelot (oê, oê marinheiro)
Matelot navigue sur les flots (marinheiro navega sobre as ondas)
Ohé, ohé Matelot (oê, oê marinheiro)
Matelot navigue sur les flots (marinheiro navega sobre as ondas)

On tira à la courte paille (tiram no palitinho)
On tira à la courte paille (tiram no palitinho)
Pour savoir qui-qui-qui serait mangé (quem sera comido)
Pour savoir qui-qui-qui serait mangé (quem sera comido)
Ohé, ohé...

Le sort tomba sur le plus jeune (o acaso cai sobre o mais jovem)
Le sort tomba sur le plus jeune (o acaso cai sobre o mais jovem)
Ce sera lui-lui qui sera mangé (ele que vai ser comido)
Ce sera lui-lui qui sera mangé (ele que vai ser comido)
Ohé, ohé...

On cherche alors à quelle sauce (então escolhem o molho)
On cherche alors à quelle sauce (então escolhem o molho)
Le pauvr' enfant-fant-fant serait mangé (que a pobre criança sera comida)
Le pauvr' enfant-fant-fant serait mangé (que a pobre criança sera comida)
Ohé, ohé...

Il fit au ciel une prière (ele rezou ao céu)
Il fit au ciel une prière (ele rezou ao céu)
Interrogeant-geant-geant l'immensité (interrogando a imensidade)
Interrogeant-geant-geant l'immensité (interrogando a imensidade)
Ohé, ohé...

O sainte Vierge, ô ma patronne (oh santa virgem, oh minha patrona)
O sainte Vierge, ô ma patronne (oh santa virgem, oh minha patrona)
Qui a le cour cour cour afortuné (que tem o coração afortunado)
Qui a le cour cour cour afortuné (que tem o coração afortunado)
Ohé, ohé...

Au même instant un grand miracle (no mesmo instante um grande milagre)
Au même instant un grand miracle (no mesmo instante um grande milagre)
Pour l'enfant fut, fut, fut réalisé (para a criança foi realizado)
Pour l'enfant fut, fut, fut réalisé (para a criança foi realizado)
Ohé, ohé...

Des p'tits poissons dans le navire (pequenos peixes no navio)
Des p'tits poissons dans le navire (pequenos peixes no navio)
Sautèrent par par par plusieurs milliers (saltaram aos milhares)
Sautèrent par par par plusieurs milliers (saltaram aos milhares)
Ohé, ohé...

On les prit on les mit à frire (recolheram e fritaram)
On les prit on les mit à frire (recolheram e fritaram)
Et le p'tit mouss', mouss', mou-sse fut sauvé (e o aprendiz de marinheiro foi salvo)
Et le p'tit mouss', mouss', mou-sse fut sauvé (e o aprendiz de marinheiro foi salvo)
Ohé, ohé...

Pior do que ser devorado pelos seus companheiros, é ser salvo pela virgem.

26 comentários:

Caso me esqueçam disse...

credo! beleza, a gente ja tinha comentado isso naquele dia, mas... neh? tu nao tinha detalhado as letras hahahaha que horror! adorei! :D

Borboletas nos Olhos disse...

Baby, eis um tema espinhoso...a violência, os ímpetos agressivos fazem parte da formação da subjetividade (quer dizer, eu e Papa Freud achamos isso né, nem todos concordam). Assim, certas canções, assim como determinadas situações dos contos de fadas tradicionais (que não são doutrinantes, pelo contrário) são mediadores eficazes na forma da criança aprender a lidar com a raiva, o desejo, a agressividade, etc. Para mim canções infantis como Atirei o pau no gato cumprem função totalmente diferente dos hinos cheios de referência à violência. Enfim, é assunto pra um encontro pessoal...quando tu chega? ;)

Cínthia Nascimento Coelho-Fize disse...

Meu Deus.... eu CHOREI de rir com esse post hahahahahahahahahahahaha Adorei!

Aline Mariane disse...

hehehe
Otimo post!
Na fac de pedagogia no Brasil, aprendi uma nova versão de Atirei o Pau no Gato (Não atire o pau no gato) e que NAO devemos ensinar nenhuma dessas musiquinhas hororosas para as crianças. Sobra pouco do que já conhecia várias novas, algumas bonitinhas e outras de gosto também duvidoso...
Bjss!

Rita disse...

You got mail.

Glória Maria Vieira disse...

Ai minha nossa! Não tinha me ligado nesse "detalhe cantoril". UIASSHUAHSUAHUHSUAHUAHUSH

Realmente, Manda. Não são nada "tranquilizantes". Muito pelo contrário! E o interessante é que crianças e mais crianças continuam a dormir como uns anjinhos depois de escutar cantorias como essas tradicionais, né?! (Ok! Nem todas são anjinhos... UASHUHAUSHUIAHSUAH
)

Carol Winchester disse...

KKKKKKKKKKKK, e eu que pensava que era só aqui no Brasil! XDD
Me apaixono mais e mais pela França sempre que leio seu blog! Você fez algum curso antes de ir praí?

Amanda disse...

Luci, foi aquele papo mesmo que me inspirou a fazer esse post!

Borboleta, entendo o que vc quer dizer. Mas vc acha mesmo que as crianças precisam dessa "valvula de escape"? Eu acho que elas são totalmente dispensaveis. Até porque as proprias crianças criam suas fantasias crueis. A menina que eu tomo conta as vezes fala umas coisas que me assustam, então acho que ela não precisa ainda de um incentivo formal. Agora, sera que ela diz essas coisas porque costuma ler historias onde o "caçador abre a barriga do lobo, tira a vovo, põe pedras no lugar e joga no rio"?. O ovo ou a galinha?

Cinthia, ;D

Amanda disse...

Aline, essa versão do atirei o pau no gato é meio estranha, né? O problema no Brasil é justamente não ter muitas opções de troca. Quer dizer, tem aquela coleção da xuxa para os baixinhos, tem um cd da arca de noé que adoro, mas não é muita coisa. Na França acho que tem muuuuuita musiquinha, então da pra passar tranquilamente sem essas. O problema é que acho que nas creches eles ensinam as 'malvadas', alouette, então, um classico!

Rita, contando os dias!

Glorinha, pois é, imagina tentar dormir pensando que se vc não conseguir, um boi da cara preta vem e te come. Hello, insônia!

Carol, so no Brasil nada! Então, eu não fiz nenhum curso antes de vir pra ca, não sabia nem dizer bonjour. Nunca fiz curso de francês, aprendi no dia-a-dia. Quer dizer, fiz um semestre na prefeitura dois anos depois de ter chegado, mas não adiantou muito.

Beijos!

Anônimo disse...

Adorei o post mas o cheri aqui nem tanto, comecei a cantar Alouette e ele logo saiu de perto. Disse que pegou odio de tanto ouvir isso a vida toda kkkkk.
Michele

O cozinheiro solitário disse...

Olá a todos os que vão ler este comentário neste blogue ou noutro muito bom como este. Pois é, estou encantado com todos estes posts bem feitos, quase que desenhados. Pois, eu gostava de fazer igual, mas não consigo. O meu dilema agora é cozinhar… A vida é dura e obrigou-me a morar sozinho, e a cozinha não é de todo o meu local favorito. Mas estou a tentar conhecê-la, mas as aventuras têm sido imensas. Fiz um blog humilde para colocá-las em forma de crónica pouco extensas. Gostava muito que todos vocês o visitassem e se possível o seguissem. É que tentar cozinhar e depois não ser ajudado, é algo muita mau.
Cumprimentos a todos!

http://tenhosalfaltamecolher.blogspot.com/

disse...

Morri de rir, haha... Ainda mais que eu sempre canto a da Aloutette pro Rafael. Sempre achei malvado mesmo depenar a pobre da ave mas por enquanto o Rafael nao sabe o que é depenar e a musica é otima para ele aprender onde fica a cabeça, os olhos, etc. Ele ja sabe direitinho, tanto em frances quanto em portugues.

Tem muita letra de musica malvada mesmo, mas eu nao ligo muito pra isso. Fomos todos criados com essas musicas e nao somos violentos por causa disso, né?

Agora essa historia de mudar a letra de Atirei o Pau no Gato achei o fim da picada! Aqui em casa so' cantamos a versao original e nao e por isso que saimos maltratando gatos por ai. Muito pelo contrario, o Rafael ADORA bichos!

Mariana disse...

Amanda, fico mais preocupada com a onipresença da XUXA no universo infantil brasileiro do que com as letras das musicas infantis tradicionais. Sou contra esse negocio de politicamente correto e ponto final. Até porque essas musicas são patrimonio imaterial da nossa cultura (ou da cultura francesa enfim) e são herança do modo de viver dos nossos avos etc. Claro que prefiro cantar musicas menos violentas para a Sofia mas não vejo problema em ouvir de vez em quando... para ouvir boa musica infantil feita no Brasil é dificil. Temos que nos contentar com o Palavra Cantada e outras raras iniciativas nessa area. Na França eu gosto de algumas que ouvi das éducatrices da garderie da Sofia, como Le Petit Poisson, Vole Vole Papillon, Les Marionnettes, à la claire fontaine... Também tem bastante coisa boa no meio de tanta tradição!

(La)ize disse...

Meu Deus, que horror! Acho que crianças não entendem o sentido dessas músicas, mas elas não deviam ser cantadas... é assustador (pior que as em português).

htpp://izelaize.blogspot.com

ps.: seu blog está na na lista de blogs do meu. Muito legal isso aqui ^^
=*

Borboletas nos Olhos disse...

Amanda, é realmente uma questão conceitual que me faz considerar que sim, a crueldade - assim como os demais sentimentos que consideramos negativos - constituem a nossa subjetividade. Eu não considero válvula de escape, mas instrumentos de mediação simbólica. Não acho que as crianças são "ensinadas" a ser más pelos contos de fadas e canções infantis, mas pelas formas de relação construídas na sociedade. Mas, enfim, faz tempo que não leio nem escrevo sobre o assunto, estou enferrujada. E seus posts são sempre ótimos. TODOS, rsrsr. Bjs

Eduardo Marques disse...

Eu acho que a tradução da segunda música esta´ errada. Lá diz "Et l'on pendouilla Pierre". Significa "E enforcamos Pierre". É no passado, não no futuro.

Parabéns pelo blog. ;)

Menina no Sotão disse...

Não sei, acho criança um bicho naturalmente cruel. kkkkkkkkkkkkkkk
Mas sinceramente lembro de um pirralho cantando mamonas assassinas e aquilo pra mim parecia um tormento. kkkkkkkkkkkkk
Caramba, eu mal chego aqui e já estou assim, com toda liberdade do mundo. Bem, vou me conter. Eu lembro das músicas infantis que eu cantava e não me lembro de nada horrível. A maioria eram folcloricas e algumas eram engraçadas como a da velha correndo atrás do velho com um pau de macarrão. Coisas da cultura italiana. ai ai ai Corriqueiro, era só ir para as vilas para ver algo assim.
Bem, vou-me...
Bacio

Amanda disse...

Eduardo, acho então que o erro foi a letra que eu peguei na internet, pq não faz sentido essa musica no passado...

suzannebouron@gmail.com disse...

Eu adorava essas musicas ! =)

Laís Lima disse...

Salut Amanda!
Acabei de encontrar a música que nunca saia das minhas doces lembranças quando pequena!!!
A priori, adorei encontrá-la aqui no seu blog porque não o conhecia. Segundo porque recordei minha infância e minha saudosa mãe. Obrigada!
Fiquei feliz, cantei muito e até me emocionei mesmo sabendo da sua tradução!"rsrsrs"
Hoje, em plena quarta-feira de cinzas estou eu aqui a cantarolar Alouette!"rsrs"
Voltei ano passado ao curso de Francês parce que j'aime!
Bjão e prazer viu?
Laís Lima
Sou sua seguidora agora!"rsrs"
Parabéns pelo blog!

Amanda disse...

Oi Lais, que lindo! Fico feliz que essa musiquinha tenha te trazidos boas lembranças da infância! Beijo!!!

Laís Lima disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Laís Lima disse...

Ahhhhh obrigada, me fez muito feliz sim!
Cada vez que puder virei lhe visitar aqui tá?
E quando puder acesse meu blog também para conhecer minhas travessuras em tintas!"rsrs"!
Acho que vais gostar!
Bj
http://laisartesplasticas.blospot.com

Laís lima- Só para correção! disse...

Ôh Amanda, acabei digitando o verbo Vir numa conjugação errada! O segundo Post é que está correto tá?
Depois pode apagar incluisive este tbm tá?
Bj

Caio Bov disse...

Também concorco contigo, colega... Não tinha me atentado para os hinos nacionais, vou prestar mais atenção.
Abraços.

Moonway disse...

eu preciso da sua ajuda.. eu assisti um filme lindoo chamado le monde selon tippi. E a meninimha cantarola uma musica logo no começo, que acho que diz o seguinte: le poisson magic, c'est magnifique.. qual é a músicaaa?

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...