sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

Relaçoes Internacionais

Nao, esse nao é um post sobre os acordos politicos entre as diferentes naçoes do mundo ou sobre as brigas ideologicas entre os Estados. Mas nao é tao longe disso, pra falar a verdade. Hoje vou falar um pouco das aventuras e desventuras de namorar um estrangeiro (ué, mas aqui na França a estrangeira nao sou eu?).

Eu ja falei que entre uma brasileira e um francês nao existe grandes abismos culturais. Poxa, o cheri usa garfo e faca para comer, se veste com calça jeans, toma banho diariamente (sim!!!!!!). Mas como confiar numa criatura que nao conhece Ilariê? Que nunca brincu de passa anel? Que nunca ouviu falar dos Mamonas Assassinas? Sei nao, viu...

Mas ao mesmo tempo que é um pouco decepcionante que ele nao conheça quase nenhuma das minhas referências infantis, é legal explicar quem é quem e contar a historia de cada coisa que me marcou. Tudo bem que ele ainda nao conseguiu entender a magnitude que a Xuxa representa para a minha geraçao, ele vive comparando ela com uma francesa aguada que tinha um programa infantil na televisao na época dele: nao é a mesma coisa. Muitas vezes temos a surpresa de ter tido coisas em comum (ah, a globalizacao!) tipo o Sonic ou a lambada. Eh legal quando a gente encontra afinidades sobre o passado pra conversar: nos dois tivemos o album de figurinhas dos Cavaleiros do Zodiaco! Incroyable!

Lembro quando estavamos no Brasil, vendo um filme brasileiro, e o cheri começou a tirar o maior sarro da interpretação do ator. Ele estranhou que eu fiquei olhando com os olhos grandes e a boca aberta e so consegui dizer "mas, mas, é o Antônio Fagundes!". Nos, brasileiros, ja nascemos elogiando a performance do Antônio Fagundes e qualquer critica à sua interpretação é pura blasfêmia. Cheri não quis saber e continuou dizendo como a atuação era obviamente amadora e que a produção parecia coisa de novela mexicana, para o meu total desnorteamento.

Eh um pouco injusto, porque eu ja conhecia algumas personalidades francesas antes de chegar na França, mas o cheri não conhecia nenhum brasileiro a não ser o Lula e o Milton Santos. Então, sim, é verdade que por um lado eu sinto falta de dizer "Ei, você viu?, fulano morreu!" e ver uma reação à altura da importância da informação, sem precisar explicar quem era fulano, o que ele fazia e porque ele era importante. Mas por outro lado, aprendo tantas coisas através da experiência dele, da experiência que não pude ter simplesmente porque vivia no Brasil, que é como se nos dois somados tivessémos vivido duas vezes.

Sem contar que, por causa dessas coisas, nunca falta assunto aqui em casa.

17 comentários:

blogdaSerenadog disse...

Conheci o seu blog ontem e achei demais...Seus textos são muito bons!

Bjs
Serena

patricia disse...

Conheci seu blog qndo estive na França por 3 meses. Um belo dia procurava na net um site de como utilizar tu et vous, justamente pq iria conhecer a mãe do meu namorado, qndo tive a sorte de encontrar seus textos, que aliás, são excelentes. Como não tinha muita coisa p fazer lá, passava hrs lendo tudo até chegar ao texto atual. E hj lendo seu artigo, sobre seu relacionamento com um estrangeiro, percebi que vc tem mais vantagens q eu, pois pelo menos o seu (namorado) fala português e o meu que tb é francês, mas não fala nadaaaa.
Bom, mas independente de estar ou não em território francês, continuo lendo seus textos q amo de mais. Parabéns! Excelente ano p vcc!

Amanda disse...

Serena e Patricia, muito obrigada! Esses comentarios me incentivam muito a continuar escrevendo o blog!

Patricia, é verdade que é uma vantagem meu namorado falar português, eu ia até falar sobre isso, mas resolvi deixar pra uma proxima. So que nao é a lingua maternal, né? Tem uma diferença. As vezes a gente custa a se entender! Poe teu namorado pra estudar português! :) Vcs se comunicam em francês?

Aline Mariane disse...

oh, post bonitinho, pra variar me identifiquei! So que o Loic so conhecia o Lula, o Senna e o Paulo Coelho (o escritor, nao o meu bichinho).
Volto na proxima sexta, ai que preguiça de voltar para o frio!! Devo ir algumas vezes pra Paris, as burocracias do consulado me esperam!!
Bjss!

Leonardo disse...

Aposto que essa "loira aguada" a que você se referiu é a Dorothée! E era no programa dela que passava Cavaleiros do Zodíaco. Tem uma página só pra ela na Enciclopédia dos Cavaleiros... Sou muito mais a Duda Little. ^^

patricia disse...

Oi Amanda,
meu namorado e eu conversamos em francês, pena ele ficar resistindo em aprender português, sempre deixa p depois, depois e até agora seu vocabulário fica limitado a um simples oi, como está, td bem e obrigado. rrss
Bjos p vc e uma excelente semana.
Tô esperando o próximo texto.

M. disse...

Pra mim o mais engraçado é conhecer coisas do Brasil através de um estrangeiro, como uma amiga suiça que aprendeu a dança dos cortadores de cana de alguma parte do nosso sertão, e isso foi em Perugia! Essa experiências são infinitamente enriquecedoras. E parabéns por esse texto tão legal!

Neide disse...

Vc tem toda razão Amanda, meu marido é francês, como vc disse não falta assunto, e eu sempre me interessei pela cultura francesa. O meu francês so fala em português comigo, ele fala muito bem o português, é bom mas é ruim, pq assim eu não treino o meu francês!
beijos!

luci disse...

eu sempre me surpreendia quando o pessoal me perguntava como era namorar um frances. nao sabia o que responder. agora, poderia dizer que acho os franceses mais... "respeitosos". CLARO que tem homem que conheco aqui que trai namorada e tudo mais, mas eh muito mais dificil. no brasil, TODOS os meus amigos, conhecidos e etc trairam alguma vez na vida. camilo diz que isso eh raro aqui. no mais, acho que a graaande diferença eh essa. se eh que eu tou certa!

luci disse...

ah, como camilo passou a infancia na america latina, temos mais coisas em comum. por exemplo, ele conhece chaves. alias, "el chavo del ocho"? (veja como eu escrevo bem em espanhol).

e uma vez cantei "ilariê" pra tirar onda e ele continuou em espanhol! quase que caio pra tras. "como tu conhece isso?". aih lembrei que a xuxa tambem tentou lançar carreira nos paises vizinhos.

luci disse...

ah, e vou roubar tua bandeirinha :D

Emiliana disse...

Oi Amanda! Venho lendo seu blog a um tempinho, mas como uma boa mineirinha ficava aqui, só atrás do monitor curtindo a leitura (vou me mudar pra Paris com meu marido e filho em fevereiro e fico tentando "sentir" um pouquinho sobre como é viver aí!). Bem, mas o que eu quero lhe escrever mesmo é que A-D-O-R-O a sua maneira de escrever, a sua sinceridade e leveza para falar sobre temas tão diversos! Um grande beijo

Amanda disse...

Leo, é essa mesmo! Nao sabia que ela passava no Brasil tbm!

Patricia, ensina a ele! Se bem que é melhor deixar assim, dai vc sai na vantagem e nao faz como eu, que nao aprendo francês!

M. é verdade isso mesmo! E também, aqui na França eu conheci gente de estados do Brasil que eu nao cruzei por la mesmo.


Neide, eu tbm! Vamos virar esse jogo!

Luci, as mentalidades sao muito diferentes, ne? Tanto que eu quase nao vejo brasileiro casado com francesa, pq sera? Eles sao raros! Pode roubar a bandeira, ela é bonita, ne?

Emiliana, adorei sua saida do armario! Apareca sempre! Obrigada pelos elogios! E seja bem-vinda aqui em Paris! To pensando em marcar um outro encontro, vc ja esta convidada!

Neide disse...

Vamos sim Amanda mudar esse jogo!!
vc acredita q ele diz pra mim, q não fala em francês pq não quer perder o Português? é muito egoismo! eu acho que ele não tem a paciência q eu tive pra ensinar, isso sim!!!
Beijos!!!

Emiliana disse...

Oi Amanda! Vou "sair" mais vezes sim! E quanto ao encontro, tô dentro! beijo bem grande pra você

mãe disse...

Isso pq ele não sabe que vc queria ser paquita (e só não foi, pq não tinha idade ainda) e que teve festa de aniversário com direito a nave espacial da Xuxa e tudo.

Joana disse...

Conheci o seu blog nesta semana e estou adorando e lendo todos os posts.
Me identifico muito no assunto deste post!!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...